Frase do Dia: Meredith Grey e o sucesso

Tem tempo que deixei de assistir Grey’s Anatomy, mas que teve coisa boa lá, teve.

Essa frase, inclusive.

meredith-sucesso

Mesmo o maior do fracasso,
mesmo o pior,
bate de longe o ‘nunca tentar’.

Fato.

Volto mais tarde | Ao som de The Smashing Pumpkins – Spaceboy |

Anúncios

Piada do Dia: A Diferença Entre O Gato e A Coca?

Oh….#BadJokeFriday

Eu ri. Muito.

IMG_0232

 

E as caras?

Haha. Muito bom.

Volto mais tarde | Ao som de The Smashing Pumpkins – Suffer |

Dica de Leitura: Roger Angell, “Eu, Um Velho”

Recomendo, e muito, a leitura do texto “Eu, Um Velho“, escrito por Roger Angell e publicado na Revista Piauí.

Recomendo a qualquer pessoa que tenha contato mínimo com qualquer pessoa idosa.

Seja um vizinho, parente, amigo… Sei lá.

euumvelho-piaui

Eu tenho esse contato. Que está longe de ser mínimo, com a minha amada avó. Principalmente.

O texto me tocou muitíssimo, ao me fazer tentar colocar um pouco na pele delo autor. Na pele da minha avó. E na minha, daqui algumas décadas.

Cito o trecho que mais me marcou.

Nós, os matusaléns – mas, afinal, que espécie de criatura é essa, algo entre uma árvore e uma enguia? –, nós, os mais velhos, aprendemos um ou dois truques, entre os quais o da invisibilidade. Estou conversando com amigos de confiança – velhos amigos, ainda que na verdade não tão velhos assim: estão na faixa dos 60 – e, enquanto matamos o vinho, discutimos um assunto sério, como o aquecimento global em Nyack ou o travestimento de Virginia Woolf. Aproveito uma pausa e falo alguma coisa. Eles me olham com cortesia e então retomam a conversa exatamente no ponto em que haviam parado. Como assim? Com licença? Não acabei de dizer algo? Por acaso deixei a sala? Ou tive o que os neurologistas chamam de AIT – Acidente Isquêmico Transitório? Não era minha intenção dominar a conversa, mas algum tipo de reação cairia bem. Não nessa noite, porém. (Há conhecidas minhas que começaram a notar isso depois dos 50.) Quando menciono o fenômeno a alguém na minha faixa etária, recebo acenos de cabeça e sorrisos de confirmação. É verdade, passamos a ser invisíveis. Estimados, respeitados e até amados, mas não mais interessantes a ponto de valer a pena prestar atenção em nós. Você já teve a sua vez, tio; agora é a nossa.

Como de costume na Piauí, o texto não é exatamente curto. Não é dos mais longos, mas…

Vale muito a pena. Mesmo. De verdade.

Basta clicar na figura acima para acessá-lo.

Volto mais tarde | Ao som de The Smashing Pumpkins – Cherub Rock |

Música do Dia: The Smashing Pumpkins – Bullet With Butterfly Wings

Tão sensacional.

Mas tão sensacional…

The Smashing Pumpkins - Bullet With Butterfly Wings

The world is a vampire, sent to drain
Secret destroyers, hold you up to the flames
And what do I get, for my pain
Betrayed desires, and a piece of the game
Even though I know – I suppose I’ll show
All my cool and cold-like old job

Volto mais tarde | Ao som de The Smashing Pumpkins – Bullet With Butterfly Wings |

Teste: Por Que Estou Solteira?

Relacionamentos.

 O tema em voga no words of leisure hoje, hein?

Quem diria.

É que acabei de ver o teste do BuzzFeed, Why Are You Single, e como estou solteira, fiz. Mas, fundamentalmente, por ser do amado BuzzFeed.

Tem perguntas divertidas, como já era de se esperar, e outras tensas, como essa:

howlongwasyourlastrelationship

Querem fazer?

É só clicar em alguma das figuras acima.

Volto mais tarde | Ao som de U2 – Exit | 

Dica de Leitura: O Dia Que O Amor Morreu

Gostoso o texto “O dia que o amor morreu”, da Tati Bernardi.

thumb

Na manhã que o amor acabou, almocei na minha mãe. Ela contou que a colcha colorida não tinha saído bonita na foto do site da imobiliária. Eu chorei e ela quis saber se colcha colorida me lembrava alguma coisa. Não lembrava. Mas as frases com alguma graça e nascidas pra nada emprestavam o charme da sua promessa, sempre me sabendo em urgências dosadas. Eu retornava com a felicidade direta de quem é procurada antes de se proteger e apertava suas letras comprovando, com minha digital, uma existência catalogada. Meu pensamento era um carimbo no horizonte toda vez que você gostava de ouvir.

Para ler o texto completo, clique na figura.

Volto mais tarde | Ao som de The Smashing Pumpkins – Beautiful |

Esportes: A Incrível Campanha do Ford Fusion

Como a Ford mandou bem ao juntar Nelson Piquet e Nigel Mansell para reviverem a histórica rivalidade que tinham na Fórmula 1, hein?

Eu sinto muito por não ter visto o Nelson competir. Por tudo que já vi, li, tenho certeza que se eu acompanhasse, na época, ele sem dúvidas seria o meu piloto favorito.

Sou muito fã, mas seria mais ainda.

fordfusion

Para quem não viu…

Continuar lendo “Esportes: A Incrível Campanha do Ford Fusion”

Música do Dia: The Smashing Pumpkins – Cherub Rock

Música de um dos melhores álbuns da década de 90. Siamese Dream.

Rock em um belo momento.

smashing pumpkins cherub rock

Who wants that honey
As long as there’s some money
Who wants that honey?

Let me out
Let me out

Volto mais tarde | Ao som de The Smashing Pumpkins – Cherub Rock |

Novo Lollo

A minha única bisavó que eu conheci faleceu quando eu tinha 7 anos.

A lembrança mais forte que eu tenho dela, neste pouco convívio, é de quando nós íamos visita-la na casa de uma tia. Após cumprimenta-la, ela falava para eu e primogênita abrirmos um armário que ficava próximo a ela, para pegar uma lembrança.

Era Lollo. Sempre Lollo.

Imaginem o grau de alegria e nostalgia da minha parte, ao ler a reportagem:

Nestlé relança chocolate Lollo com receita original 

Milkybar, uma ova!

Volto mais tarde | Ao som de The Smashing Pumpkins – Tonight, Tonight|

Música do Dia: The Smashing Pumpkins – Tonight, Tonight

Um vídeo incrível para uma música maravilhosa.

THE SMASHING PUMPKINS – TONIGHT, TONIGHT

And you know you’re never sure
But you’re sure you could be right
If you held yourself up to the light
And the embers never fade in your city by the lake
The place where you were born

Volto mais tarde | Ao som de The Smashing Pumpkins – Tonight, Tonight |

TED Talks: Amy Lockwood: “Vendendo Camisinhas No Congo”

Já tem um bom tempo que eu não posto nada do TED aqui.

Mas tem um motivo: mesmo vendo os vídeos constantemente, preferi adotar a postura de esperar a legenda em português sair, antes de publicar aqui. Então, assisto, coloco o link no meu Things e espero. Afinal, ideias que valem a pena espalhar não têm data de validade.

O vídeo de hoje é da Amy Lockwood.

Amy Lockwood

Continuar lendo “TED Talks: Amy Lockwood: “Vendendo Camisinhas No Congo””

Dicas de Blogs: De Gastronomia

Se tem uma coisa que eu não consigo fazer é acompanhar, de forma decente, todos os blogs que tenho na minha lista de RSS (se você não sabe o que é isso, clique aqui).

Alguns foram adicionados na última viagem que fiz, porque vi as recomendações na revista da GOL.

São blogs de culinária bem bacanas.

O Gastronomismo tem uma ideia bem bacana. O pessoal lá acredita que todo mundo pode aprender a cozinhar e, por isso, colocam vídeos com receitas inspiradas em algum tema. Ainda não tentei nenhuma porque sou absurdamente preguiçosa, mas que dá vontade, dá.

Link aqui.

Outro é o Chocolatria.

Mesmo não sendo a maior fã de doces do mundo, adorei o blog. As fotos são ótimas e tem posts que ligam gastronomia com viagens, algo que eu acho que tem TUDO a ver. Adorei os posts J’adore Montréal e Mont Tremblant .

Link aqui.

O terceiro é o Culinária Tosca.

Bem divertido e com receitas bem interessantes.

Link aqui.

Finalmente, o Panelinha.

Receitas e posts nos blogs sobre nutrição, entre outros.

Link aqui.

Claro que existem muitos outros blogs e sites sobre o assunto. Quem quiser recomendar, coloque nos comentários.

Volto mais tarde | Ao som de The Smashing Pumpkins – Hummer |

No iPod: Os Melhores Discos da Década de 90

Lista: está aí uma coisa que publicações musicais amam fazer na vida. “Melhor artista da década”, “do século”, “disco do ano”, e por aí vai. Mesmo não concordando com tudo e com todas, tenho que confessar que adoro dar uma fuçada nelas.

Concordam com a posição que o Nevermind ficou?

Pois bem, os leitores da revista Rolling Stone americana elegeram os melhores discos da década de 90. O Nevermind, do Nirvana, ficou em primeiro lugar.

1. Nirvana – “Nevermind”
2. Radiohead -“OK Computer”
3. Pearl Jam – “Ten”
4. U2 – “Achtung Baby”
5. Oasis – “(What’s the Story) Morning Glory”
6. The Smashing Pumpkins – “Siamese Dream”
7. Metallica – “Metallica”
8. Jeff Buckley – “Grace”
9. The Smashing Pumpkins – “Mellon Collie And The Infinite Sadness”
10. Guns N’ Roses – “Use Your Illusion 1 & 2”

Bom, ele não é o meu disco favorito, mas não questiono de ser um dos mais importantes da década, senão o mais.

Adorei ver o Oasis e o Jeff Buckley! Mas claro que acho que faltou algum do Blur (mesmo não tendo nenhuma expectativa de aparecer em uma lista do EUA).

Detalhe: tenho todos! :-)

Volto mais tarde | Ao som de Pink Floyd – Vera  |