Coluna da Primogênita: Miami Cultural

Cidade tradicionalmente conhecida pelas ótimas opções de compras, vida noturna agitada, refúgio dos aposentados americanos, em busca de tranqüilidade e clima ameno, Miami tem se tornado referência em outro setor, o das artes.

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Tudo isso começou em 2002, quando a cidade se tornou uma das sedes da Art Basel, a maior feira de arte moderna e contemporânea. O evento ocorre todo mês de dezembro e na sua última edição, em 2013, atraiu mais de 75000 visitantes de todo o mundo. Na ocasião, houve a inauguração do Pérez Art Museum. Projeto arquitetônico do escritório suíço Herzog & de Meuron, a construção é muito linda e harmoniza perfeitamente com a paisagem da baía da cidade.

Fonte: pamm.org
Fonte: pamm.org

O museu abriga exposições de artistas norte e latino-americanos, coerente com o que a própria cidade de Miami representa na união destes povos. No segundo semestre deste ano, a brasileira Beatriz Milhazes ganhará uma exposição por lá e recomendo muito para quem estiver na cidade! O trabalho dela é lindo, reconhecido mundialmente e é um orgulho ver o seu trabalho ser exposto nos principais museus e galerias mundo afora!

Em um cenário mais alternativo, há Wynwood. Trata-se de um bairro que tradicionalmente abrigava fábricas e que tem sido revitalizado com o trabalho de artistas de rua e grafiteiros, cada vez mais atraindo nomes de peso da “street art”, dentre eles, os brasileiros, Os Gêmeos, e também, os turistas. Achei o lugar meio complicado de achar, mas valeu a pena a procura. Fiquei completamente encantada com a originalidade e a beleza das obras!

Fotos: Arquivo Pessoal
Fotos: Arquivo Pessoal

Para saber mais informações, clique aqui

E o mais legal, foi ver instalações em diferentes locais, nas ruas mesmo…

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Mesmo com tantas novidades, não posso esquecer de mencionar algo pelo qual Miami, há muitos anos é conhecida: o Art Déco. South Beach tem o maior número de edifícios deste estilo arquitetônico no mundo, sendo na Ocean Drive e nas avenidas Collins e Washington,a maior concentração deles. Mesmo não sendo o estilo que mais me atrai, fiz um tour a pé, guiado, organizado pelo Art Déco Welcome Center e gostei muito! Para quem gosta de arquitetura, recomendo pois é uma maneira bem eficiente de conhecer melhor a história e enxergar todos aquelas construções com um novo olhar.

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Realmente, muito bacana ver a dinâmica em que a cidade muda e vê o futuro e ao mesmo tempo, valoriza sua história, seu passado!

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar

Anúncios

Coluna da Primogênita: Dica de Hospedagem em Miami: Pestana South Beach Hotel.

Este deveria ter sido o primeiro post escrito sobre Miami, já que ficamos muito satisfeitos com a nossa hospedagem!

Pestana South Beach Foto do site do hotel
Pestana South Beach
Foto retirada do site do hotel

Ao planejar a nossa viagem, tínhamos uma prioridade: ficar em um local central em South Beach, onde não precisássemos de carro todos os dias, desfrutar de caminhadas e dias mais tranquilos. A partir disso, iniciei minha pesquisa nos sites Booking – onde olho a disponibilidade de vagas e preços – e depois vejo o TripAdvisor, para saber o nível de satisfação dos hóspedes anteriores. A minha prioridade não é que o hotel tenha muitos votos “Excelente” e sim que tenha poucos votos “Horrível”. Isso porque prefiro ficar em um hotel mediano, do que em um hotel polêmico, que muitos consideram ótimo, mas outros tantos detestam. E no final, desta forma, tenho tido muito sucesso nas minhas escolhas! 

O Pestana nos agradou de cara e eu já tinha escutado elogios de conhecidos que já haviam se hospedado em outros hotéis desta rede portuguesa, então fizemos a reserva. 

E não nos decepcionamos: quarto amplo, confortável, claro e limpo. Localizado na James Ave, no coração de South Beach, o Pestana é tranquilo, no nosso quarto não ouvíamos barulho da rua, o que permitiu boas noites de sono. Na verdade, a limpeza, a tranquilidade e o conforto foram muito bem avaliados por mim nos dias que fiquei “de molho” no hotel, passando mal. Assim, como a simpatia dos funcionários, sempre muito solícitos e agradáveis. Aliás, muitos deles falam português fluentemente, o que facilita bem a vida dos brasileiros!

Foto do site do hotel
Foto do site do hotel.

O café da manhã é completo, com opções de frutas, sucos, diversos pães, sem contar as delícias americanas como panquecas e french toast. Muito bom!

Foto do site do hotel
Foto do site do hotel

Além dos itens acima, que julgo mais importantes, o hotel ainda conta com alguns luxos. A rede wi-fi é veloz e funciona em qualquer ponto do hotel. A decoração é bonita, sem muitos excessos, inspirada no Art Déco, estilo bastante presente em Miami.

Foto do site do hotel
Foto do site do hotel

O hotel tem um convênio com uma empresa de transportes, que oferece traslado para os principais outlets e shoppings da região, além de outros passeios.

Se você estiver de carro, é importante dizer que o estacionamento não é incluído no valor da reserva e é cobrado a parte. 

E por fim, não podia encerrar sem citar a piscina deliciosa, que funciona até tarde da noite, excelente para aproveitar as ótimas temperaturas da cidade. 

Foto do site do hotel
Foto do site do hotel

Sem dúvida, o hotel foi um dos pontos altos da nossa viagem! Recomendo!

Coluna da Primogênita: Dicas de Miami – Joe’s Stone Crab

O Joe’s Stone Crab é um tradicional restaurante de Miami, que este ano completa um século de vida!! Na minha opinião, foi onde fiz as melhores refeições na cidade! E olha que eu nem fui no restaurante principal, somente no Take Away, localizado logo ao lado!

Joe's Stone Crab - Take Away Foto: Arquivo Pessoal
Joe’s Stone Crab – Take Away
Foto: Arquivo Pessoal

Eu li a respeito do restaurante em diversos blogs e guias e sempre havia a orientação de chegar cedo pois o local não aceita reservas e as filas são longas! Chegamos cedo, vimos várias pessoas entrando e seguimos o fluxo. Conseguimos facilmente uma mesa e eu, sem pestanejar, pedi imediatamente o lobster roll, meu prato americano favorito, como já contei aqui e aqui! Porém fiquei intrigada pois não vi a tal fila e nem achei o local tão bacana (em termos de decoração) quanto esperava! Quando a comida chegou, eu compreendi o porque de todo o sucesso! O roll foi um dos melhores que já comi, com lagostas fartas e suculentas! Minha boca enche d’água só de lembrar! Infelizmente, não deu tempo de fotografar! :).
De sobremesa, optamos pela famosa Key Lime Pie do local, que também estava ótima!

Tudo tão bom que outro dia, ao final da viagem, passeando pelo sul de South Beach, resolvemos, sem planejar, ir novamente: despedir do lobster roll e experimentar as patas de caranguejo que dão nome ao restaurante!

As patas de caranguejo do Joe's Stone Crabs Foto: Arquivo Pessoal
As patas de caranguejo do Joe’s Stone Crabs
Foto: Arquivo Pessoal

Antes que eu continue falando sobre o Joe’s, gostaria de acrescentar que no sul da ilha, na Collins Ave, há ótimas opções de compras, ao ar livre!

Somente nesta segunda ida, vi que havia uma outra entrada e que na verdade, tínhamos ido ao Take Away, e não ao restaurante principal. Esse sim muito bonito e sofisticado, com um delicioso pátio interno! O Take Away é um buffet, reúne vários moradores locais e no sábado a tarde tem um movimento animado! Acabamos ficando por lá mesmo, nesta segunda visita pois sim, já havia uma fila enorme para o restaurante principal e a fome não nos permitiu esperar!

As Stone Crabs são realmente uma delícia! Nunca tinha comido antes e adorei! Vale muito a pena experimentar!

O atendimento, mesmo se tratando de um self-service, é excelente! Os funcionários são todos muito simpáticos! E essa característica é tão marcante que há até um livro, compilando várias histórias dos garçons de lá, ao longo dos últimos cem anos, o Waiting At Joe’s.

Esse é o Michael, cozinheiro super gente fina que, só me permitiu fazer as fotos se ele entrasse no post!:)  Foto: Arquivo Pessoal
Esse é o Michael, cozinheiro super gente fina que, só me permitiu fazer as fotos se ele entrasse no post!:)
Foto: Arquivo Pessoal

Tanto para a versão sofisticada quanto para a mais descontraída, recomendo muito uma, duas ou mais visitas a esse clássico de Miami! Afinal de contas, se mesmo depois de um século de existência, o restaurante ainda causa filas gigantes, deve ser porque é bom mesmo!

Coluna da Primogênita: Dicas de Miami – Lincoln Road e Seu Entorno

A Lincoln Road é uma rua fechada no coração de South Beach e se tornou um dos meus lugares favoritos na cidade. Ela é repleta de lojas, sorveterias, bares, restaurantes e cafés o que garante movimento 24 horas! 

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Por se localizar perto da praia, durante o dia o clima é bem relax, vários banhistas passeiam por lá em traje de banho mesmo! Já a noite, muitos curtem um bar ou restaurante pré-balada, então o estilo é mais arrumado. Mas não é super produção, o ambiente é bem tranqüilo, familiar, sempre com muitas crianças brincando, idosos passeando. Todos se misturam! 

Se você gosta de arquitetura, vale prestar atenção no edifício 1111 Lincoln Road, em um dos extremos da rua. Projetado pelo conceituado escritório de arquitetura Herzog & de Meuron, o edifício abriga alguns andares de estacionamento aberto e apoiados sobre colunas de concreto, além da parte residencial e comercial.

Há várias marcas bacanas por lá, como a MAC, Apple, Diesel, Banana Republic, entre outras. Os preços são bons, comparados ao Brasil, mas não são a “pechincha” dos outlets. É válido lembrar, no entanto, que diferentemente desses shoppings, aqui você sempre terá acesso à última coleção lançada. A Forever 21 tem uma loja bem grande e é uma opção para quem quer preços bem camaradas. Na Meridian Ave, perpendicular à Lincoln Road, há uma filial da Macy’s, onde se encontra uma ótima oferta de produtos, apesar de não ser uma das maiores lojas desta rede. 

Chega de compras! Vamos logo ao meu assunto favorito: comida!!!! 

Como a Lincoln Road fica bem perto do hotel onde me hospedei, fizemos algumas refeições por lá! Aqui vão as minhas dicas:

Paul 

Fiquei super nostálgica, quando vi a filial da Paul em Miami. Adoro essa padaria, desde os tempos do meu intercâmbio na França e ao avistá-la sabia que iria fazer um brunch por lá! A Paul é uma rede de padarias, fundada na cidade francesa de Lille, em 1889 e que hoje se encontra em mais de 30 países, com a filosofia de proporcionar a experiência de desfrutar as delícias de uma padaria francesa, em qualquer lugar do mundo. Os pães, as tortas, as quiches, os sanduíches, os doces, os cafés, tudo é muito gostoso. Indico muito!

Paul Foto: Arquivo pessoal

Nexxt Café

Restaurante que, para mim, é a cara da Lincoln Road! Sempre cheio, com muitas mesinhas ao ar livre é um lugar super gostoso para ficar um tempo, observando o movimento, durante um jantar. Ou um almoço, ou brunch, ou simplesmente, tomando uma! São mais de cem opções de pratos, dentre eles, pizzas, sanduíches, massas, tapas, saladas, pratos de carne, peixes… para todos os gostos! E vale dizer, todos os pratos, são enormes. Olha o tamanho da pizzete, que eu pedi e que, supostamente, se tratava de uma entrada. Obviamente que, para mim, foi o prato principal!

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

 

Hofbräu München 

Filial de uma das mais importantes cervejarias de Munique. Eu ainda não conheço a sede, mas já gostei bem da opção de Miami. Não entendo absolutamente nada de cerveja, é uma bebida que, na maioria das vezes, eu não gosto, mas gostei muito da que tomei aqui! Fomos atraídos para lá pelo jogo do Bayern de Munique que estava passando e a quantidade de alemães, vidrados, torcendo e bebendo. Comemos, claro, uma salsicha alemã, no molho curry, que estava deliciosa! Sei que essa não é uma dica típica de Miami mas como gostei muito, resolvi compartilhar e indico ainda mais fortemente, caso seja um dia de jogo de futebol alemão! 

Fotos: Arquivo Pessoal

Häagen-Daz

Dispensa maiores apresentações, não é nenhuma novidade aqui no Brasil, mas as lojas desta sorveteria no exterior costumam ter uma oferta maior de sobremesas geladas, como brownies, sundaes, smoothies, entre outros. Em qualquer viagem, eu recomendo uma pausa aqui!

Dois lugares que estavam na minha lista para ir na Lincoln Road e que eu não consegui, em decorrência do meu mal estar e que fiquei com muita vontade foram: Shake Shak, casa de sanduíches de NY, que por algum motivo sobrenatural, eu nunca consigo ir, mas sempre está na minha lista e pelos comentários de quem já foi, é de dar água na boca! 

Restaurante Juvia: Localizado em um terraço, supostamente tem uma vista super bacana e é uma boa opção de local para tomar um drink.

Española Way 

Pequena rua fechada, paralela à Lincoln Road, a uns três quarteirões de distância. Com fachadas inspiradas na arquitetura mediterrânea, indico muito esse passeio para um fim de tarde. Há vários restaurantes, de diversas origens: mexicana, cubana, italiana, entre outras, a maioria com mesas na calçada, criando um astral bem gostoso ao local! 

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Então, essas são as minhas dicas. Se você tiver alguma dica de local da Lincoln Road não citado aqui, compartilhe nos comentários! 

Coluna da Primogênita: Dicas de Miami – Compras em Shoppings e Outlets

Se tem uma coisa que Miami é famosa é pela excelente oferta de compras. Mesmo não sendo super consumista é difícil não ser seduzido pelas preços tentadores! 

Fonte: positiveandhappy.com
Fonte: positiveandhappy.com

 

Como a minha viagem não visava apenas as compras, decidi ser bem objetiva. Isso exige uma boa dose de organização, já que é muito fácil se perder no consumo dos outlets e shoppings. E você pode acabar gastando uma fortuna em coisas que você nem queria ou deixar de comprar o que você realmente precisava, por falta de tempo ou dinheiro! 

Decidi contar aqui como me programei. Não horrorizem com o meu nível de TOC mas essa organização me foi muito útil. 

Antes de ir as compras

Primeiro Passo:

Saber o que você precisa ou quer comprar e pesquisar qual lugar se adequa melhor às suas necessidades. Existem várias opções e hoje com a facilidade  da internet, há muitas fontes de pesquisa! Esse post do blog Aprendiz de Viajante me ajudou a ter uma noção dos principais locais de compras, apesar de não citar o Sawgrass Mills.

Como já tinha reservado um hotel em South Beach, onde há várias opções próximas para compras, ao ar livre (o que eu geralmente prefiro), reservei dois dias para ir a shoppings. Optei pelo Sawgrass Mills e o Dolphin Mall.

Segundo Passo:

Pesquisar quais lojas são prioridades. O Sawgrass e o Dolphin tem várias lojas em comum, mas o Sawgrass é muito maior, com mais de 350 opções. Através dos respectivos sites pude pesquisar o que o Sawgrass oferecia de meu interesse que eu não encontraria no Dolphin e com isso poupar tempo, não repetindo lojas. Por exemplo, são lojas exclusivas do Sawgrass: Bed Bath and Beyond, Diesel, Target, J. Crew, Lacoste, Adidas, Le Creuset. Listei tudo no Wunderlist, um aplicativo de organização excelente que a Viviane já falou aqui.  Com a minha checklist no celular, ficava mais fácil ter um foco! 

Checklist no Wunderlist
Checklist no Wunderlist

Terceiro Passo:

Se cadastrar nos sites dos shoppings. Com isso, é possível saber por email quais lojas estão em promoção naquele momento. 

Vale lembrar que as lojas que são “Factory Store” têm produtos específicos para os outlets, não disponibilizando os lançamentos da última coleção, vistos nas lojas da marca. Mesmo assim, se você não se importa com tendências, há muitas opções boas!

Na hora de ir as compras:

O Sawgrass Mills fica em Sunrise, uma cidade a aproximadamente 50 km de Miami. O melhor jeito de chegar lá é de carro e o trânsito pode ser intenso entre as duas cidades, aumentando bastante o tempo da viagem.

O Dolphin não é tão longe mas o carro também é necessário. Fica próximo do aeroporto, então acho que para quem ficará poucos dias na cidade e quer fazer compras, esta é uma ótima região para se hospedar.

Ao chegar no shopping, vá ao quiosque de informações e pegue o mapa. Eles são enormes, é muito fácil ficar perdido! Li em vários blogs a respeito de comprar o livro de descontos que, em média, custa 10 dólares e possui ofertas adicionais nas lojas cadastradas. Confesso que o do Sawgrass não me ajudou muito, as lojas que eu fui ou não participavam ou tinham uma outra promoção que anulava aquela do livro. Daí, quando fui ao Dolphin não comprei.

Vá com um sapato confortável, o dia será intenso e a última coisa que você precisa é um sapato incomodando! 

Leve uma mala para colocar as aquisições. A primeira vez que fui a um outlet, o meu primo que morava nos Estados Unidos me deu esse conselho e eu ri da cara dele achando o maior absurdo ele me propor algo assim. Pensei que ele não me conhecia direito e achava que eu era muito consumista! Ele não discutiu comigo, mas simplesmente não me deixou sair de casa sem a mala e esse foi a melhor orientação sobre outlets que eu já recebi! Depois de um tempo, as sacolas começam a pesar muito nos braços tornando o passeio bastante exaustivo. Comprar a mala por lá se você estiver precisando de uma nova é também uma excelente opção, pois os preços são excelentes! 

As minhas impressões:

Os preços em Miami, em geral, são muito melhores que os no Brasil. O que não me canso de achar surreal já que nossa moeda é 2,5 vezes mais cara que o dólar! Nos outlets então, a diferença é enorme! 

Em ambos os que visitei encontrei excelentes promoções, mas gostei mais do Dolphin no seguinte aspecto: no Sawgrass havia muitas promoções que te fazem levar um número maior de produtos, tipo “leve 3 pague 2”. Já no Dolphin, os descontos foram em peças unitárias. Falo isso baseado nos dias em que eu fui!

Para quem quer comprar artigos de casa, a loja da Bed, Bath and Beyond no Sawgrass é imperdível: utensílios de cozinha e banheiro, enxoval, coisas que você nunca imaginou existir e que descobre por lá a preços super bacanas! Vale muito a pena! 

A Calvin Klein, a J. Crew e a Ralph Lauren foram as marcas onde vi os descontos  mais significativos e oferecem produtos de qualidade, com ótima durabilidade, excelentes para o dia a dia! 

Não vou me estender a respeito de cada loja pois acho que isso varia de acordo com o gosto e a necessidade de cada um, mas usem os comentários aqui para perguntar qualquer coisa ou compartilhar alguma dica! Vou adorar trocar essas informações!

 

Coluna da Primogênita: Miami – Considerações Iniciais

A minha série de posts e dicas de Miami começa agora!
Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

 

E estou diante de um novo desafio ao escrever para essa Coluna. Pela primeira vez, falarei sobre um local que eu não amei. Gostei, mas não amei. Se voltarei, não sei. Não é uma prioridade, mas dependendo da situação, volto. Na verdade, não planejei essa viagem por uma vontade enorme de voltar lá (já tinha ido a Miami aos 15 anos por poucos dias, depois de ir à Disney, mas não lembrava de quase nada). Voltei para conciliar uma questão pessoal com o torneio de tênis que ocorre por lá nessa época do ano.
Confesso que tinha até mesmo um certo preconceito, sempre ouvia amigos falando sobre vários dias inteiros passados dentro de shoppings e  outlets e as compras frenéticas. Quem me acompanha aqui, sabe que essa não é muito a minha praia, quando viajo.
A noite animadíssima da cidade é também bastante conhecida e atrai muitos turistas. Boates, festas, clubes exclusivos, são inúmeras as opções. Se você adora uma balada, curtirá muito, já eu sou uma pessoa mais diurna…
Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal
Mas pesquisando sobre a cidade, lendo sobre o renascimento cultural recente que vem ocorrendo por lá, comecei a me animar, vi que Miami poderia me oferecer algo mais!
Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal
Ao voltar, posso até afirmar que essa questão das compras foi melhor que pensei. Não que o consumo não seja exagerado mas os preços de tudo aqui no Brasil são tão absurdos que acabamos por considerar uma barganha comprar em uma moeda 2,5 vezes mais cara que o Real! Realmente uma insanidade! E planejando bem, é possível conciliar boas compras, passeios e descanso. Falarei melhor em outro post sobre como me organizei para não ser engolida pelo shopping instinct e ainda assim tirar proveito dos ótimos preços!
Miami não foi uma cidade apaixonante para mim, mas com certeza foi divertida! Fui durante o Spring Break, feriado americano no qual um número enorme de yankees se dirige à Flórida. Nesta época, há também um grande fluxo de europeus e outros turistas, claro, brasileiros incluídos, devido ao festival de música eletrônica Ultra e  ao Sony Open de tênis. Ou seja, a cidade estava fervilhando, lotada, animadíssima!!
Eu me diverti horrores passeando pelas ruas de South Beach, observando os excessos, as extravagâncias,  os carros, as roupas, a sensualidade explícita 24 horas!  Tenho a impressão que Miami é a união da exuberância latino americana com a megalomania dos Estados Unidos. Em vários passeios, a sensação era de estar em um típico clipe de rap: homens de calças caídas, com correntes enormes, dirigindo super carros, muitas vezes tunados (descobri essa expressão por lá, kkkk), acompanhados de várias mulheres coloridas, decotadas, com a auto-estima lá nas alturas, em um verdadeiro desfile pela cidade!

O festival de carros potentes pelas ruas de Miami. Foto: Arquivo Pessoal
O festival de carros potentes pelas ruas de Miami.
Foto: Arquivo Pessoal
Tenho que ainda ressaltar que alguns passeios que eu tinha planejado e queria muito ter feito, como ir à Downtown, ao Pérez Museaum of Art e a Coral Gables não foram possíveis. Tive uma intoxicação alimentar monstra, com direito a uma manhã no hospital (para quem é médica isso pode ser até mesmo uma atração turística, kkk, #tentandoserotimista). E acho que com isso, uma visão mais global do momento atual da cidade ficou comprometida, já que são para esses lados que a cidade tem mais se desenvolvido.
Mas viajar é isso aí: descobrir novas realidades, se colocar diante do diferente, evitar julgamentos, questionar os seus próprios valores e crescer, além de lidar com a imprevisibilidade. Cabeça aberta é fundamental e tirar o melhor possível de todas as experiências é fantástico! E aqui, vou tentar compartilhar com vocês o que eu achei de melhor da ensolarada e festiva Miami!