Música do Dia: George Harrison – Beware of Darkness

Vinte anos sem ele.

Fonte: https://br.pinterest.com/deviantart/_created/

Encerrando o dia com uma de suas músicas mais belas.

Volto mais tarde | Ao som de George Harrison – Beware of Darkness | #twitternomore

20 anos sem George Harrison

O dia de hoje marca 20 anos sem um dos maiores de todos os tempos.

Quem me conhece sabe muito bem que ele é meu Beatle favorito.

E que Beatles é a minha banda favorita na vida.

Claro que amo todos! Só que a sensibilidade do George sempre balançou mais esse pobre coração aqui.

While My Guitar Gently Weeps e Something não são desse mundo. Simplesmente, isso.

Duas das maiores belezuras que ele compôs estão neste álbum. Esse vinil, em específico, além dos outros da banda, meu pai já falou que ficarão para a filha mais beatlemaníaca. Fonte: acervo pessoal.

Eu tenho dificuldades em escrever sobre ele, porque tudo parece raso e insuficiente. Sua morte já foi lamentada e relembrada em outros tempos, no wol, como pode ser visto aqui.

Então, deixo aqui registrado todo o agradecimento que tenho por esse homem.

Abaixo, a cobertura que o Jornal Nacional fez.

Também, o hino em revolta à cobrança de impostos.

E, da sua belíssima carreira solo, sobre como tudo passa.

Ao mais belo de todos, muito obrigada!

Volto mais tarde | Ao som de The Beatles – Something | #nomoretwitter

Dica Para Se Manter Atualizado: thenews, thebizness & thestories

Uma pergunta que escuto há anos é “Viviane, como você consegue me manter tão atualizada?”

De fato, eu sempre gostei muito de ver e ler jornais. Inclusive, uma lembrança de infância super gostosa que eu tenho é de estar na praia e ver meu pai comprando o “Estado de Minas”. Ele pegava os primeiros cadernos, passava o resto para mim e para a Primogênita (aquela da coluna, vocês se lembram?) e eu ficava lá, me achando, lendo jornal igual a ele.

Fonte: print/ acervo pessoal

Admito que a pandemia teve um efeito muito deletério em mim, principalmente naqueles piores momentos aqui no Brasil. Nunca antes eu tinha passado por momentos em que simplesmente desligava a tv e não entrava em sites por dias, por estar totalmente exausta por tudo que estava acontecendo. Claro que, eventualmente, isso tudo foi passando e hoje já voltei ao meu normal.

E, uma forma que eu tenho gostado demais de ler notícias é pelo thenews.cc, que me foi recomendada pela Primogênita, inclusive. Newsletter diária, recebida às 06:06, que é descrita assim:

Fonte: print/ acervo pessoal

Acho o tom super fluido, agradável de ler, mesmo quando os temas são espinhosos.

E estão se expandindo. Todas terças e quintas, às 13:13, também recebemos o thebizness.cc, com informações de negócios, comércio, análises de empresas, com direitos a muitos gráficos e infográficos, amados por essa que vos escreve.

Fonte: print/ acervo pessoal

E, finalmente, a proposta mais romântica de todas.

Fonte: print/ acervo pessoal

O thestories.cc é enviado aos domingos, 08:08, com “histórias de quem realmente sentiu algo sincero”. Histórias de amor, de amizade, com finais felizes ou não. Eu me emocionei, de verdade, com essa aqui, por exemplo:

Não vou postar toda, né? Fonte: print/ acervo pessoal

Então, para receber, basta clicar nesse link aqui e depois confirmar pelo email que enviarão.

Peço, encarecidamente, que usem esse meu link aqui, já que eles têm um programa de indicação e eu quero ganhar a minha caneca hehehe.

CLIQUEM NESSE LINK AQUI.

ok?

Então, é isso.

Ficam as dicas.

Que, antes que me esqueça, podem ser acessadas ao clicar aqui.

Volto mais tarde | Ao som de ABBA – Just a Notion | #twitternomore

Dica de Livro: The Five, da Hallie Rubenhold

Era com esse post que eu queria ter retomado o blog.

Acervo Pessoal

Fiquei sabendo da existência do The Five pela Magê Santos, que já apareceu no wol, nesse post aqui. Ela divulgava em suas redes, no ano passado, o crowdfunding feito pela bela Editora Wish.

O que mais chamou a minha atenção foi uma frase que era mais ou menos assim: “o livro que busca dar dignidade às vítimas do Jack, o Estripador”.

Até então, o meu conhecimento era que ele tinha matado prostitutas, afinal, isso que sempre foi dito por aí, né?

Aí, entrei no financiamento e aguardei que meu livro chegasse para conhecer a história dessas mulheres, cujos assassinatos foram tão crueis. Mesmo com o receio de como os momentos finais seriam retratados.

Estou aí no meio dos agradecimentos. Acervo Pessoal.

Ao recebê-lo, era impossível não ficar encantada pela execução da Wish. O livro é primoroso em sua edição.

Acervo Pessoal

Mas, indubitavelmente, as histórias falam mais alto que tudo.

A forma em que a autora pesquisou a história de cada uma é louvável, ainda mais quando se pensa no acesso à informação da época e, para piorar, de mulheres que viviam na pobreza.

Pelas histórias de Mary Ann Polly Nichols, Annie Chapman, Elizabeth Stride, Catherine Eddowes e Mary Jane Kelly somos apresentados a um outro lado daquela Inglaterra rica e poderosa que estudamos em nossas aulas de História. Um que é paupérrimo, em que as pessoas viviam em condições subumanas de higiene e de precariedade habitacional absurda.

Por todo o tempo, eu me perguntava: “o que essas mulheres viveram, fizeram, falaram, o que as levaram a estar naqueles dias específicos, horários e locais, para um fim tão cruel?”. Particularmente, a história da Annie Chapman foi a que mais me tocou, mas são todas muito tristes.

The Five é um livro de 400 páginas, que eu li em menos de uma semana. Desnecessário dizer que tem uma forte carga emocional.

Mas, a autora é extremamente bem-sucedida no seu propósito de dar dignidade a essas mulheres, sendo muito respeitosa a elas. Tanto ao retratar suas vidas, quanto seus momentos finais.

Super recomendo a leitura.

Fica a dica.

Volto mais tarde | Ao som de The Corrs – Borrowed Heaven | #twitternomore

Frase do Dia: Schopenhauer e Quem Escreve de Maneira Displicente

Decidi voltar a postar aqui no blog, mas não esperava que seria com uma Frase do Dia.

No meu planejamento, mas eu vi essa frase recentemente e amei, então, assim foi.

Que língua linda, façam bom uso.

Volto mais tarde | Ao som de ABBA – I Still Have Faith in You