Dica de App: Today In History, gratuito hoje!

Recebi a notícia que um aplicativo chamado Today In History está gratuito apenas hoje, na App Store.

Sim, é uma versão em app para o “super amado, super líder de audiência e muito menos atualizado que gostaria”: Hoje…Algum Tempo Atrás.

Teoricamente, não tenho mais motivo para não atualizar o words of leisure, né?

Bom, teoricamente…

tih

Como baixei hoje, não tenho como opinar de forma mais profunda, mas me pareceu legal.

Então, aos amantes de história, vale a pena conferir.

De graça, né?

Para baixar, basta clicar na foto acima.

Volto mais tarde | Ao som de U2 – Van Diemen’s Land |

Café & TV: Séries de TV, “Downton Abbey”

Hoje, Downton Abbey retorna, já na sua quinta temporada.

Exatamente ontem, eu consegui ficar em dia. Finalmente!

Downton-Abbey-

A melhor descrição que vi dela?

“A melhor Abbey, desde Abbey Road” (Entertainment Weekly)

Continuar lendo “Café & TV: Séries de TV, “Downton Abbey””

Café & TV: 50 Filmes Para Conhecer Criticamente a História

Muito interessante o post “50 filmes para conhecer criticamente a História”. Como disse o Guilherme Antunes, que fez a lista:

Olá galera, preparei uma lista com alguns filmes para quem adora História. Um filme quando vai abordar algum contexto histórico ele utiliza recursos pedagógicos para uma maior aproximação, entretanto, é válido lembrar das vinculações ideológicas em determinadas obras. Por vezes, um filme tem mais a dizer sobre o momento em que foi produzido do que a época que pretende retratar.

Bom, todos que frequentam o words of leisure com alguma frequência sabem que eu sou muito ruim com filmes, não vi a maioria que está ali.

Mas assisti, e recomendo, esse aqui, por exemplo:

emnomedopai

O abaixo nem precisa comentar, né? Incrível!

temposmodernos

“O Nome da Rosa”, também sensacional.

nomerosa

“A Culpa é do Fidel!”….muito, muito, muito bom!

fidel

Então, quem gosta de Cinema e de História, vale a pena dar uma olhada no post. Para tanto, clique aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Pearl Jam – Yellow Ledbetter |

Hoje…Algum Tempo Atrás: A Fundação do Império do Japão

“O Japão celebra a cada dia 11 de fevereiro, a data nacional de sua fundação. Foi nesse dia que, no ano de 660 antes de Cristo, segundo a versão oficial, o imperador Jinmu Tenno, no dia de Ano Novo do calendário lunar, fundou o Império do Japão e se autoproclamou seu primeiro imperador. O trono teria sido ocupado por ele por 76 anos até o dia de sua morte, em 585 a. C., quando Jinmu – cujo nome significava literalmente “Guerreiro Divino” – já tinha alcançado 127 anos.”

Emperor Jimmu

600. a.C.!

Para ver o relato completo, feito pelo Opera Mundi, clique aqui.

Volto mais tarde.

Ao som de Arcade Fire – Rebellion (Lies)

Na Minha Estante: Leandro Narloch, “Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil”

Minha atenção foi fisgada por esse livro desde que fiquei sabendo dele, no ano passado. Duas palavras me atraíam fortemente: politicamente incorreto. Adoro.

Mas foi neste ano, em um happy hour com colegas de trabalho, após uma discussão visceral entre alguns dos participantes que a decisão da compra ficou inadiável.

Minha mão e meu livro…

Sim, eu sou mais uma das pessoas que acham que o mundo é infinitamente mais interessante pelas perguntas que nos faz do que pelas respostas que nos apresenta.

E o Leandro Narloch conseguiu me trazer questionamentos em todos os capítulos do livros (alguns mais que outros, óbvio), e já virei fã do rapaz simplesmente por isso.

Ao ler o Guia eu tinha ânsias de estudar a História do meu País toda de novo.

Aliás, essa era uma das únicas disciplinas que eu gostava na escola, mas ainda assim, me incomodava o fato de que antes mesmo de entrar na faculdade de Relações Internacionais, eu sabia muito mais da História mundial que a do Brasil.

Esta é mal dada, né? E olha que eu frequentei um dos melhores colégios de Belo Horizonte.

De todos, o capítulo que mais me impressionou foi, sem dúvidas, o relacionado à Guerra do Paraguai.

Leandro afirma: “Este livro não quer ser um falso estudo acadêmico, como o daqueles  estudiosos, e sim uma provocação“.

Ele me provocou por completo, pois, se tudo aquilo que afirma for o mais próximo do que verdadeiramente aconteceu, deveremos todos queimar os livros que nos deram para estudar, afinal, a discrepância é gigante.

Outros capítulos que eu gostei muito foram EscritoresSambaImpério.

Leandro Narloch conseguiu me deixar nervosa, aflita, instigada.

Devorei o livro rapidinho.

Recomendo.

Aos que gostam de ser provocados, claro.

Volto mais tarde | Ao som de The National – Racing Like Pro |