Infográfico: O que fazem as bilhões de pessoas no mundo

A Funders & Founders nos propicia mais Infográficos super bacanas: dessa vez, distribuiu as alocações das pessoas, no mundo.

CDo1C1uWgAAFaqN

E como elas gastam seu tempo.

how-much-time-we-have-infographic

Claro que várias questões surgem de relatos como estes.

As fontes estão em cada um e o texto que os seguem é possível de ser acessado clicando nas figuras.

O que acham?

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – No Pressure Over Cappuccino |

Anúncios

Vídeo do Dia: Pais entristecidos nos shows do One Direction

Personas, o vídeo abaixo é sensacional.

A Angelina Castillo, que eu acho que é fotógrafa, fez imagens de pais entristecidos que acompanham seus filhos nos shows do One Direction.

by Angelina Castillo
by Angelina Castillo

 

Pois é, um vídeo foi feito com isso. É de dar dó!

Com direito a introdução do Kurt Cobain:

“Quando você tem filhos, seu foco se transfere de você. Você deixa de se preocupar com as roupas que está usando, ou se foi à academia. A experiência faz de você uma pessoa melhor, se você fizer direito.”

E o tanto que me fez pensar nos meus pais, ao nos levar (primogênita e yo) aos nossos shows! Não, nada tipo One Direction, mas ainda assim…

Tributo sensacional!

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – These R The Thoughts |

Hoje…Algum Tempo Atrás: A Maioridade do Jagged Little Pill

Um dos álbuns mais marcantes da década de 90 chega a maioridade hoje.

Teve um grande impacto na minha pessoa. Minha e em um bocado de gente.

Alanis_Morissette_Jagged_Little_Pill-Front-www.FreeCovers.net_

Jagged Little Pill é, sem nenhuma dúvida, uma das maiores provas que um chifre pode se revertido em algo muito bom.

Entre os seus momentos de raiva, frustração, tristeza, a Alanis Morissette nos brindou com esse que é um dos melhores discos da década de 90. Sem a menor dúvida.

Maravilhoso do início ao fim.

Um dos meus favoritos para ouvir quando eu estou com raiva.

Ano passado, consegui ver a moça ao vivo. Mais calma, casada e com filho. Mas o vigor continua lá.

Muito legal pensar que 18 anos atrás ele chegava ao mundo.

Para ficar e nunca mais sair…

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – You Learn |

Música do Dia: Alanis Morissette – All I Really Want

Essa música é tão boa! Fiquei tão feliz quando a Alanis a tocou no show aqui de BH

alanis-morissette-allireally

Enough about me, let’s talk about you for a minute
Enough about you, let’s talk about life for a while
The conflicts, the craziness and the sound of pretenses
Falling all around…all around
Why are you so petrified of silence

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – All I Really Want |

Música do Dia: Alanis Morissette – Head Over Feet

Fofa!

Alanis Morissette - Head Over Feet

You’ve already won me over in spite of me
Don’t be alarmed if I fall head over feet
Don’t be surprised if I love you for all that you are
I couldn’t help it
It’s all your fault

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – Head Over Feet |

No Meu iPod: Alanis Morissette, “Havoc And Bright Lights”

Semana passada eu contei como foi o show da Alanis Morissette aqui em BH e como a minha decisão de ir foi tomada em cima da hora.

 

O que deixei de lado foi escrever que, nessa turnê, a cantora canadense promove seu último álbum “Havoc and Brights Lghts”, que eu não tinha escutado antes de partir rumo ao Chevrolet Hall.

Vacilei.

Continuar lendo “No Meu iPod: Alanis Morissette, “Havoc And Bright Lights””

Música do dia: Alanis Morissette – Uninvited

Talvez, A música do show.

Alanis Morissette – Un

Like anyone would be
I am flattered by your fascination with me
Like any hot-blooded woman
I have simply wanted an object to crave

But you
You’re not allowed
You’re uninvited
An unfortunate slight

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – Uninvited |

Meu Ingresso: Alanis Morissette

Ok, quem acompanha o blog já entendeu que meu gosto musical de hoje começou a ser desenvolvido lá por 1994, 1995. E o rapazes eram responsáveis por 99% das minhas bandas favoritas. Justamente nessa época, uma moça pra lá de raivosa começou a se destacar pra mim. E no último domingo eu fui vê-la.

 

  Continuar lendo “Meu Ingresso: Alanis Morissette”

Música do Dia: Alanis Morissette – Thank U

Desde ontem, só dá essa moça no meu iTunes.

Alanis Morissette - Thank U

How ‘bout me not blaming you for everything?
How ‘bout me enjoying in a moment for once?
How ‘bout how good it feels to finally forgive you?
How ‘bout grieving it all one at a time?

Thank you, India
Thank you, terror
Thank you, disillusionment
Thank you, frailty
Thank you, consequence
Thank you, thank, you silence

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – Thank U |

Redes Sociais: A Sede do Twitter e Evernote

Estava lendo a reportagem postada no Radar Tecnológico, do Estadão:
Um passeio pela sede do Twitter, em San Francisco

estadao.com.br

 

Esta me levou a outra, também muito interessante, que mostra o escritório do Evernote.

Um passeio por um escritório do Vale do Silício 

estadao.com.br

A única coisa que consigo pensar, ao ver esses ambientes de trabalho, é:

Que desagradável!

Só que não.

Que sonho de vida…

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – All I Really Want |

Música do Dia: Alanis Morissette – Hands Clean

Porque acabo de voltar do show dela.

E essa música foi legal demais!

Soon, post a respeito!

Alanis+Morissette+-+Hands+Clean+CD+1+&+2+-+DOUBLE+CD+SINGLE+SET-206716

We’ll fast forward to a few years later

And no one knows except the both of us

And I have honored your request for silence

And you’ve washed your hands clean of this

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – Hands Clean |

Música do Dia: Alanis Morissette – Joining You

Uma das minhas músicas favoritas da Alanis.

Alanis Morissette - Joining You

That you wanted to do away with yourself
I guess she thought I would be the perfect resort
Because we’ve had this inexplicable connection
Since our youth

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – Joining You |

TED Talks: Dan Pink e a Surpreendente Ciência da Motivação

Estava conversando com um colega de trabalho sobre o TED e ele me recomendou a apresentação do Dan Pink sobre motivação.

Ela é de 2009, então alguém aqui pode já ter visto.

Eu gostei tanto que coloco mesmo assim..

Fonte: ted.com

O argumento dele é que as formas tradicionais de motivação no trabalho, recompensa e punição, somente funcionam em situações bem específicas. Assim, defende os pontos “Autonomia, Domínio e Propósito”.

http://ted.com/talks/view/id/618

Muito bom! Agradeço ao Eduardo pela dica!

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – Head Over Feet |

Na Minha Estante: Eric Clapton, “A Autobiografia”

Passei a minha virada de ano na companhia de um homem incrível: Eric.

Mr. Eric Clapton. Ou Slowhand. Ou Deus.

Ps: antes de ser uma demonstração de carência, isso nada mais significa que eu gosto de ler quando estou na praia descansando.

biografia_eric_clapton

“Clapton: the autobiography” foi publicado por aqui pela Editora Planeta do Brasil e recebeu a sensacional tradução “Eric Clapton: a Autobiografia”. Apesar de ser de 2007, só coloquei minhas mãos nele no finalzinho de 2010. Quando o fiz, o vendedor falou: “Esse livro deveria vir com todos os álbuns que ele cita…. e com uma guitarra, acoplados”. A mais pura verdade.

O tempo em que demorei para comprar foi inversamente proporcional ao que me tomou para ler. O fato dele ser muito bem escrito não é surpreendente, visto que quem o fez é o cidadão que compôs, nada mais nada menos, “Tears in Heaven”, “Circus”, “Wonderful Tonight”, “Layla”, etc.

Uma das coisas que mais me cativou na história foi a impressionante forma em que o Slowhand relatou seus vícios em heroína e álcool, seus amargos relacionamentos amorosos, o seu ponto de vista sobre os maravilhosos Yardbirds, Cream, Blind Faith, Derek and the Dominos e, claro, sua carreira solo. Sua sinceridade para “confessar” seus momentos de arrogância, de medo só o tornou, pra mim, mais ídolo que já era.

Antes de começar a ler, eu esperava com ansiedade chegar em certos pontos, como: os relacionamentos com Carla Bruni e, principalmente, Pattie Boyd; a amizade com Jimi Hendrix e George Harrison e, como não poderia deixar de ser, a morte de seu filho Conor Clapton. O capítulo dedicado ao menino, inclusive, me levou a chorar rios no meio da Praia de João Fernandes.

Ao acabar de ler tive uma vontade absurda de conhecer mais profundamente ídolos do Eric, como Robert Johnson, Buddy Holly, Jerry Lee Lewis, Little Richard. E mais do que isso, o Sr. Clapton me fez, em poucos dias, querer algo que eu nunca realmente quis nos meus 27 anos ouvindo o bom e velho rock n’ roll: querer aprender a tocar guitarra! Nem que fosse só para começar a compreender o intenso caso de amor entre esse homem, apelidado de Deus, e aquela que ele cita como a sua maior companheira de vida, nos altos e baixos.

Uma verdadeira aula de blues, de rock…de sinceridade…..de vida.

Volto mais tarde | Ao som de Eric Clapton – Layla |