Coluna da Primogênita: Viagens Musicais – Feist, Rio de Janeiro

Quando a Viviane me pediu para escrever esse post, tive muita dificuldade em como o elaboraria. Isso porque apesar de gostar muito de música, não me sinto à vontade de escrever sobre o assunto. Não tenho conhecimento técnico suficiente e a criadora deste blog fala com tanta desenvoltura sobre o tema, que me sinto intimidada. Então optei por contar sobre experiência de viajar para assistir um show de rock, tentando fazer um link com o foco da minha coluna aqui no words of leisure.

Continuar lendo “Coluna da Primogênita: Viagens Musicais – Feist, Rio de Janeiro”

Retrospectiva 2011 wol: Os Melhores Álbuns Do Ano

Na minha retrospectiva dos melhores filmes do ano, eu acabei não fazendo uma, né? Afinal, poucos eu vi.

Mas o mesmo não acontecerá com os melhores álbuns. Óbvio que não.

Em 10o lugar, o belo retorno do Cake

Continuar lendo “Retrospectiva 2011 wol: Os Melhores Álbuns Do Ano”

No Meu iPod: Feist, “Metals”

Adoro, adoro, adoro quando um artista sai de sua zona de conforto e tenta algo diferente.

Feist fez isso… e muito bem.

Feist Metals

Leslie Feist não foi uma artista que me conquistou de cara. Passei a ouvir por causa da primogênita mas por muito tempo tive poucas músicas no meu computador.

Até que, certo dia, Inside and Out tocou e eu ouvi umas 500 vezes seguidas. Sem nenhum motivo aparente, afinal já a tinha escutado várias vezes. Simplesmente, bateu. Desde então, a moça entrou na lista das minhas cantoras favoritas, com todos os discos no meu iTunes.

Feist me dá vontade de mexer o corpo, afinal, não posso falar que o que eu faço é dançar. Só que isso mudou com o Metals.

A sensação que me dá é que o disco é menos feliz que os anteriores, mas belíssimo. Ela poderia manter o que sempre fez e, certamente, teríamos um excelente trabalho. Mas mudou. E eu sempre acho que isso, o risco, é algo digno de aplauso. Ainda mais quando o resultado é tão bom assim.

The bad in each other é linda e, no momento, leva o título de música favorita. Mas isso sempre muda, como insisto em escrever em todas as minhas “Opiniões” sobre os discos que escuto.

A voz dessa Ex-Broken Social Scene (essa ainda não “bateu” em mim) está mais bonita do que nunca.

Se vier ao Brasil eu vou fácil. Quem me acompanha? Primogênita e quem mais?

Abaixo, The bad in each other, ao vivo no Programa do Jools Holland.

Volto mais tarde | Ao som de Feist – It’s Cool to Love Your Family |

Música do Dia: Feist – How Come You Never Go There

Disco novo da Feist tocando várias vezes no meu iTunes. Depois escreverei sobre ele mas, por enquanto, deixo uma apresentação dela no programa Jimmy Kimmel Live.

Feist - How Come You Never Go There

Moça boa de serviço, hein?

Volto mais tarde | Ao som de Feist – How Come You Never Go There |