Dica de Livro: The Five, da Hallie Rubenhold

Era com esse post que eu queria ter retomado o blog.

Acervo Pessoal

Fiquei sabendo da existência do The Five pela Magê Santos, que já apareceu no wol, nesse post aqui. Ela divulgava em suas redes, no ano passado, o crowdfunding feito pela bela Editora Wish.

O que mais chamou a minha atenção foi uma frase que era mais ou menos assim: “o livro que busca dar dignidade às vítimas do Jack, o Estripador”.

Até então, o meu conhecimento era que ele tinha matado prostitutas, afinal, isso que sempre foi dito por aí, né?

Aí, entrei no financiamento e aguardei que meu livro chegasse para conhecer a história dessas mulheres, cujos assassinatos foram tão crueis. Mesmo com o receio de como os momentos finais seriam retratados.

Estou aí no meio dos agradecimentos. Acervo Pessoal.

Ao recebê-lo, era impossível não ficar encantada pela execução da Wish. O livro é primoroso em sua edição.

Acervo Pessoal

Mas, indubitavelmente, as histórias falam mais alto que tudo.

A forma em que a autora pesquisou a história de cada uma é louvável, ainda mais quando se pensa no acesso à informação da época e, para piorar, de mulheres que viviam na pobreza.

Pelas histórias de Mary Ann Polly Nichols, Annie Chapman, Elizabeth Stride, Catherine Eddowes e Mary Jane Kelly somos apresentados a um outro lado daquela Inglaterra rica e poderosa que estudamos em nossas aulas de História. Um que é paupérrimo, em que as pessoas viviam em condições subumanas de higiene e de precariedade habitacional absurda.

Por todo o tempo, eu me perguntava: “o que essas mulheres viveram, fizeram, falaram, o que as levaram a estar naqueles dias específicos, horários e locais, para um fim tão cruel?”. Particularmente, a história da Annie Chapman foi a que mais me tocou, mas são todas muito tristes.

The Five é um livro de 400 páginas, que eu li em menos de uma semana. Desnecessário dizer que tem uma forte carga emocional.

Mas, a autora é extremamente bem-sucedida no seu propósito de dar dignidade a essas mulheres, sendo muito respeitosa a elas. Tanto ao retratar suas vidas, quanto seus momentos finais.

Super recomendo a leitura.

Fica a dica.

Volto mais tarde | Ao som de The Corrs – Borrowed Heaven | #twitternomore