Café & TV: Filme, “O Melhor Lance”

PS: Gente, vi esse filme em julho, comecei a fazer o post e me esqueci totalmente dele… a tal da velhice é complicada…

Certo dia, uma amiga recomendou a mim e outra amiga, que assistíssemos a certo filme que ela tinha visto na noite anterior e adorado.

Sabe quando você vai assistir sem ter a mínima noção do que vem pela frente?

Quando falo mínima, é mínima mesmo. Tipo, não sabia nem se era drama, comédia, terror…

E sabe quando você acaba vendo algo que te surpreende muito e você fica feliz da vida? Pois é, foi assim com O Melhor Lance.

o-melhor-lance

Por trás de um segredo, tudo pode ser falsificado. 

A sinopse eu tirei do Adoro Cinema:

No mundo dos leilões de arte e antiguidades de alta qualidade, Virgil Oldman (Geoffrey Rush) é um conhecido e apreciado especialista em arte. Ele é contratado por uma jovem herdeira, Claire Ibbetson (Sylvia Hoeks), para leiloar a grande coleção de obras de arte deixada por seus pais. Mas, por alguma razão, Claire sempre se recusa a ser vista pessoalmente. Robert (Jim Sturgess), que ajuda Virgil a restaurar e montar algumas peças mecânicas antigas que encontra na casa da moça, também lhe dá conselhos sobre como ganhar sua confiança e lidar com os sentimentos que tem em relação a ela.

Como já falei várias vezes, não entendo e não sou de assistir tantos filmes quanto gostaria. Mas quem me recomendou foi a Emilia, do Entrelinhas. Aí….

Espero que esteja disponível da Netflix Brasil ou em outro lugar…

Gostei bem.

Fica a dica.

Volto mais tarde | Ao som de Ray Davies – Days / This Time Tomorrow (with Mumford & Sons) |

Coluna da Primogênita: Dicas de BH – Os Meus Pães Favoritos Na Cidade

Intolerantes ao glúten, não me ofenderei se vocês saírem deste post agora, pois este será uma ode ao pão! Ao pão de verdade, artesanal que desde os tempos mais remotos nutre a humanidade.

Foto: Acervo Pessoal Bagueteria Francesa

Foto: Acervo Pessoal
Bagueteria Francesa

Continue reading

Café & TV: Séries de TV, “Making a Murderer”

Uai, e não é que tem post novo por aqui??

making-a-murderer-netflix-poster

Sobrou um tempo para escrever e eu estava me corroendo por não postar sobre Making a Murderer.

Continue reading

Trailer do Dia: What Happened, Miss Simone?

Ontem, eu coloquei como Música do Dia a belíssima versão que a Ms. Lauryn Hill fez para Feeling Good, da Nina Simone.

Lá, coloquei o trailer do documentário que a Netflix produziu, o What Happened, Miss Simone?, que conta a história dessa que foi uma das maiores da história da música.

115850

A repetição de tema, aqui no words of leisure, é muito simples: o trailer não poderia ficar escondido dentro de outro post.

Coisa linda!

O álbum Nina Revisited: A Tribute to Nina Simone que tem a versão da Ms. Lauryn Hill, entre outros, será lançado no dia 10 de julho.

Já o documentário, What Happened, Miss Simone?, entrará no catálogo da Netflix no dia 26.

Volto mais tarde | Ao som de Nina Simone –   |

Música do Dia: Ms. Lauryn Hill – Feeling Good

Gente, e esse cover da Ms. Lauryn Hill para Feeling Good, da Nina Simone??

Aos que não sabem, aquele serviço que ainda vai acabar com a minha quase nula vida social – sim, a Netflix – vai lançar um documentário sobre a magnífica Nina, o What Happened, Miss Simone?.

115850

Vários artistas foram recrutados para a trilha sonora.

Gostei demais da versão.

Enfrentar uma das maiores músicas de todos os tempos, com uma das maiores da história…não deve ser fácil

Abaixo, o arrepiante trailer.

Can’t wait!!

Volto mais tarde | Ao som de Ms. Lauryn Hill – Feeling Good |

Café & TV: Séries de TV, “Orange Is The New Black”

Quando escrevi sobre Veep aqui no words of leisure, falei sobre um comentário geral que tem sido feito nos últimos tempos, sobre como estamos vivendo uma era de ouro na televisão mundial.

A quantidade de séries de extrema qualidade que estão sendo feitas é, verdadeirmente, de impressionar.

Por exemplo, a própria VeepHouse of Cards, Mad Men, Game of Thrones, The Americans, The Good Wife, True Detective, a já encerrada Breaking Bad, entre outras.

Também está nessa lista: Orange Is The New Black (OITNB, para facilitar a vida)

Indubitavelmente, uma das séries mais corajosas que já se foi feita por aí!

Orange-Is-The-New-Black-Poster-Wallpaper  Continue reading

Café & TV: Filmes, “Chef”

Já falei algumas vezes, aqui no words of leisure, que tenho fé que o NOW e a Netflix darão uma salvada na minha vida cinematográfica. Tem funcionado razoavelmente bem, visto que minhas idas ao cinema estavam sendo rebaixadas ao nulo.

Algumas semanas atrás, estávamos aqui em casa e queríamos ver um filme tranquilo. Eis que apareceu o Chef na nossa frente e cumpriu sua função.

Chef-Poster

Continue reading

Café & TV: 10 filmes franceses para ver na Netflix

O words of leisure é intrínsecamente ligado às Relações Internacionais, em todas as suas formas.

Já coloquei dicas de filmes mexicanos a serem vistos na Netflix e agora está na hora dos franceses.

A lista veio do Catraca Livre. Dentre eles, já vi e recomendo horrores, pois amo: PiafOs Intocáveis e o muito amado O pequeno Nicolau.

O-Pequeno-Nicolau-2

Para ver quais são os outros filmes, basta clicar na figura acima.

Ou aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Kasabian – La Fée Verte |

Café & TV: Filmes mexicanos na Netflix

Tem como escrever post sobre o México sem ouvir Julieta Venegas? Não, né? Ok.

Os diretores mexicanos estão com tudo, não há como discordar.

Para ler sobre o assunto, clique aqui.

2000px-Netflix_logo.svg

Pois bem, ontem vi no blog Latinidade o post, Filmes mexicanos para ver na Netflix.

Eu não tenho como recomendá-los, como sempre.

Mas como fiquei com vontade de assistir alguns deles, penso que o mesmo pode acontecer com vocês.

Então, cliquem na figura acima, para ver a lista.

Volto mais tarde | Ao som de Julieta Venegas – Volver a Empezar |

Dica de Leitura: “A estúpida estratégia de dublagem do Canal Sony”, por Bruno Carvalho

O Bruno Carvalho, do querido Ligado em Série, publicou o texto A estúpida estratégia de dublagem do Canal Sony, que faço questão de recomendar por aqui.

Retirado do post do Ligado em Série

Retirado do post do Ligado em Série

Essa não é a primeira vez que me posiciono contra a decisão de canais de TV, como vocês podem ver aqui e aqui.

Não tenho o menor problema que a dublagem seja uma opção.

Começo a ter um problema quando ela passa a ser a primeira opção. Mas, ainda assim, se o áudio original e a legenda estiverem ali de fácil acesso, ok.

Entretanto, agora que estão colocando a dublagem como primeira e, o pior, única opção para assistirmos séries e filmes, aí eu passo a ter problemas demais. Principalmente porque paga-se para ter esses canais.

Não consigo mesmo entender essa estratégia.

Cada vez mais, os canais de TV estão perdendo espaço. Tanto para a Netflix, por exemplo, quanto para os downloads ilegais.

Aí, como decidem encarar a questão? Afastando ainda mais o público!

Um dia, liguei a TV no Sony e passava uma propaganda de Grey’s Anatomy, dublada, que doía na alma assistir.

Em outro momento, passava Revenge, também dublada. Ao tentar mudar, só tinha o áudio original, mas sem legendas.

Se a exibição estivesse acontecendo apenas para mim, não teria problema. Mas sei muito bem que essa minha condição, de ser apta a ver um programa em inglês, sem legendas, é algo restrito a uma parcela muito pequena da população brasileira.

E, como falei acima, essa população que quer ver TV com o áudio original e legendas está pagando pelo serviço.

Um absurdo!

Sempre gostei demais do Sony. Sem contar que quem acompanha o words of leisure sabe muito bem o tanto que gosto de ver séries de TV.

Mas assim, fica difícil.

Leiam o texto do Ligado em Série. Basta clicar na figura lá em cima, ou aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Nina Persson – The Grand Destruction Game |

Vídeo do Dia: Sílvio Santos e a Netflix

Sério, Silvio Santos é muito #mito.

A resposta da Netflix Brasil, via twitter?

Sensacional.

Em seguida, a reposta do Reed Hastings, dono da Netflix:

Sensacional twist carpado.

Volto mais tarde | Ao som de The Libertines – The Ha Ha Wall |

Café & TV: O que ver na Netflix, no Carnaval | E Infográfico…

O words of leisure é um blog extremamente comprometido, por imagem e semelhança, com aquelas pessoas que amam o Carnaval.

Para dormir.
Para ficar trancado em casa.
Que as saídas dessa sejam para uma piscina, restaurante, bar, cinema…

No máximo.

Então, o sábado já se foi, mas ainda há tempo.

A própria Netflix fez um infográfico, para mostrar quais séries estão no catálogo e para que, assim, você possa se amarrar no sofá e ficar de boa.

netflix-info

Muito bom.

Sem contar que o Ligado em Série, na sua coluna Netflixing, fez uma relação de séries e filmes a serem assistidos por lá.Bem legal.
Para acessar, basta clicar aqui.

E, para finalizar, tem também o posts do words of leisure, Dicas de Filmes: 50 Filmes Para Assistir Na Netflix. Não custa relembrar né?

E viva a reclusão!

Volto mais tarde | Ao som de Julieta Venegas – Me Voy |

Café & TV: Presidente da Netflix diz que pretende lançar 20 séries por ano

Cacilda, acabo de ler o post do Série Maníacos, Presidente da Netflix diz que pretende lançar 20 séries por ano!

netflix-series

Fica a pergunta:

Como terei vida, assim??

Para ler a notícia, clique na figura acima.

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – Space Can Come Through Anyone |

Retrospectiva 2014 wol: Os posts mais acessados

2014 foi um ano que não consegui fazer tantos posts quanto gostaria, por motivos diversos. Poucos comentários sobre álbuns, poucos TED Talks, poucos Hoje…Algum Tempo Atrás e por aí vai.

C’est la vie.

Com isso, as Tirinhas do Dia, Frases do Dia, Músicas do Dia acabaram ficando mais em evidência. Veremos como será 2015.

Pois bem, deixando o lamento de lado, coloco abaixo os posts mais acessados em 2014, que foram escritos neste ano.

5. Frase do Dia: Robin Williams e a Pior Coisa da Vida

5Robbie-Vida

Continue reading

Dicas de Netflix: Dicas de filmes e séries para o final do ano

Um dos posts mais acessados nesse ano, no words of leisure, foi o Dicas de Filmes: 50 Filmes Para Assistir Na Netflix.

Totalmente compreensível, já que por mais que a Netflix esteja melhorando cada vez mais aqui no Brasil, ela ainda peca pelo acesso que dá a sua base de dados. Ainda é difícil saber tudo que está ali disponível.

ligadoemserieavatar

Então, com o mesmo intuito do post anterior – de ajudar – recomendo que vocês acessem o texto feito lindão do Ligado em Séries:
Netflixing | Novidades e dicas de filmes e séries para o fim de ano na Netflix!

Parece que será algo constante, então, vale a pena ficar atento.

Entre as séries recomendadas está a mais que maravilhosa The Good Wife que não cansa de me surpreender. Suas cinco primeiras temporadas estão lá! Assistam!!

Para ver a lista completa deles, basta clicar na figura acima.

Volto mais tarde | Ao som de Belle And Sebastian – Calculating Bimbo |

Dicas de Filmes: 50 Filmes Para Assistir Na Netflix

Eu sou assinante do Netflix e, justamente por isso, concordo plenamente com o parágrafo inicial da reportagem do Zero Hora, com os 50 filmes que você tem que assistir na Netflix:

É conhecida uma piada que diz que o assinante do Netflix passa mais tempo escolhendo o filme a que vai assistir do que, de fato, o assistindo. Isso porque o catálogo do serviço de streaming é gigante e a organização dos títulos no site ou nos aplicativos não é das melhores.

#fato

Por essas e outras que eu fiz o post aqui no blog recomendando o UpFlix. aplicativo que avisa quais são os filmes que entram na lista do serviço.

E, justamente nessa mesma toada, que sugiro uma lida na reportagem do Zero Hora. Há filmes ali que eu não sabia que estavam disponíveis.

francesha

E tem também o Frances Ha, que já foi recomendado aqui no blog, como pode ser visto ao clicar na foto acima.

Já para ler a matéria do Zero Hora, basta clicar aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Suede – High Rising  |

Dica de App: Upflix

Certa vez, comentei aqui no words of leisure: Netflix acabará com o pouco que me resta de idas ao cinema.

Também aqui no blog, recomendei a excelente Revista iThing.

Pois bem, o presente post é uma junção de tudo isso, já que fui conhecer o aplicativo Upflix na Revista.

upflix2

Ele é uma mão na roda para os que fazem uso da Netflix, já que divulga – quase todos os dias – quais são os filmes, documentários e séries que são incorporados à base de dados da empresa.

E visto que um dos grandes problemas da Netflix ainda é o acesso à sua base, o Upflix torna-se bem importante.

Tem versão gratuita e paga, esta sem propagandas. Está disponível para iPad, iPhone, iPod. Também para Android.

Para download, clique na figura acima.

Muito bom. Fica a dica.

Atualizado em outubro/2014:

Durante o ano o Upflix apresentou algumas instabilidades, mas agora parece ter voltado ao normal. Veremos.

Volto mais tarde| Ao som de Nina Persson – Animal Heart | 

Café & TV: Séries de TV, “House of Cards”

Um grande amigo (que coisa boa na vida, poder chamar uma pessoa que já foi meu chefe de grande amigo) insistiu, por um bom tempo, que deveria assistir House of Cards o mais rápido possível.

A quantidade de programas que assisto me fez postergar a ação por um tempo, mas na última semana de 2013 eu comecei, como pôde ser visto no post Minha Retro 2013: As Minhas Séries de TV.

A única certeza que tenho é que se tivesse começado a ver antes, ela teria entrado muito bem posicionada na minha lista.

Simplesmente, pelo fato de House of Cards ser uma das séries mais bem feitas que já vi. Sensacional é o mínimo que posso escrever sobre ela.

House_of_Cards_title_card

Cenários e fotografia impecáveis! Roteiro: idem.

O Netflix tem se mostrado um grande produtor de séries, hein?

E o elenco?? Honestamente, um dos melhores que já vi na vida. Todos são, no mínimo, excelentes.

322416_house-of-cards-cast

Confesso que conhecia mais a Robin Wright por ser a ex-esposa do Sean Penn que pelo seu trabalho como atriz. E a mulher é incrível.

Já sobre o Kevin Spacey, honestamente, palavras faltam. O homem está fenomenal como Francis Underwood.

Suas interações com a câmera são lindas demais.

Personagem esse que, já nas primeiras cenas, vê seu prometido cargo de Secretário de Estado entregue a outra pessoa. Está até no trailer de divulgação.

As tramas que surgem após isso mostram todo o lado de conchavo, manipulação e corrupção em torno da política. No caso, a americana. Mas….

E o melhor (ou seria “pior”) de tudo isso? A gente torce, completamente, pelo Deputado Underwood. Independente do quão sujo ele seja.

Acho que a última vez que me vi recomendando uma série com tanta vontade foi quando The Good Wife começou.

Pois bem, faço o mesmo com House of Cards, mas com muito mais vigor.

Como mencionado acima, a série é transmitida exclusivamente pelo Netflix. A primeira temporada teve 13 episódios e a segunda começará no próximo dia 14.

O trailer desta já me deixou com aquele horror de pensar que ainda faltam alguns dias para ver a sequência. Que não posso ver agora.

E a terceira já está confirmada!

Assistam, assistam, assistam!

Volto mais tarde | Ao som de Bush – Swallowed |

Café & TV: Cinema, “O Mordomo da Casa Branca”

Ainda não consegui chegar a uma conclusão, em relação ao Netflix (no que diz respeito a filmes, obviamente). Ou:

  • Ele salvará a minha vida e eu, finalmente, passarei a ver aqueles que gostaria;
  • Ele acabará com ela, já que praticamente não irei mais às salas de cinema.

Quando souber a resposta, avisarei aqui.

O fato é que, assim como em todos os anos, eu comecei 2014 com a intenção de ver mais filmes e, com isso, decidi ver O Mordomo da Casa Branca que já está lá disponível.

mordomocasabranca

Não é curto, são mais de duas horas. Que por ser baseada em uma história real, conseguiu me prender bem.

Ver o crescimento do personagem paralelamente à História dos EUA foi muito interessante. São relatados ai: o movimento de direitos civis, a morte do JFK, os Passageiros da Liberdade, KKK, a Guerra do Vietnã,  Martin Luther King, os Panteras Negras, entre outros.

Algumas cenas são impressionantes, como a da resistência dos negros para serem servidos junto aos brancos em uma lanchonete, em contraposição aos jantares presidenciais na Casa Branca.

Forest Whitaker está impecável e a Oprah Winfrey me surpreendeu muito como atriz, já que eu nunca vi A Cor Púrpura. Excelente.

E o elenco, em geral, todo muito bom também.

Só o final que achei um pouco sem graça.

Não é do tipo “imperdível” mas é bom.

Abaixo, o trailer:

Volto mais tarde | Ao som de The Knack – My Sharona |

Café & TV: Filme, “Frances Ha”

Frances-Ha-Poster

Um único motivo me levou a assistir Frances Ha, na Netflix: o fato dele ter estado em várias listas dos “melhores filmes de 2013”.

Seja em sites que gosto, ou em listas de amigos que respeito muito, no Facebook.

E assim, como quem não quer nada e sem ter ideia sobre o que se tratava, assisti àquele que foi sim, um dos meus filmes favoritos de 2013.
Mas, no meu caso, há um grande problema de referência, né? Assisti a pouquíssimos. Ainda assim, foi um dos que mais gostei.

Um filme de uma simplicidade adorável, com ótimos diálogos e uma trilha sonora sensacional.

Conta a história da Frances, sua amizade com Sophie e os relacionamentos em uma grande cidade, no caso, a amada Nova Iorque. Greta Gerwig, atriz principal e roteirista, conseguiu me cativar na sua luta em ser recém formada mas sem grana para tocar seus projetos. A menina é ótima!

Como não sou crítica de cinema, pararei por aqui porque não consigo seguir em frente sem “entregar o ouro”.
Mas vale muito a pena ver.
Adorável.

Abaixo, o trailer. Animem-se, com ele.

Volto mais tarde | Ao som de No Doubt – One More Summer |