Café & TV: Séries de TV, “Scandal”

A Shonda Rhimes é, hoje, uma das roteiristas mais prestigiadas nos EUA. A mulher criou, entre outras, as séries Grey’s Anatomy, Private Practice e Scandal.

Euzinha, claro, assisto (ou assisti, no caso de Private Practice), todas.

Mas demorei para ver Scandal e o motivo era bem simples.

COLUMBUS SHORT, JOSHUA MALINA, KATIE LOWES, GUILLERMO DIAZ, DARBY STANCHFIELD, KERRY WASHINGTON, JEFF PERRY, BELLAMY YOUNG, TONY GOLDWYN

Grey’s Anatomy, por anos, foi excelente. Mas já tem anos que não é mais a mesma. Não parei de assistir porque não largo séries, mas seria bem passível de ser abandonada. Ainda mais agora, com a saída da maravilhosa Sandra Oh.

Private Practice eu assisti do início ao fim. E fui a única que conheço que fez isso. Fiz mais por simpatia a alguns dos atores, como a Kate Walsh, e por algumas histórias que me mantinham presa à série. Mas ela nunca foi amada de verdade.

Foi justamente por estar cambaleando com as outras, que eu demorei para começar a ver Scandal.

SCOTT FOLEY, COLUMBUS SHORT, JOSHUA MALINA, BELLAMY YOUNG, GUILLERMO DIAZ, DARBY STANCHFIELD, JEFF PERRY, TONY GOLDWYN, KATIE LOWES, KERRY WASHINGTON

Mas decidi ver pelos seguintes motivos:

  • Os repetidos elogios que via na internet e o sucesso que ela estava fazendo.
  • Kerri Washington, linda.

scandal-lead-623

 

  • O Tony Goldwyn, claro! Esse homem de Presidente dos Estados Unidos….

Tony Goldwyn

 

Aos que não sabem, a série conta a história de Olivia Pope (Kerri) e sua empresa de gestão de crises, a Pope & Associates. 

O que eu acho muito legal nela é pensar em todos os podres que envolvem o poder, como fazer a gestão de escândalos, etc. Tem boas histórias paralelas, mas o brilho está na principal, claro. Ela é muito bem amarrada e intrigante.

Sem contar que é muito bacana ver Scandal e House of Cards* ao mesmo tempo, já que na primeira o presidente é republicano e, na segunda, democrata. Mais uma amostra que são apenas lados diferentes de uma mesma moeda.

Ela tem aquele lado de patriotismo que pode afastar muita gente. Eu não ligo, apesar de não amar. Não é a minha série favorita, mas eu gosto. Por isso, escrevo e recomendo. Mas não com todas as minhas forças.

Antes que eu me esqueça #1: sim, tem muito sexo na série.

Antes que eu me esqueça #2: A partir da segunda temporada, o Scott Foley entra para o elenco. E ele está um espetáculo!
Ah, o meu eterno amor por Felicity!!

SCOTT FOLEY

Dá tempo de começar assistir antes que ela volte para a quarta temporada, já que a primeira e a terceira foram curtas.

Abaixo, o trailer da primeira.

*- House of Cards é absurdamente melhor que Scandal. Só para constar.

Fica a dica.

Volto mais tarde | Ao som de The Cardigans – Super Extra Gravity |

Café & TV: Séries de TV, “The Americans”

Finalmente fiquei em dia com uma das séries que mais chamou a minha atenção nos últimos tempos: The Americans.

The-Americans-Season-1-Promo-2

Para quem não sabe, conta a história de infiltrados russos nos EUA na década de 80, em plena Guerra Fria.

Um grande motivo já me deixava predisposta a ver a série com o coração mais aberto que o normal:

Keri Russell.

Afinal, séries começam e séries terminam. Mas Felicity permanece.

fx_americans_keyart_p_2012

Por toda a minha formação profissional, é desnecessário dizer que todo o lado da História me fascina.

Mas eu não me considero uma expert em União Soviética, ainda mais na KGB, para dizer se situações X, Y ou Z são incorretas, inverídicas, etc.

Então, ao final das contas, eu me apego a uma questão que eu acho absolutamente sensacional do programa:

Como que ele conseguiu, devido principalmente ao distanciamento histórico, fazer com que americanos torcessem para os russos. Porque é isso que acontece, desde o primeiro episódio: uma torcida inequívoca aos espiões soviéticos contra os americanos, estes principalmente na figura do FBI.

Outros pontos super favoráveis à série?

  • Excelentes atores – a Keri me fez esquecer a Felicity, o que é algo bem significativo;
  • A química entre ela e o Matthew Rhys é maravilhosa;
  • Figurino, representação de época, impecável;
  • Os disfarces merecem um bullet próprio.
  • Roteiro sensacional. Tanto para a todo o suspense em torno da questão URSS x EUA, mas para os dramas pessoais;

Sim, como em 99,9% das séries políticas/de suspense, ela tem momentos sacados. Eu nem ligo.

THE AMERICANS

Super ultra mega recomendo.

A primeira temporada tem apenas 13 episódios e a segunda começará apenas em Janeiro de 2014. Então, há tempo para ver e ficar em dia.

Abaixo, tralier!

Muito, muito boa!

Volto mais tarde | Ao som de The Beatles – Old Brown Shoe |