Coluna da Primogênita: Viajar é…

Foto: no meu pinterest
Foto: no meu pinterest

Viajar é algo que está presente na minha vida, desde muito cedo. As minhas lembranças começam com as idas de fim de ano a Cabo Frio, a bordo de um Corcel azul. O carro estragava uma quantidade de vezes muito maior do que se pode supor para uma viagem de 500 km e não era o único responsável por paradas na estrada, já que as náuseas infantis eram constantes. Depois de viajar 10 horas para cumprir tal distância, ainda tínhamos que descarregar o carro e montar a nossa barraca, no camping que meu pai era sócio. Apesar disso tudo parecer um perrengue danado, o que de fato era, as minhas memórias são ótimas: as brincadeiras no parquinho, com os amigos que reencontrávamos todos os anos, cada um de um lugar do Brasil; a liberdade de não ter que ter sempre um adulto vigiando, coisa rara para uma criança da capital; os peixes frescos, feitos na grelha portátil e que comíamos conversando ao ar livre, somente deixando a vida passar. Talvez tudo isso que eu escrevo esteja romantizado pelos efeitos da nostalgia, já que acho que minha cota de acampamentos na vida já esteja vencida. Independentemente, guardo com muito carinho essas lembranças que sempre rendem muitas risadas nos almoços de família.

Praia do Forte - Cabo Frio
Praia do Forte – Cabo Frio

Já o interesse por conhecer o exterior, surgiu aos 5 anos, quando um primo, alguns anos mais velho que eu, voltou de um intercâmbio no Canadá e sua família canadense veio nos conhecer. Fiquei completamente hipnotizada por aquelas pessoas diferentes, que falavam uma língua que eu não entendia e que mesmo assim, tratavam o meu primo com intimidade. Desde aquela idade, falava para minha mãe que iria fazer intercâmbio para o Canadá e minha mãe me ouvia como se aquilo fosse uma anedota de uma criança sonhadora. Até que fiz 15 anos, e achei que já era hora de programar a viagem. Minha mãe me olhou assustada, como se aquilo fosse a maior novidade! Naquela época (1997, tempos nem tão remotos assim!) fazer intercâmbio não era algo muito comum e havia aqueles casos terríveis que as pessoas contavam, como as de famílias que colocavam o cachorro na frente da geladeira para que o intercambista não a abrisse quando quisesse. O mundo não era tão globalizado, a internet ainda engatinhava e ficar seis meses em outro país era um tempo e uma distância enormes. Acabei não indo para o Canadá (minha viagem começaria em janeiro e lá seria muito frio) e através de um golpe de sorte, fui sorteada para ir para Califórnia. Em um golpe de sorte ainda maior, minha host family  foi incrível comigo e me possibilitou virar aquele estado de cabeça para baixo e explorar muitos de seus seus encantos!

Yosemite Park - CA/EUA
Yosemite Park – CA/EUA

Desde então, não parei mais. Cada dinheirinho que eu ganhasse, fosse presente de Natal, bolsa de estágio na faculdade, aula de inglês, tudo era poupado, para que eu pudesse planejar a próxima viagem, qualquer que fosse: viagem com família ou mochilão sozinha, hospedar em casa com apenas um banheiro, com 14 amigos no interior de Minas, passar um fim de semana nos arredores de BH, ir para São Paulo ou Rio com as amigas…O importante era, e ainda é, viajar!

Serra do Cipó - MG
Serra do Cipó – MG

Quando a Vivi me convidou para escrever no seu tão amado words of leisure, a ideia era que eu falasse sobre esse tema que tanto me seduz. De acordo com os pedidos de dicas de amigos e com as informações fresquinhas que eu tinha das minhas viagens mais recentes, a Coluna da Primogênita sempre teve uma característica muito forte de dar dicas de lugares para ir ou passeios a fazer. Mas na realidade, viajar, para mim, é muito mais do que ir a um restaurante legal ou ficar em um bom hotel, é uma possibilidade tanto de auto-conhecimento, como de abrir a sua cabeça para novas ideias, culturas e formas de viver a vida. A pessoa que eu sou hoje, a maneira como eu me relaciono, alimento, visto, tudo é resultado de todas as minhas experiências, que foram muito influenciadas pelas viagens que eu fiz. 

Isso tudo para dizer que, além de dar as dicas, gostaria de com alguma regularidade, usar essa coluna para compartilhar ideias, livros, links, inspirados em viagens e todo o universo que se abre a partir delas!  Outros podem nem ser tão relacionados a viagens em si, mas em algum assunto de interesse meu. Tudo com o objetivo apenas de compartilhamento de um ponto de vista, de discutir um tema, sem nenhum compromisso com regularidade, ou de dizer uma verdade absoluta (mesmo porque, existe verdade absoluta?). 

Para inspirar-se:

– Como postado pela Vivi, o Amyr Klink falou e disse:  A Importância de Sair de Casa e Viajar

– Amo esse texto da Jana Rosa, pois descreve muito bem, como eu sempre encarei o ato de viajar. No entanto, tenho uma observação. Em um país onde muitos ainda passam fome, não tem esgoto ou eletricidade, acho que se podemos viajar por aí, pertencemos sim à uma classe privilegiada. O que compartilho do ponto de vista dela é a respeito de viajar não ter sido algo conquistado de mão beijada, que foi preciso escolher e fazer concessões. Tá viajando é porque é rica?

– Já dei a dica do blog Depois da Próxima Viagem, neste post.  A Flávia Vilhena, conhecida minha de longa data, tem um talento enorme para escrever, fotografar e criar desejos imediatos de viagens, e nesse post,  ela define muito bem o prazer proporcionado por cada nova viagem: Por que eu amo viajar?

– O blog World of Wanderlust é um dos mais interessantes que conheço sobre viagens. A Brooke Saward é uma menina (22 aninhos!) australiana que tirou um ano de sua vida para viajar sozinha ao redor do mundo. No seu blog, ela compartilha essa experiência incrível. E nesse texto, ela fala o que ela percebe que mudou depois de começar a viajar (o texto é inglês): How Travel Made Me a Better Person

Então é isso! Boas viagens e boa semana!

Anúncios

10 comentários em “Coluna da Primogênita: Viajar é…

  1. Querida Isabela e Viviane, viajar realmente é tudo de bom. É a melhor forma de colecionar momentos e abrir novos horizontes, mas, perfeita é a frase de um anônimo que vi na internet: “Não viajo para fugir da vida, mas para a vida não fugir de mim!” ………Viviane, parabéns pelo seu blog, que tem sabor de um delicioso livro de histórias! Um grande abraço!

    Curtido por 1 pessoa

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.