Dica de Podcast: Presidente da Semana

Meu último post foi sobre procrastinação.

Já este, eu queria ter escrito desde julho, se não me falha a memória.

É a vida…

presidente-da-semana.jpg

Acho que, antes de começar a minha dica, vale falar o que é um podcast, aos que não conhecem.

Tiro a definição do Viver de Blog:

Podcasts são programas de áudio (podem ser de vídeo também), distribuídos através de um feed RSS, que permite que o usuário ouça o conteúdo online.

Ou seja, o download vai sendo feito conforme você escuta, mas também pode ser baixado no formato MP3 ou algo do gênero para o aparelho de sua escolha, como um computador, celular ou tocador de MP3.

O termo podcast surgiu por causa do iPod, após a descoberta de como transferir esses arquivos de áudio disponíveis apenas em RSS para o iTunes.

Especificamente, o Presidente da Semana foi uma série da Folha de São Paulo criada e produzida pelo jornalista Rodrigo Vizeu, com edição de som do Victor Parolim. A ideia foi abertamente copiada do The Washington Post, quando da eleição presidencial nos EUA em 2016, apresentou episódios semanais que falaram sobre cada um dos presidentes americanos, desde George Washington até Donald Trump, que teve seu episódio lançado uma semana após sua eleição.

A ideia da Folha é a mesma: de Deodoro da Fonseca, Floriano Peixoto, Prudente de Moraes, até FHC, Lula, Dilma, Temer…E, o último episódio foi ao ar na semana seguinte do segundo turno e foi dedicado, obviamente, ao Jair Bolsonaro.

deodoro da fonseca
Deodoro da Fonseca

Eu me considero uma pessoa que ama História e tenho muito interesse no assunto. Ainda assim, meu conhecimento sobre os Presidentes do Brasil é raso e acabou sendo estimulado com o podcast. O que acho mais válido é nos mostrar como sabemos tão pouco da história do nosso País.

Não que eu assuma que tudo apresentado ali seja uma verdade absoluta mas, pra mim, o grande mérito do programa foi atrair a minha curiosidade para muitos fatos que eu nunca sequer tinha ouvido falar.

Claro que toda a minha ignorância vai diminuindo ao sair da República Velha e fica mais possível criticar certas posturas do apresentador e seus convidados quando começam os episódios de presidentes que conheço mais. Na realidade, tive meus momentos de discordância até em episódios dos que não conhecia muito.

Foi possível, também, perceber o posicionamento político do Rodrigo Vizeu. Como, por exemplo, no caso de um comentário horroroso (no meu ponto de vista), que ele fez no episódio sobre o Venceslau Brás (vocês terão que ouvir para saber hehehe).

Pois bem, estou aqui para sugerir um Podcast que tenho lá minhas críticas. Mas como estou seriamente cansada do atual estado que nos encontramos, que se você discorda de algo, elimina essa coisa por completo, vou recomendar. Mesmo com os meus “poréns”.

São discordâncias normais que não me impedem de fazer esse post. Continuo achando a ideia do programa muito boa e penso que ele vale ser escutado, mesmo com as eleições já tendo acabado. Afinal, seu tópico acaba por ser atemporal.

Pra mim, vale muito ouvir e ganhar conhecimento sobre a nossa própria história, mesmo assumindo a posição de criticar o que é dito ali.

Então, finalmente, deixo aqui o link do podcast na Folha, aonde é possível ter acesso aos links para escutar cada um dos episódios Eu, particularmente, o faço pelo podcast da Apple, mas tem como fazer pelo Spotify, Soundcloud, entre outros.

Ouça todos os episódios disponíveis do podcast Presidente da Semana, sobre os presidentes do Brasil

Lá, é possível ouvir todos os episódios na própria página ou acessar links para Spotify, Apple Podcasts, entre outros.

Assim, fica a dica.

E escutem podcasts! É muito massa!

Depois, farei mais posts sobre outros que escuto.

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – You Look So Fine |

Anúncios

Meu Ingresso: Não somente vi o Garbage mas conversei com a banda!

Jamais imaginava abrir meu coração dessa forma, em um post aqui no blog. Eita. Por isso ele ficou grandinho. 

Eu não posso falar que tive uma adolescência difícil. Afinal, só por ter tido casa, comida e roupa lavada, ela foi muito mais fácil do que a de, pelo menos, 70% da população mundial*.

Mas o que posso falar é que, definitivamente, não foi a época mais legal. Afinal, quando se passa dias indo a escola sem conversar com absolutamente ninguém; tendo notas absurdamente frustrantes; não se interessando por nem 5% do que os seus colegas faziam; sem ter nenhum rapaz que olhasse de volta e pensando que tinha algo errado comigo; não dá pra falar que eu estava dando saltinhos de alegria e mergulhando em mar de rosas, né?

E, por que escrevo isso?

Porque isso é muito relevante para que se entenda a importância que o Garbage tem na minha vida.

IMG_1781
Acervo Pessoal

E eu pude vê-los na última quarta. Na grade! E conhecê-los!

Muito mais um sonho realizado.

Continuar lendo “Meu Ingresso: Não somente vi o Garbage mas conversei com a banda!”

Música do Dia: Garbage – Supervixen

Mal creio que esse post está no automático, porque estou vendo isso com esses olhos que a terra há de comer!

Garbage

Make a whole new religion
A falling star that you cannot live without
And I’ll feed your obsession
There is nothing but this thing that you’ll never doubt
This thing you’ll never doubt

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – Supervixen |

Dicas de NYC: Assistir a Filarmônica de NY, no Central Park

Na última quinta-feira, tive a chance de viver um desses momentos que Nova Iorque te presenteia com uma oportunidade para se lembrar pro resto da vida: assistir a Filarmônica tocar de graça, no Central Park.

Crédito da foto: Mihael Kostadinovic
Crédito da foto: Mihael Kostadinovic

Continuar lendo “Dicas de NYC: Assistir a Filarmônica de NY, no Central Park”

Café & TV: O início do fim de Mad Men (p. 01)

A partir de hoje, o words of leisure prestará homenagens ao começo do fim de uma das melhores séries da história, Mad Men (que já foi temas de post, como você poderá ver aqui). No próximo domingo, começará a segunda parte da sua última temporada.

Então, ao longo da semana eu espero conseguir fazer posts referentes à ela.

Abaixo, um guia de como fazer uma festa para assistir a série.

Postado pelo perfil dela no Instagram.

Muito legal.

IMG_0467

Agora, nos resta apreciar o que vem por aí…

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – Special |

Música do Dia: Garbage – Vow

Hoje é um dia de alegria aqui no words of leisure.

Afinal, há 20 anos atrás o Garbage aparecia para o mundo com a sensacional Vow.

Essa banda marcou demais a nossa adolescência. Essa música foi de importância fundamental.

Shirley Manson está linda demais no clipe, toda poderosa.

Então, ficam os parabéns!

Garbage - Vow

I can’t use what I can’t abuse
And I can’t stop when it comes to you
You burned me out, but I’m back at your door
Like Joan Of Arc coming back for more
I nearly died
I nearly died
I nearly died

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – Vow |

Café & TV: Presidente da Netflix diz que pretende lançar 20 séries por ano

Cacilda, acabo de ler o post do Série Maníacos, Presidente da Netflix diz que pretende lançar 20 séries por ano!

netflix-series

Fica a pergunta:

Como terei vida, assim??

Para ler a notícia, clique na figura acima.

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – Space Can Come Through Anyone |

Esportes: Federer, FTW! Mil vezes!

Não consegui assistir a final de Brisbane, ontem. A vitória do Federer frente ao Raonic.

A milésima vitória desse gênio.

roger-federer-1000

Eu adoro o Nadal e o Djokovic. A coexistência desses três elevou o nível do tênis a algo impressionante. Mas os dois só foram possíveis porque o suíço já estava ali mudando a história do esporte.

Federer é Federer.

É o melhor de todos os tempos.

Que eu tenho a honra de ver jogar antes mesmo de chegar ao posto de número 1 pela primeira vez. Que privilégio de vida.

A ESPN Brasil fez a transmissão da partida e é dela que tiro link que valem a pena ser acessados.

Torneio de Brisbane (final): Lances de Roger Federer 2 x 1 Milos Raonic (lindas as gêmeas dele!)

Da ‘zebra’ em 1998 à lenda em 2015: Federer conquista Brisbane na 1.000ª vitória de sua carreira (com direito a Infográfico sobre as 1000 vitórias!!!)

Simplesmente Roger Federer. 1000 vitórias de um gênio (post do Fernando Meligeni)

Ah, que lindo que ele é!

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – Queer |

Música do Dia: Garbage – Queer

Timeless…

garbage - queer

This is what he pays me for
I’ll show you how it’s done
You learn to love the pain you feel
Like father, like son

The queerest of the queer
Hide inside your head
The blindest of the blind
The deadest of the dead
You’re hungry ‘cause you starve
By holding back the tears
Choking on your smile
A fake behind the fear
The queerest of the queer

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – Queer |

Música do Dia: Garbage – Sex Is Not the Enemy

Aniversariante do dia!

Quase 20 anos acompanhando a moça…

Muito ídolo, essa Shirley!

Garbage - Sex Is Not the Enemy

No evolution
Sometimes it depresses me
The same old same
Oh, we keep repeating history
The institution curses curiosity
It´s our conviction
Sex is not the enemy

A revolution is the solution

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – Sex Is Not the Enemy  |

Dica de NYC: Humza Deas, o “Instagrammer” fora da lei

Já ouviram falar no Humza Deas?

Eu o conheci tem poucos dias, graças a essa reportagem do Business Insider: 19 Incredible Photos From New York City’s 17-Year-Old ‘Outlaw Instagrammer’

O menino tem 17 anos de idade e sua ideia é explorar as alturas de Nova Iorque.

Que seja de forma proibida e, obviamente, perigosa.

Ele tem mais de 30.000 seguidores no Instagram (incluindo essa que vos escreve) e suas fotos são um absurdo!

Tipo essas:

Humza Deas Instagram. Vi no Business Insider
Instagram do Humza Deas. Vi no Business Insider

 

Instagram do Humza Deas. Vi no Business Insider
Instagram do Humza Deas.
Vi no Business Insider
Instagram do Humza Deas. Vi no Business Insider
Instagram do Humza Deas.
Vi no Business Insider

A única coisa que consegui pensar, ao ver essas fotos, foi: pqp!

Então, para ver a reportagem do Business Insider, com outras fotos, clique aqui.

Para ver o perfil dele, que foi feito pela New York Magazine, clique aqui.

E, para seguir o louco e genial moleque no Instagram, clique aqui.

Incrível isso.

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – You Look So Fine |

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar

Música do Dia: Garbage – Why Do You Love Me

Hell yeah…

Garbage - Why Do You Love Me

I’m no barbie doll, I’m not your baby girl
I’ve done ugly things and I have made mistakes
And I am not as pretty as those girls in magazines
I am rotten to my core, if they’re to be believed
So what if I’m no baby bird hanging upon your every word?
Nothing ever smells of roses that rises out of mud

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – Why Do You Love Me |

Dica de Leitura: A Destruição do Harlem

Mais uma dica de leitura vinda da Revista piauí.

Penso que qualquer pessoa que é apaixonada por Nova Iorque não deveria deixar de ler.

Tampouco aqueles que gostam de ler sobre movimentos sociais, sobre o movimento negro nos EUA.

O texto do Gabriel Pasquini é excelente.

Destruicao-Harlem

Cito:

Um conjunto intrincado de circunstâncias históricas permitiu que o desejo fosse realizado. O Harlem – o nome é uma homenagem à cidade de Haarlem, a 20 quilômetros de Amsterdã – foi fundado no século XVII pelos holandeses, dos quais não sobrou vestígio algum além de duas ruas diagonais que sobreviveram ao retilíneo retraçado de Manhattan da primeira metade do século XIX. Nessa época, o bairro abrigava gente endinheirada ou visitantes de fim de semana, com iatismo, campos de polo e outras amenities. Sua zona leste depois receberia, sucessivamente, imigrantes pobres – irlandeses, judeus, italianos e porto-riquenhos. No Centro se estabeleceriam os judeus do norte da Europa, sobretudo da Alemanha, com algum dinheiro, o que explica o boomde construções entre o final do século XIX e início do XX. Mas quando o boom se revelou mera bolha imobiliária, porque as sinagogas já não conseguiam reunir o quórum mínimo de dez judeus homens para continuar funcionando, os investidores entraram em pânico. Um agente imobiliário negro, Philip Payton Jr., sugeriu que se alugassem ou vendessem as moradias para os negros que fugiam em massa do terror branco do Sul; eles até pagariam mais do que os brancos.

Para ler o restante, basta clicar na figura acima.

Como todo texto da Piauí, ele é grande.

Vale a pena.

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – Cup of Coffee |