Frase do Dia: Ayn Rand e as decisões dos indivíduos

IMG_0163_2

Né?

Volto mais tarde | Ao som de Elastica – S.O.F.T. |

Anúncios

Infográfico: Quanto tempo para ler os clássicos

Eu fico verdadeiramente feliz quando alguém vê algo bacana na internet e me manda, com o argumento: “lembrei do words of leisure”.

Foi o caso do infográfico abaixo, que teve a felicidade potencializada em vários graus por ter vindo de um amigo tão querido e que dá tanto apoio ao wol.

Valeu demais, Turco!

Olhem só que sensacional:

Personal Creations estimou quanto tempo dura para ler alguns dos maiores clássicos da literatura, tendo como referência a leitura de 300 palavras por minuto (que eles entendem como sendo o padrão médio).

Será que o Anna Karenina dá isso mesmo?

A Revolta de Atlas, já comentado aqui no blog, está lá.

howlongtoreadgallery

Sensacional!

E vocês, o que acharam?

Volto mais tarde | Ao som de She & Him – In The Sun |

Na Minha Estante: Ayn Rand, “A Revolta de Atlas”

Quem é John Galt?

Sabem como é encontrar um livro que serve para te dar forças frente a uma grande descrença com o mundo?

Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

Vira e mexe a Ayn Rand aparece no words of leisure, no Frase do Dia. Entre elas:

liberdade ayn rand

O fato é que queria eu colocar o Revolta de Atlas inteiro, aqui.

Afinal, quem é John Galt?

ayn-destruicao

Por muito tempo, eu via pessoas que pensam a política de forma parecida com a minha recomendar A Revolta de Atlas, mas sempre enrolava para começar. Afinal, procrastinar está na minha essência.

Com o passar do tempo e com a repulsa por várias coisas que tenho visto por aí, a leitura se fez cada vez mais necessária.

Afinal, quem é John Galt?

aynrand-corrupcao
Até que vi na sua contracapa:

“Considerado o livro mais influente nos Estados Unidos depois da Bíblia, segundo a Biblioteca do Congresso americano, A revolta de Atlas é um romance monumental.” (Amazon.com.br)

Mais influente nos Estados Unidos depois da Bíblia….

Aí, não tinha mais como postergar, né? Impacta ler o que está escrito ali…

Afinal, quem é John Galt?

Quando o comprei e vi seu pequeno tamanho, mais de 1400 páginas, não pude evitar o pensamento de que a autora teria que criar um argumento/enredo muito bom para manter o meu interesse. Rand faz isso de forma sublime, sublime, maravilhosa.

Os personagens são muito bem construídos, tanto para amá-los quanto para odiá-los, e a história é elaborada de forma que gera uma absurda vontade em saber o que acontecerá com o Estados Unidos retratado, em que aqueles que são os produtivos vão sumindo, dando espaço cada vez maior a um Estado intervencionista que priva os indivíduos de suas liberdades.
Ps: Acalmem-se! Não contei nada que a contracapa não tenha escrito.

Um livro sensacional, que só aumentou minhas convicções políticas e a necessidade de lutar por elas.
Não no words of leisure, afinal eu abri mão de falar de política aqui, em prol da minha saúde física e mental.

Leitura que será obrigatória aos meus filhos e netos.
Leiam também.
Já aviso: quanto mais você acredita que o Estado deva ser grande e interventor na vida das pessoas, ou então que está nele a solução para as grandes mazelas do mundo, mais você odiará A Revolta de Altas.

Eu obviamente amei!

Volto mais tarde | Ao som de The Corrs – Runaway |

Frase do Dia: Ayn Rand, Sobre a Corrupção

Mais atual que nunca.

aynrand-corrupcao

Alguém notou que já tem um tempo que não sai uma “Review de Livros” aqui no words of leisure?

Não, não abandonei a leitura. Nunca.

Apenas estou no Volume III da grande obra dessa Sra…soon, vem a review dele!

Volto mais tarde | Ao som de Justin Timberlake – Mirrors |