Música do Dia: Rancid – Time Bomb

rancid-timebomb

Black coat
White shoes
Black hat
Cadillac, yeah
The boy’s a time bomb
Black coat
White shoes
Black hat
Cadillac, yeah
The boy’s a time bomb

Volto mais tarde | Ao som de Rancid – Time Bomb |

Anúncios

Na Minha Estante: Carlos de Brito e Mello, “A Cidade, O Inquisidor e os Ordinários”

Alguns dias atrás, eu postei um infográfico que mostrava As razões dos livros serem ótimos presentes.

Lembrei dele porque o último livro que li, A Cidade, o Inquisidor e os Ordinários, foi um presente de uma tia muito amada que sabe o tanto que sou louca por livros. Mesmo sem saber ao certo se gostaria deste, seguiu a sugestão do vendedor da livraria e me deu a obra do Carlos de Brito e Mello.

Que bom que o fez, porque ele é excelente.

O meu livro. Acervo Pessoal
O meu livro.
Acervo Pessoal

A chamada da Companhia das Letras captou, de cara, a minha atenção.

Um auto moralizante de classe média no Brasil dos dias atuais.

Não somente isso, mas também a forma do autor de escrever.
Diálogos fora do padrão e personagens com nomes para além do habitual fizeram com que eu demorasse um pouco para emplacar a leitura.

Mas, uma vez acostumada, o devorei, como vocês podem ver na figura abaixo, tirada do meu GoodReads.

PS: Não sabe o que é isso? Clique aqui, então.

goodreads

É só ver a quantidade de páginas lidas entre as datas para ver que estava gostando horrores daquilo que passava pelos meus olhos.

O livro é uma deliciosa sátira sobre os costumes. Em que o Decoroso busca fazer sua Inquisição sobre os Bobos.

Isso mesmo, os bobos.

Muito bom.

Certamente, um dos livros mais interessantes que li nos últimos tempos.

Recomendo demais. Fica a dica.

Volto mais tarde | Ao som de Suede – What Are You Not Telling Me? |

Vídeo do Dia: “Não É Porque Não Está Acontecendo Aqui Que Significa Que Não Está Acontecendo”.

O vídeo abaixo, produzido pela ONG Save The Children, é simplesmente sensacional.

Com o tema “Não é porque não está acontecendo aqui que significa que não está acontecendo”, a ONG alerta para a situação das crianças no conflito da Síria.

Deixo bem claro que não há nenhuma cena repulsiva de violência, o que significa que todo mundo pode ver.

A ideia é mostrar, em um minuto e meio, como a vida de uma menina inglesa muda ao começar um conflito em seu país.

Muito, muito bom.

E triste.

video-siria

Volto mais tarde | Ao som de Eels – New Alphabet |