Café & TV: As 100 Melhores Séries da História, segundo jornalistas brasileiros!

Gostei de ver a lista feita por uma renca de jornalistas brasileiros para a Revista Mundo Estranho, com aquelas que seriam as 100 melhores séries da história.

Independente de concordar ou não.

Fonte: Ligado em Série
Fonte: Ligado em Série

Como foi escrito pelo pessoal do Ligado em Série:

Continuar lendo “Café & TV: As 100 Melhores Séries da História, segundo jornalistas brasileiros!”

Séries de TV: Os 107 Homens de “Sex and the City”

Inacreditável a lista feita pelo lindão do BuzzFeed!

Eles – simplesmente – fizeram um ranking com os 107 homens que Miranda, Charlotte, Carrie e Samantha dormiram durante as 6 temporadas da saudosa Sex and the City.

buzzfeed

Eu, que assisti a todos os episódios, reagi em algumas vezes com “nossa, é mesmo…teve esse cara!”

Principalmente, os das primeiras temporadas.

E os da Samantha.

Muito bom!

satc

Para ver a lista completa, clique em algumas das figuras acima.

Volto mais tarde | Ao som de Oasis – My Sister Lover | 

No Meu iPod: Coletâneas do Keane, The Killers e Dido

Três bandas/artistas que eu gosto muito lançaram coletâneas nesse final de ano.

Dido – Greatest Hits

Dido-Greatest-Hits-2013-1500x1500

Em 2013, a Dido lançou não somente o Greatest Hits, mas também o Girl Who Got Away, que foi comentado aqui no words of leisure.

Não tem como discordar com as músicas selecionadas, porque são elas as mais famosas mesmo. Mas como conheço a carreira dela toda, não tenho como não pensar nas que não entraram, como Isobel.

Continuar lendo “No Meu iPod: Coletâneas do Keane, The Killers e Dido”

Hoje…Algum Tempo Atrás: Os 15 Anos de Sex and the City

Li no Ligado em Série: há exatos 15 anos atrás, ia ao ar o primeiro episódio de Sex and the City.

sex-and-the-city-002

Essa é uma série bem 8 ou 80, né? Há os que amam e os que odeiam.

Eu estou no primeiro grupo. Definitivamente.

Lembro de ver em uma reportagem uma vez: ao contrário do que muitos pensam, não era um programa com quatro protagonistas….NY era tão fundamental quanto Carrie Bradshaw, Samantha Jones, Charlotte York e Miranda Hobbes.

Cidade que eu aprendi amar com a maior facilidade do mundo e que foi retratada maravilhosamente na série. Como é linda a Nova Iorque de Sex and the City;

Personagens que mostravam uma independência feminina que incomodava demais aos rapazes (sim, estou generalizando). Sexo, e a forma em que as mulheres o encaram, mostrado como poucas vezes antes;

Roupas lindas, lindas, lindas;

Texto divertido;

E a música de abertura? Adorava quando tocava!

Quantas séries já surgiram depois, visivelmente inspiradas em Sex and the City?

Muito legal saber que tudo começava há 15 anos…

“Once upon a time, a british journalist who came to New York…”. Essa foi a primeira frase dita pela atriz Sarah Jessica Parker como Carrie Bradshaw, personagem que marcou sua carreira eternamente. Não, não era a Carrie que chegava em Nova Iorque. Carrie estava contando outra história, de outra jornalista, mas que facilmente poderia ser a sua história. E essa é a beleza de Sex and the City. Uma comédia simples sobre quatro mulheres independentes entre 30 e 40 anos, e que facilmente pode ser adequada a situações que você, cara leitora, já viveu.

Gostei muito desse trecho. Concordo, óbvio.

Sex and the City afetou absurdamente o comportamento da sociedade durante os anos em que foi ao ar. Em determinado episódio da primeira temporada, Miranda apresenta para as três amigas seu “amiguinho” quando estava solitária: um vibrador. O modelo utilizado na série ficou conhecido no mundo todo, inclusive a venda de vibradores aumentou consideravelmente na época. Além de Sex and the City falar abertamente sobre sexo, quebrando assim muitos tabus e gerando discussões entre os mais conservadores, a produção também serviu para apresentar uma Nova Iorque esplendorosa, que virou sonho de consumo para muitos. Não é por menos que foi lançado um livro chamado “A Nova York de Sex and the City”, que destaca todos os bares, boates, cafés, restaurantes e afins que já foram citados ou apareceram na série (você pode comprar o livro aqui). Afinal, muitos locais ficaram extremamente disputados após virarem referência na comédia.

Para ver o texto do Ligado em Série, clique aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – Uninvited |

No Meu iPod: Dido, “Girl Who Got Away”

Uma das grandes críticas que a Dido tem sofrido nos seus últimos álbuns é que eles são “mais do mesmo”. Que não há muita variação.

Dido Girl Who Got Away

Eu não exatamente discordo da crítica. Mas ainda assim: gosto tanto dela!

Continuar lendo “No Meu iPod: Dido, “Girl Who Got Away””

Séries de TV: Mais de Girls

Escrevi sobre Girls alguns dias atrás.

No domingo, ela recebeu bons prêmios no Globo de Ouro.

golden-globes-girls

Sempre recomendo posts do Gustavo Chacra ligados às Relações Internacionais.

Mas ontem, ele escreveu no Estadão sobre a série.

TV* SONHOS E REALIDADE

Não concordo muito com o lado de criticar Sex and The City para exaltar as meninas, mas ainda assim, vale ler.

“Para muitas mulheres jovens de todo o planeta, morar em Nova York era o sonho de ter uma vida parecida com a de Carrie Bradshaw, de Sex and The City. Ao desembarcar na cidade, porém, a realidade delas acaba mais próxima da de Hannah, a personagem interpretada por Lena Dunham, diretora, roteirista e criadora da revolucionária Girls, da HBO, que deu a ela o prêmio de melhor atriz e melhor série no Globo de Ouro.”

Volto mais tarde | Ao som de Dido – Slide |

Séries de TV: Apenas um Lembrete da Carrie

Especial para os fãs de Sex and the City, como eu.
Mas não somente.

20121202-235519.jpg

“Não se esqueça de se apaixonar por si mesma, em primeiro lugar”

Retirado do Instagram do Hellogiggles, que já foi tema de post aqui no blog.

Volto mais tarde | Ao som de The Corrs – The Right Time |