Frase do Dia: Steve Jobs e o sonho deixado pra trás

Para refletir, né?

stevejobs-sonhodeixado

Volto mais tarde | Ao som de Keira Knightley – Lost Stars |

Anúncios

Café & TV: Filme, “Mesmo Se Nada Der Certo”

Nunca antes na história do words of leisure eu fui ver um Oscar vendo três filmes que concorriam a alguma estatueta.

Os outros dois, Whiplash e O Grande Hotel Budapeste, mandaram muito bem. Mesmo Se Nada Der Certo concorreu com Melhor Canção e não ganhou.

beginagain01

Sem problemas, o filme é recomendável, independente disso.

Continuar lendo “Café & TV: Filme, “Mesmo Se Nada Der Certo””

Cinema: 10 Grandes Romances De Época

Em uma semana que só está dando Música por aqui (coisa linda), vou dar um tempo por conta do post do Adoro Cinema.

A lista com os 10 grandes romances de época reflete a minha realidade de sempre. Não vi a maioria mas, ao mesmo tempo, tem ali a adaptação para a telona de um dos meus livros favoritos. E este sim: li e assisti!

Orgulho e Preconceito (2005)

orgulhopreconceito

Antes de interpretar uma esposa infeliz a adúltera em Anna Karenina (2012), Keira Knightley ainda fazia o papel de uma jovem adulta em Orgulho e Preconceito (2005). A trama se passa no final do século XVIII, quando o sonho da maioria das garotas era encontrar um homem rico que lhe garantisse um bom futuro. Mas Elizabeth (Knightley) não quer seguir os planos impostos pela família, apaixonando-se por um homem tímido e misterioso (Matthew MacFadyen).

Orgulho e Preconceito, do mesmo diretor de Anna Karenina, confirmou o gosto de Keira Knightley por produções de época. Ela já tinha interpretado o papel feminino principal em Rei Arthur (2004) – filme mais voltado para a ação do que para o romance -, mas depois experimentou outros romances clássicos em Desejo e Reparação(2007) e A Duquesa (2008).

Amo.

Para ver os outros nove, clique na figura acima.

Volto mais tarde | Ao som de Justin Timberlake – Only When I Walk Away |

SalvarSalvar

Hoje…Algum Tempo Atrás: Os 200 Anos de “Orgulho e Preconceito”

Incrível pensar como um livro, 200 anos após ter sido escrito, consegue permanecer relevante.

Esse é Orgulho e Preconceito, de Jane Austen. Definitivamente, um dos meus favoritos na vida.

Eu, a minha mão e a minha cópia
Eu, a minha mão e a minha cópia

PS: antes de continuar, um detalhe. Sempre deixei claro, aqui no words of leisure, o tanto que meu pai tem impacto no meu gosto musical. Pois bem, esse post eu dedico a minha mãe e avó, por me darem o amor aos livros.

Continuar lendo “Hoje…Algum Tempo Atrás: Os 200 Anos de “Orgulho e Preconceito””

Café & TV: Filme, “Apenas Uma Noite”

Ontem, após trânsito e chuva, fui ao cinema ver Apenas Uma Noite. Não quis esperar até segunda para escrever a respeito porque, ao menos aqui em BH, ele está com poucas sessões.

E como eu acho que vale muito a pena…

 

  Continuar lendo “Café & TV: Filme, “Apenas Uma Noite””

Cinema: Trailer de Anna Karenina

Aí está o trailer do Anna Karenina, obra de Tolstói adaptada para o cinema, com a Keira Knightley no papel principal.

Será que dá tempo de ler o livro inteiro antes da estreia?

Bom, provavelmente sim, considerando que eu sou uma pessoa que não vai às salas, né? Não verei na estreia, e sim, daqui uns 20 anos.

Aliás, vocês se lembram da minha promessa do ano passado? Ir ao cinema ao menos uma vez ao mês?

Pois é, já estamos no final de junho e só fui uma vez! Em um momento citado aqui no blog. Fracasso total!

Volto mais tarde.

Ao som de Arcade Fire – Haiti