Inovação: Algumas Invenções da Primeira Guerra Mundial

Muitos especiais sobre a Primeira Guerra Mundial já estão sendo feitos, ou ainda serão transmitidos, visto que 2014 marca os 100 anos do seu início, né?

Pois bem, quem estuda o assunto sabe muito bem como as guerras são capazes de gerar muitas inovações que chegam posteriormente à população, apesar de todas as suas óbvias perdas. A BBC Brasil publicou uma matéria muito interessante, que mostra justamente isso.

BBC Brasil-GuerraPrimeira

Cito duas:

Absorventes Íntimos

Antes de estourar a Primeira Guerra, uma pequena empresa americana registrou sob sua marca um material conhecido como Cellucotton. A substância, composta pela polpa da celulose da madeira (usada na fabricação de papel), era cinco vezes mais absorvente do que o algodão e custava a metade do preço.

Em 1917, quando os Estados Unidos entraram na guerra, a empresa – Kimberly-Clark – passou a empregar o material na fabricação, em grande escala, de enchimento para curativos cirúrgicos.

Enfermeiras da Cruz Vermelha trabalhando nos campos de batalha logo se deram conta da utilidade do produto na higiene íntima. Esse uso adicional do produto acabaria, anos mais tarde, alterando o destino da pequena firma americana.

Em 1920, menos de dois anos após o final da guerra, chegou às lojas americanas o primeiro absorvente íntimo da história, batizado de Kotex (junção das palavras inglesas cotton, algodão, e texture, textura).

Horário de Verão

Quando a Primeira Guerra Mundial começou, a ideia de adiantar os relógios na primavera e atrasá-los no outono não era nova. O americano Benjamin Franklin já havia sugerido a medida como forma de economizar energia em uma carta publicada por The Journal of Paris,em 1784.

Velas eram desperdiçadas nas noites de verão porque o sol se punha antes de as pessoas irem dormir, ele explicou. E a luz do Sol era desperdiçada no início do dia porque o Sol nascia enquanto as pessoas dormiam.

Propostas semelhantes foram feitas na Nova Zelândia, em 1895, e na Grã-Bretanha, em 1909 – sem sucesso.

Durante a Primeira Guerra, no entanto, implementar a mudança tornou-se uma questão de sobrevivência. Na Alemanha, devastada pela escassez de carvão, as autoridades decretaram que, às 23 horas do dia 30 de abril de 1916, os relógios deveriam ser adiantados em 1 hora, para meia-noite. Isso geraria uma hora extra de luz diária na manhã seguinte.

A medida foi rapidamente adotada por outros países. A Grã-Bretanha seguiu o exemplo três semanas mais tarde, em 21 de maio de 1916.

Em março de 1918, o Congresso americano estabaleceu vários fusos horários e oficializou horários para economia de luz diurna até o final da guerra.

Quando o conflito terminou, o esquema foi abandonado, mas a ideia tinha se alastrado e, mais tarde, voltou a ser adotada.

Interessante demais.

Para ver quais são as outras, clique na figura lá em cima. Vale a pena, é bem legal.

Volto mais tarde | Ao som de Incubus – Diamonds and Coal |

 

Dica de Leitura: Lucas Mendes, “Hollywood na Guerra Quente”

Em tempos em que Rússia, Crimeia, Ucrânia não saem da TV, interessante ler o texto do Lucas Mendes para a BBC Brasil: “Hollywood na Guerra Quente”.

Sobre livros, guerras e cinema.

lucas mendesbbc

Cito:

Antes da Segunda Guerra, Holywood namorou nazistas, comunistas e fascistas. O mercado alemão era forte e o time da propaganda liderado por Joseph Goebbels conseguia editar ou barrar produções antinazistas.

Muitos editores e roteiristas não escondiam suas simpatias pelo comunismo russo, que parecia próspero e resistente à depressão que devastava a Europa e os Estados Unidos na década de 30.

As relações entre Hollywood e os militares americanos eram frias e desconfiadas, mas mudaram da noite para o dia com o bombardeio de Pearl Harbour, em 1941.

O novo livro de Mark Harris chega às livrarias no começo de uma possível nova Guerra Fria, que coloca o capitalismo ocidental contra o putinismo russo, mas o foco do livro está nos diretores de Hollywood que se alistaram para documentar a Segunda Guerra.

Para ler o restante, clique na figura acima.

Volto mais tarde | Ao som de No Doubt – Heaven |

Cinema: Qual Filme Brasileiro Você Indicaria a Estrangeiros Para Conhecer o Brasil?

Sarah Jacobs é estudante em Oxford e tem um blog na BBC Brasil.

Ali, ela escreveu o post Qual filme brasileiro você indicaria a estrangeiros para conhecer o Brasil?

Parte do ponto que os estrangeiros, ao citarem filmes produzidos por aqui, geralmente falam de Cidade de Deus ou Tropa de Elite.

E escreve:

bbcbrasil

Dá para entender – são alguns dos filmes brasileiros mais conhecidos e mais vendidos na Grã-Bretanha. São, inclusive, bons filmes: bem-feitos, com ótima atuação e direção. Mas o meu medo é que, filmes como esses, que são não só super violentos, mas também que tratam da realidade urbana de maneira bastante simplista e sensacionalista, afetem demais a imagem do Brasil no exterior.

Ando procurando filmes que buscam uma representação mais “verdadeira” da realidade brasileira, sobretudo no contexto de cidades urbanas.

Eu, claro, não tenho a menor ideia de como ajuda-la. Não somente por assistir pouco o cinema nacional, mas também por achar as coisas demasiadamente caricatas. Em geral, claro.

Então, pergunto aos universitários: vocês conseguiriam dar um help pra moça?

Para tanto, basta clicar na figura acima.

Volto mais tarde | Ao som de The Beatles – The Long and Winding Road |

Dica de Leitura: “O Segredo Libanês”, Por Lucas Mendes

Eu sempre falei em alto e bom som do orgulho que sinto pela minha origem libanesa.

Inclusive, demonstrei esse meu amor ontem, no Instagram, com essa maravilha feita pela minha genitora.

Arquivo Pessoal
Que culinária absurda. Arquivo Pessoal

Por coincidência ou não, o texto feito pelo Lucas Mendes na BBC Brasil fala do sucesso da imigração libanesa no mundo.

Cito:

Um argumento mais forte do sucesso libanês é adversidade. Houve duas grandes ondas imigratórias libanesas, uma de 1870 até 1920 e outra a partir de 1975, na guerra civil. Os principais destinos foram Estados Unidos, Brasil, Canadá, Argentina, Austrália e África do Sul. Onde foram deram certo.

O libanês Nassim Taleb, no seu último livro, Antifragile: Things that Gain from Disorder (Antifrágil, coisas que ganham com a desordem), sustenta, entre tantas coisas que ganharam com a desordem, está o vigor libanês não só fora, mas também dentro do Líbano.

“Parece caótico, mas é mais estável do que o Egito que parecia tão sólido. A estabilidade saudita também é falsa”, afirma.

A minha família veio na primeira onda…

Adorei o texto, as explicações dadas.

lucas mendesbbc

Para ler, clique em O segredo libanês.

Volto mais tarde | Ao som de Dido – Grafton Street |

Dica de Leitura: Lucas Mendes: “Por favor, Me Apalpem”

Sobre apalpação. Sobre direitos civis. Sobre questão racial.

lucas mendesbbc

Os queixantes acusam a polícia de abordar e revistar milhares de pessoas nas ruas de Nova York só porque são negros ou latinos. Uma violação da 4ª emenda (constitucional) que protege contra buscas sem motivo.

Pelos sinais que vêm do tribunal, a juíza vai dar uma apalpada legal no prefeito e na polícia. Ferro neles.

O número pessoas abordadas que são presas ou multadas por algum crime não chega a 10%. A juíza ironizou o “faro” dos policiais que apalpam 90% inutilmente.

O texto completo, para entender o que está acontecendo lá em NYC, pode ser acessado ao clicar na figura.

Volto mais tarde.

Ao som de The Killers – Losing Touch

Tecnologia: O Som De Uma Voz

Se tem um campo que eu apóio, e muito, a alocação de recursos vastos é em pesquisa na área médica.

Porque leva a momentos como esse.

Grayson-Clamp-

O texto eu tiro da BBC Brasil:

O garoto norte-americano Grayson Clamp, de três anos, que nasceu surdo, passou por uma cirurgia inédita nos Estados Unidos para começar a ouvir.

Ele recebeu um implante auditivo no tronco cerebral, ou tronco encefálico, feito por médicos da Universidade da Carolina do Norte.

Grayson surpreendeu a todos ao reagir imediatamente à voz do pai quando o dispositivo foi ligado pela primeira vez.

O vídeo com a reação é sensacional, mas não consegui colocar o da BBC aqui no blog. No que está abaixo, ela está em torno dos 0:56.

Lindo demais.

Volto mais tarde | Ao som de Julieta Venegas – Los Momentos |

 

Dica de Leitura: Lucas Mendes, “Status No Lixo”

Viram o último texto do Lucas Mendes para a BBC Brasil?lucas mendesbbc

O lixeiro é tão ou mais essencial no nosso dia a dia do que a maioria dos que nos servem, mas continua invisível e pouco apreciado. Chama atenção quando faz barulho ou bloqueia a rua com seu caminhão. Então mandamos recados para a mãe dele e fazemos coro de insulto na buzina.

Nova York viveu 200 anos sem eles. Quando os moradores começaram a morrer de doenças contagiosas e intoxicações, foi criado o Departamento de Saneamento Público. Sucesso. Até então, o lixo era entregue aos porcos que viviam soltos na cidade.

A limpeza e o fim do mau cheiro trouxeram alívio e alegria.

Très intéressant.

Volto mais tarde | Ao som de Metronomy – We Broke Free |

Dica de Leitura: Lucas Mendes, “Roupas e Operários Descartáveis”

Muito interessante a coluna do Lucas Mendes para BBC Brasil, “Roupas e operários descartáveis

lucas mendesbbc

Inspirada, obviamente, no revoltante, absurdo, repugnante acidente em Bangladesh, com os seus mais de 1.000 mortos.

Sobre a indústria da moda nos Estados Unidos.

E com um resultado de uma pesquisa que choca, ao final do texto.

Vale a leitura.

Nova York já foi uma das maiores produtoras de roupas nos Estados Unidos e cenário de um dos incêndios mais trágicos do país, o da fábrica Triangle Waist, em 1911.

Morreram 147 pessoas, quase todas mulheres que saltaram do oitavo e nono andares porque todas as portas estavam trancadas.

Os dois donos escaparam por uma das poucas portas abertas, foram processados por homicídio e absolvidos.

As decisões no tribunal foram pífias e devastadoras para as famílias, mas tiveram um impacto revolucionário nas leis trabalhistas.

O link está lá em cima, no início do meu post.

Volto mais tarde | Ao som de The Cardigans – Slowdown Town |

Infográfico: Os 20 Profissionais Estrangeiros Mais Procurados

Muito legal o guia feito pela BBC Brasil com os 20 profissionais estrangeiros mais procurados no mundo e os países que os querem.

Em todo o mundo, a imigração é um assunto controverso e imigrantes estão sujeitos a restrições. Mas profissionais altamente qualificados têm uma posição especial dentro do contingente de 200 milhões de imigrantes internacionais – eles estão em alta demanda em diversos países.

A demanda por enfermeiras e médicos talvez seja a mais conhecida, mas também há países onde há falta de chefs, como a Bélgica, e de radiógrafos, como a Grã-Bretanha.

Com ele, é possível ver quais são 20 profissionais internacionais mais procurados e os países que os procuram.

profissionais estrangeiros

Para acessar, clique aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Etta James – At Last |

Literatura: A New York Review of Books

Eu passei a acompanhar mais a New York Review of Books, que hoje está na minha lista de RSS, graças a um amigo que é A CARA da cidade.

Mas reconheço a minha plena ignorância perante a história da mesma.

lucas mendesbbc

Talvez seja por isso que fiquei tão encantada com o texto do Lucas Mendes para a BBC Brasil:

Homem de palavras

“Ele pede 4 mil. Às vezes, deixa por 3,5 mil.
Na guerra das 140 letras contra 4 mil palavras, o jovem tuíte é o favorito, mas o velho editor de 82 anos resiste e não perde terreno. Neste nosso mundo apressado, high-tech e sem tempo para leitura, a New York Review of Books é um fenômeno de longevidade, resiliência, inteligência e, pasmem, de lucro. A revistona americana acaba de fazer 50 anos e promete mais 50.”

Muito interessante.

Volto mais tarde | Ao som de Dido – Everything to Lose | 

Dica de Leitura: O Impassível Sr. Darcy e a Companhia das Letras

Como falei ontem, uma das grandes obras literárias do mundo completou 200 anos: Orgulho e Preconceito.

Também comentei que várias homenagens estavam sendo feitas, principalmente na Inglaterra.

Por aqui, a Companhia das Letras deu show.

colinfirth

Continuar lendo “Dica de Leitura: O Impassível Sr. Darcy e a Companhia das Letras”

Cinema: As Apostas Para o Oscar

Estava lendo a reportagem da BBC Brasil: Oscar 2013: As apostas para a estatueta

oscar_304x171_afpgettyimages_nocredit

Quem acompanha o words of leisure desde o ano passado talvez lembre que eu fiz uma aposta comigo mesmo: ir ao cinema pelo menos uma vez ao mês, em 2012.

Isso significaria, obviamente, ir 12 vezes. Quantas fui?

Fazendo uma retrospectiva na minha cabeça, consigo lembrar de 4.

#epicfail

E quando vejo quais são as apostas da rede britânica, constato que não vi nenhum; que grande parte eu não tenho ideia se já fio exibido aqui no Brasil ou não; e por aí vai.

Mas já afirmo:

A minha aposta comigo mesmo está mantida: ir ao cinema uma vez ao mês em 2013.

Quem sabe daqui 20 anos eu consigo.

Volto mais tarde | Ao som de Goo Goo Dolls – Iris |

Esportes: Sobre a Paralimpíadas

As Paralimpíadas estão a pleno vapor e eu não postei nada a respeito, né?

Então, coloco dois links de impressionantes reportagens feitas pela BBC Brasil.

BBC Brasil

Paraolímpicos revelam histórias de guerras, doenças e violência ao redor do mundo

Atletas paraolímpicos se flagelam para melhorar desempenho

Increíbles!

Volto mais tarde.

Ao som de U2 – Gone

Especial: Um Guia Para (Tentar) Entender Os Britânicos

A cultura britânica entrou na minha vida desde cedo: com meu pai ouvindo Beatles, Rolling Stones, Pink Floyd; quando eu passei a ter meu próprio gosto musical, com Suede, Blur, Oasis; com os programas de comédia, tipo Absolutely Fabulous, Coupling, Mr. Bean, Fawlty Towers; e continuou mais tarde, já na faculdade, estudando a Irlanda do Norte (e toda a região, consequentemente).

Fonte: BBC Brasil

Talvez por isso, sinto uma simpatia quase natural pela região. Mas ainda assim, adorei o especial feito pela BBC Brasil, Um guia para (tentar) entender os britânicos.

Ah, concordo plenamente com vários veículos da imprensa internacional, quando disseram que a abertura da Olimpíada jogou na cara de todos como a Inglaterra tem a melhor música do mundo.

Fato!

Leiam, é bacana.

Volto mais tarde.

Ao som de Moby – Spiders

Infográfico: As Mulheres Nos Jogos

4 dias!

Muito, muito interessante o infográfico feito pela BBC Brasil, que mostra a evolução da participação das mulheres no Jogos Olímpicos.

Fonte: BBC Brasil

Em Atenas, 1896, o único papel representado por elas era o de coroar os vencedores.

Em Londres, 2012, a expectativa é que os três únicos países que nunca enviaram mulheres aos Jogos, finalmente o façam – Arábia Saudita, Catar e Brunei. O COI ameaçou suspendê-los, por não cumprirem a exigência de igualdade entre os gêneros.

Para ver os dados e as curiosidades, clique aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Athlete – Half Light |

TED Talks: Jamie Oliver: “Ensinar a Todas Crianças Sobre Comida”

Hoje eu vi o vídeo no qual o chef Jamie Oliver aceita o prêmio do TED, em 2010, e diz qual é o seu desejo: ensinar a todas crianças sobre comida.

Oh, Jaime Oliver!

Ele é um cara britânico, falando para uma plateia americana, sobre obesidade. Aí alguém pode perguntar: o que eu, brasileiro, tenho a ver com isso?

Continuar lendo “TED Talks: Jamie Oliver: “Ensinar a Todas Crianças Sobre Comida””

iPhones e iMacs sem jogos no Brasil, parte 2

Hoje, o Blog do iPhone postou mais um capítulo da novela sobre a ausência de jogos para iPhone (e iMacs).

apple_jogos_2
Fonte: Blog Mobilizado

É um interessante ponto, visto que na loja da Android vende jogos. Pra quem se interessa no assunto, como eu, vale a leitura. É só clicar aqui.

Volto mais tarde | Ao som de The Charlatans – Get on it |