Retrospectiva 2014: Os melhores álbuns do ano, por vários blogs

2014 não foi um ano que me inspirou muito, em relação aos álbuns ali lançados.

Até que muito pouco comentei sobre eles por aqui. Na realidade, foi o ano que menos escrevi sobre música no words of leisure.

Espero que 2015 seja diferente.

Por isso mesmo, juntei aqui no blog várias listas brasileiras, com os melhores (será?) discos nacionais e internacionais.

Várias, mesmo.

Pílula Pop, Na Mira do Groove, Pergunte ao Pop, entre outros…

Vamos a elas.

Do Tenho Mais Discos Que Amigos:

discos internationais

Continuar lendo “Retrospectiva 2014: Os melhores álbuns do ano, por vários blogs”

No iPod: Where Did You Sleep Last Night, por Tanner Fryman

Para tentar animar esse dia, só música mesmo.

Doses ainda mais cavalares de música nos próximos quatro anos…

Tanner Fryman tem só seis anos de idade e foi cantar em um recital organizado pela The Music Factory, escola de música do Danny Thompson.

Qual música cantou? Where Did You Sleep Last Night, que ficou eternizada, para pessoas como eu, no acústico do Nirvana.

tanner-fryman-6-anos-nirvana

Na realidade, como bem explica o Tenho Mais Discos Que Amigos:

A música, na verdade, tem o nome “oficial” de “In The Pines”, é de autoria desconhecida e teria sido composta há quase 150 anos, em 1870.

Quem popularizou a canção foi o mestre do folk/blues Lead Belly nos anos 40 e, é claro, o Nirvana algumas boas décadas depois.

Quero uma filha assim!

Coisa mais linda, gente.

Volto mais tarde | Ao som de Nirvana – Where Did You Sleep Last Night |

Música do Dia: Fernanda Takai – Doce Companhia

Fernanda Takai = <3 <3

Julieta Venegas = <3 <3 <3 <3

Fernanda Takai fazendo versão da Julieta Venegas = <3 <3 <3 <3 <3

julieta-venegas-e-fernanda-takai

Hoje só quero silêncio
Não quero nada mudar
Quero ficar bem tranquila
E saborear esta paz

Tenho um momento de calma
Eu sinto o peso ceder
O emaranhado da vida
Já desfiz, sei por que

Fernanda Takai tocando com a Julieta Venegas, em uma mistura de Dulce Compañía com Doce Companhia??

<3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3

A foto acima eu vi na reportagem do Tenho Mais Discos Que Amigos, que falou da participação da Fernanda no show da Julieta e que pode ser lida aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Fernanda Takai – Doce Companhia |

No iPod: 37 Discos Que Você Deveria Ouvir Em Junho

Lá vem o Tenho Mais Discos Que Amigos jogar na minha cara como estou atrasada musicalmente.

Dos 37 discos que eles acham que eu deveria ouvir em junho, só escutei um.

Quem acompanha o words of leisure saberá qual.

Ou não? Será? Alguém chutaria?

Discos junho

A verdade é que de todos eles, apenas alguns de fato despertaram a minha curiosidade.

Mas, ainda assim, despertaram. Será que os ouvirei?

Para ver a lista completa, clique na figura acima.

Volto mais tarde | Ao som de Suzanne Vega – Luka  |

No iPod: Bandas Em Versões “Pôsteres Minimalistas”

Esses pôsteres minimalistas de bandas de rock, criados pela agência de design espanhola Tata&Friends, foram revelados algumas semanas atrás.

Somente hoje, limpando meu Pocket, que eu me atinei que tinha me esquecido totalmente de colocá-los aqui!

sex-pistols-poster stone-temple-pilots-poster the-doors-poster guns-n-roses-poster blind-melon-poster

Ai, que sensacional, né?

Quero todos!

Para ver outros casos, basta clicar em qualquer uma das figuras acima.

Vi no TMDQA.

Volto mais tarde | Ao som de The Thrills – Happy Time |

Música: 27 discos que você deveria ouvir em Março

Aí está a lista feita pelo Tenho Mais Discos que Amigos, com todos os álbuns que deveriam ser ouvidos no presente mês.

discos-marco-2014

Sendo bem sincera, poucos me interessaram. Mas podem ser do seu gosto, né? Então, clique na figura acima para ver quais são.

Volto mais tarde | Ao som de The Killers – Human |

Música: Os Discos Internacionais Mais Esperados Do Ano

O amado Tenho Mais Discos Que Amigos fez um post com os 50 discos internacionais mais esperados de 2014.

Ali, vi alguns discos que eu realmente aguardo com ansiedade, outras que não sabia que iam lançar algo e, claro, gente que nunca ouvi falar na vida.

Entre os que não vejo a hora de escutar coisas novas:

kasabian

KASABIAN

Em atividade desde 1997, um dos projetos mais interessantes do rock psicodélico, Kasabian, está prestes a surgir com seu quinto álbum de estúdio. A banda inglesa contou que o sucessor de Velociraptor!, de 2011, serve como resposta aos seus críticos.

Adoro!

Cliquem na figura acima para ver quais são os outros 49.

E para ler o que escrevi sobre o Velociraptor!,  em 2011, cliquem aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Kasabian – Empire |

Música: Os Discos Que Deveria Ter Ouvido em Janeiro e Fevereiro

Bom, devido ao atraso, tive que alterar os títulos do posts do Tenho Mais Discos Que Amigos, né?

Eles eram: 18 discos que você deveria ouvir em Janeiro e 22 discos que você deveria ouvir em Fevereiro

Fonte: Tenho Mais Discos Que Amigos
Os de janeiro. Fonte: Tenho Mais Discos Que Amigos
discosfevereiro-tmdqa
Os de fevereiro. Fonte: Tenho Mais Discos Que Amigos

Já comecei o ano mal, super atrasada.

Para ver quais são, cliquem nas figuras acima.

Volto mais tarde | Ao som de Eels – True Original |

Retro 2013: Os Melhores Discos Do Ano

Vou, neste post, juntar algumas listas de melhores discos do ano que vi por aí.

Sem delongas, vamos lá:

Tenho Mais Discos Que Amigos. 

os-50-melhores-discos-internacionais-de-2013

A lista do TMDQA tem alguns discos que gostei e outros que não passei perto de ouvir.

Mas concordei com a fala inicial deles:

2013 foi um ano um tanto quanto atípico.

Se em anos recentes tivemos uma quantidade considerável de discos que foram unanimidades no mundo todo, independente do gosto musical, esse ano vimos que alguns poucos nomes foram considerados como essenciais por público e crítica, o que fez com que as listas de final de ano apresentassem centenas de nomes e posições diferentes por aí.

Rolling Stones, americana.

rolling stone

The past 12 months had more great music going on than any year in recent memory. Some of the most innovative artists of the last decade — Kanye West, Daft Punk, Queens of the Stone Age, Vampire Weekend and Arcade Fire — all made watershed albums. Rock & roll greats like John Fogerty, Paul McCartney and David Bowie proved they could be as vital as ever. The EDM explosion kept blowing up thanks to artists like Disclosure and Avicii; old-school titans like Eminem and Pusha T pushed hip-hop forward alongside new-school innovators like Chance the Rapper, Earl Sweatshirt, J. Cole and Danny Brown; Kacey Musgraves and Ashley Monroe made country that was traditional and iconoclastic. But the most exciting news of the year might’ve been the astonishing number of breakout new artists, from retro-Eighties sister act Haim, to Brit-folk prodigy Jake Bugg, to indie-rockers Parquet Courts, to post-punkers Savages to chart-topping 17-year-old truth-bomber Lorde. Even Miley Cyrus’ wrecking ball of an adult-oriented breakout album was kinda awesome. Oh 2013, you gave so much and asked so little; 2014, get crackin’. You’ve got a lot to live up to.

 Blog Zambombazo

lista_mundial_los_mejores_discos_en_espanol_de_2013_610

Nuestra Lista Mundial 2013, una lista de los mejores discos iberoamericanos del año, con discos de todos los países hispanohablantes y también Brasil, Portugal, Haití y Belice.

Como dijimos el año pasado (Lista Mundial 2012), todas las escenas nacionales son diferentes y fascinantes, entonces este año hemos hecho todo lo posible para escuchar discos de todos los países iberoamericanos. ¡Esperamos que el carácter internacional de esta lista contribuya a que haya novedades para todo el mundo!

Nuestra lista de los mejores discos del 2013 se centra en los discos en español, pero también contiene discos y canciones en portugués, guaraní, garífuna, criollo haitiano, francés, inglés, bubi y fang.

Para cada disco de la lista hemos puesto la portada, el título del disco enlazado a uno de los sitios oficiales del artista o del disco, el nombre del artista, el país de origen, uno de nuestros temas preferidos y una breve descripción. La lista se ordena en orden alfabético inverso.

NME

NME-ALBUMYEAR

Para acessar as listas, clique nas respectivas figuras.

Colocarei outras que surgirem por aí. E fazer a minha, se der.

Volto mais tarde | Ao som de Ian Brown – Can’t See Me |

Retro 2013: Os melhores discos nacionais, pelo TMDQA

Várias vezes eu lamuriei aqui no words of leisure, sobre como fui relapsa com os álbuns em 2013, sobre como escrevi poucos comentários.

Pois bem, o choque maior veio ao reparar a lista do Tenho Mais Discos Que Amigos, com os melhores nacionais lançados nesse ano:

Não ouvi nenhum! Nenhum! Zero!

discosnacionais

Nem mesmo o do Amarante, que é um cara que eu gosto muito.

Lamentável.

Dessa forma, obviamente não posso tecer nenhum comentário.

Fiquem a vontade para fazer, claro!

Para ver a lista, basta clicar na figura acima.

Volto mais tarde.
Ao som de R.E.M. – Circus Envy

Música: Como Conservar Seus Vinis

No último domingo, eu estava visitando o Tenho Mais Discos Que Amigos e aproveitei para fazer o post Retro 2013: As 60 melhores e piores capas de discos, pelo TMDQA.

Pois bem, nesse passeio vi um texto que é de grande utilidade pública para aqueles que, como eu, são amantes das grandes bolhachas pretas, ou vinis.

meusvinis
Alguns dos meus. Arquivo Pessoal.

10 dicas para conservar seu disco de vinil

Entre elas:

LONGE DO PÓ

O pó é outro dos grandes inimigos dos vinis. Sujam, carregam ácaros e podem até riscar o seu disco, quando em contato com o prato da vitrola. Sempre esteja munido de uma flanelinha macia para limpar, com cuidado, o seu LP antes de colocá-lo no toca-discos.

Bora conservar nossas preciosidades, né?

Volto mais tarde | Ao som de The Cardigans – Rise & Shine |

Retro 2013: As 60 Melhores e Piores Capas De Discos, Pelo TMDQA

Como falei ontem, a partir de agora serão vários posts, com as listas de melhores e piores do ano.

Duas bem legais foram feitos pelo mais-legal-ainda Tenho Mais Discos que Amigos.

As 60 melhores capas de discos de 2013

Tem coisa bem bacana ali, como essa do The National. Linda, né?

the-national-trouble-will-find-me

Ou então, a do Travis e seu Where You Stand, comentado aqui no words of leisure.

Travis_Where_You_Stand_album_cover

Para acessar o post, basta clicar nas capas.

Em compensação, uma lista de horrores vem com As 50 piores capas de discos de 2013. E olhem que tem artistas que eu gosto muito, ali. Mas mandaram mal, mesmo. Cliquem aqui para ver.

Volto mais tarde | Ao som de Franz Ferdinand – No You Girls |

No Meu iPod: Uma Música Por Álbum – Blur

Finalmente, mais um post da sequência Uma Música Por Álbum.

Blur276

Não tinha como não começar com o The Corrs, mas desde o início o Blur estava no radar. Queria ter escrito antes do Planeta Terra, mas não consegui. Então, vamos lá. Escrever por essa banda que tanto mudou no decorrer dos anos. Positivamente.

Leisure, 1991.

blur-leisure

O álbum de estreia da banda veio na onda do Madchester e com influência do shoegaze. Ele tem She’s So High, BangThere’s No Other Way (a minha mais querida), mas como a ideia do  Uma Música Por Álbum é ir para além das músicas famosas, fico com Come Together.

Modern Life Is Rubbish, 1993.

blur modern-life-is-rubbish

Pode não ser o melhor, tecnicamente, mas o Modern Life Is Rubbish é o meu álbum favorito do Blur. O mais querido. Sem dúvida alguma.

Disco que marca o início do meu movimento musical favorito, o Britpop, que tem entre as famosas: For Tomorrow, Chemical World e Sunday, Sunday. Eu coloco aquela que dá vontade de apertar a banda inteira: Star Shaped. Fofíssima.

I feel so unecessary
(we don’t think so, you seem starshaped)

Parklife, 1994.

blur parklife

Disco que crava a banda no topo das paradas britânicas, que esquenta a rivalidade com o Oasis, mas acima de tudo: colocou a banda na história da música.

As quatro canções de trabalho ajudaram bem: Girls & Boys, End of a Century, Parklife e To the End.

O Parklife é sensacional, fica difícil escolher uma só. Mas já que me propus a esse desafio, fico com This is a Low.

The Great Escape, 1995.

blur-thegreatescape

Sucesso mais que consolidado, muitas drogas, solidão e hits: Country House, The Universal, Stereotypes e Charmless Man. Disco pra lá de especial pra mim, pois foi nessa época que conheci a banda.

Fico com a tristona Best Days….linda, linda.

Blur, 1997.

Blur

O álbum que leva o nome da banda e que tem a música que os levou a ter sucesso em locais ainda não conquistados é, na minha opinião (como tudo aqui no words of leisure), o melhor de todos.

Incrível do início ao fim, muito mais cru que os anteriores, mais rock. Tem a perfeita Beetlebum, além de On Your Own, M.O.R. e, claro, Song 2.

Como dica, a belíssima You’re So Great, composta e cantada pelo Graham. De uma simplicidade única.

 

13, 1999.

blur 13

13 é um retrato do fim do relacionamento do Damon com a Justine Frischmann, do Elastica. Que gerou frutos musicais maravilhosos, como a antológica Tender e a tristíssima No Distance Left To Run. Além de Coffee & TV e seu memorável videoclipe.

Eu escolho, como apresentação aos que não conhecem o disco, Trimm Trabb. Que ficou ainda mais querida após o Planeta Terra, já que pouquíssimas pessoas conheciam. Não era o meu caso com os meus amigos…

Think Tank, 2003.

blur think tank

O último álbum de estúdio da banda (que siso mude logo), veio a conturbada e triste saída do Graham e, consequentemente, com o domínio do Damon em todo o processo de composição/gravação. Quem conhece a banda sabe da exata importância do guitarrista e o efeito que sua saída teve.

Coincidência ou não, a minha canção favorita teve a presença do Graham. Battery In Your Leg é esplendorosa.

Banda linda. Conseguiu me fazer ainda mais fã após vê-los ao vivo.

O que acharam?

Volto mais tarde / Ao som de Blur / 

No iPod: Uma Música Por Álbum – Introdução

Há pouco tempo atrás, conheci uma parte do querido Tenho Mais Discos que Amigos que adorei: O “uma música de cada disco”.

Uma forma interessante de conhecer bandas através de suas discografias.

tmdqa-discos

Claro que não se conhece um grupo com apenas algumas músicas mas é um estímulo, né?

Gostei tanto que decidi fazer o mesmo aqui, dando o crédito da ideia ao TMDQA, óbvio.

Mas escolherei minhas bandas e músicas.

Bom, se a procrastinação não bater em excesso na porta.

Inspiração está difícil nos últimos tempos, como vocês já devem ter percebido.

Espero que gostem.

PS: para ver o trabalho feito pelo site, clique na foto acima.

Volto mais tarde | Ao som de Oasis – Let’s All Make Believe |

Música: 20 discos que você deveria ouvir em Agosto

Saiu a lista de Agosto feita pelo delicioso Tenho Mais Discos que Amigos.

Duas das bandas que eu mais gosto na vida estão ali.

Uma delas?

TRAVIS

Where You Stand

travis-where-you-stand-capa

Os escoceses do Travis estão de volta com seu primeiro disco de estúdio desde 2008, chamado Where You Stand.

O álbum foi produzido pelo próprio líder da banda, Fran Healy, e diversos formatos diferentes do trabalho estão sendo programados, como CD, DVD e vinil de 180 gramas com código de download para as faixas em formato digital.

Data de lançamento: 19 de Agosto
Gravadora: Red Telephone Box

A outra?

Bom, acho que quem acessa o words of leisure com alguma frequência não terá dificuldade de saber qual é.

Para ver a lista completa, clique aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Travis – Where You Stand |

No iPod: Os 50 Músicos Mais Gostosos Do Rock Alternativo

O pessoal do BuzzFeed fez uma lista com os 50 músicos mais gostosos do rock alternativo.

Mas como o Tenho Mais Discos Que Amigos colocou fotos melhores e a visualização é mais bacana, colocarei o link deles para que vocês possam ver quais foram os rapazes escolhidos.

Assim como 99% das listas que existem no mundo, concordo com alguns, discordo de outros.

Matt Berninger, do The National. Concordo bem.
Matt Berninger, do The National. Concordo bem.

Mas o que me impressionou é a renca que eu nem conhecia.

Eita, que tá difícil.

Para ver os outros 49 moços, para além do Matt, clique na foto.

Volto mais tarde | Ao som de Pete Yorn & Scarlett Johansson – Clean |

 

No iPod: Amizade e Música

Já que hoje é o dia do amigo, recomendo o post feito ano passado pelo Tenho Mais Discos que Amigos, sobre as 10 grandes amizades do rock.

Amizades que geraram grandes parcerias.

Tem cada coisa maravilhosa por ali.

Entre elas:

shirley-gwen

GWEN STEFANI, BRODY DALLE E SHIRLEY MANSON

Em 2002 as bandas No Doubt, Garbage The Distillers saíram em turnê conjunta e suas respectivas vocalistas, Gwen Stefani, Shirley Manson e Brody Dalle levaram milhares de marmanjos e meninas à loucura com o que havia de melhor em bandas com vocais femininos na época.

Para celebrar a união, a sempre divertida vocalista do No Doubt chamou suas colegas de profissão para uma versão de “Call Me”, do Blondie, outra banda com uma moçoila nas vozes.

Abaixo você pode ver a performance que ainda teve músicos de todas as bandas participando da festa.

Apenas para constar: inveja horrorosa de quem viu esse momento:

Para ver as outras histórias, clique aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Gwen Stefani – Cool |

Música: 21 Discos Que Você Deveria Ouvir em Julho

Já passamos da metade do ano e eu continuo mega atrasada para ouvir os discos lançados e, principalmente, postar a respeito aqui no words of leisure.

Triste.

O que me deu um pouco de calma foi ver a lista dos 21 discos que eu deveria ter escutado em Julho, do Tenho Mais Discos que Amigos, e perceber que só dois de fato me interessam.

tmdqa

Menos mal.

Para ver quais são os 21, clique na figura acima.

Volto mais tarde | Ao som de Ocean Colour Scene – One Of Those Days |

No iPod: 11 Acontecimentos Marcantes Na Carreira Do No Doubt

Quem acompanha o words of leisure sabe que o No Doubt é uma das minhas bandas favoritas e que sou muito fã da Gwen Stefani, né?

O Push and Shove foi meu álbum favorito do ano passado, algo que vocês não sabiam, afinal não fiz meu post com os meus queridos de 2012, né?

#procrastinationmodeon

Assim como a música Push and Shove foi, disparadamente, a que mais ouvi no ano que se passou.

Tenho Mais Discos Que Amigos
Tenho Mais Discos Que Amigos

Por isso mesmo, adorei o post do Tenho Mais Discos Que Amigos, 11 acontecimentos marcantes na carreira do No Doubt.

Entre eles:

O DESABAFO DE GWEN STEFANI E A GRANDE JOGADA DE MESTRE DO NO DOUBT

No Doubt - Tragic Kingdom - Front As gravadoras Interscope e Trauma lançaram no dia 10 de Outubro de 1995 o álbum mais bem sucedido e, até então, mais emotivo da história da banda: Tragic Kingdom. Com músicas que surgiram após o doloroso término de relacionamento de Tony Kanal com Gwen Stefani (eles estiveram juntos por 7 anos), o grupo cativou pessoas do mundo inteiro. Hits como “Don’t Speak“, “Spiderwebs” e “Just a Girl” levaram em pouco tempo o No Doubt ao 1º lugar das paradas mundiais e fizeram a banda dar início a uma coleção de prêmios importantes, com destaque para os Grammys.

Tragic Kingdom também foi o responsável por levar o No Doubt a excursionar pelo mundo inteiro, incluindo pelo Brasil. No final de 1997, o quinteto realizou shows históricos em Curitiba, em São Paulo e no Rio de Janeiro, apontados pela própria banda como alguns dos melhores de sua carreira.

Gostei demais!

Para ver os outros acontecimentos marcantes, basta clicar na figura lá em cima.

Volto mais tarde | Ao som de No Doubt – Easy  |