Música do Dia: The Corrs – Forgiven Not Forgotten

Em homenagem ao Álbum do Dia, que não é do dia.

A música que dá nome a ele.

Com direito ao típico show solo da Sharon no início.

…No sensacional show em Lansdowne Road, em Dublin.

Amo essa música.

A bleeding heart torn apart left on an icy grave
In their room where they once lay face to face
Nothing could get in the way
But now the memories of a man are haunting her days
And the craving never fades
She’s still dreaming of a man long forgiven, not forgotten

You’re forgiven, not forgotten

Volto mais tarde.

Ao som de The Corrs – Forgiven Not Forgotten

Anúncios

Hoje…Algum Tempo Atrás: Os 18 Anos do Forgiven Not Forgotten

Vejam a lerdeza da garota: quando pensei que o Forgiven Not Forgotten completaria 18 anos em 2013, fui atrás da data de lançamento do mesmo e anotei que teria sido em dezembro de 1995.

Pois bem, foi em 26 de setembro. Perdi a data de um dos meus álbuns favoritos na vida, como mostrei nos posts:

Música: Uma Música Por Álbum – The Corrs, parte 1

Música: Uma Música Por Álbum – The Corrs, parte 2 

Triste.

Mas como me recuso a deixar passar, aqui está, quase com um mês de atraso.

Forgiven_Not_Forgotten

Como escrevi na “Parte 2”, esse é o meu disco favorito do The Corrs, mesmo não sendo aquele que considero o melhor (isso fica a cargo do Talk On Corners).

Como acontece com várias bandas, o de estreia é mais cru, com menos firulas. E isso me encanta.

A abertura com Erin Shore seguida de Forgiven Not Forgotten é incrível, seguida de Heaven Knows, que sempre esteve entre as minhas favoritas da banda, principalmente pelo solo de bateria no início. Someday e Secret Life têm essas mesmas características, de serem mais viscerais.

Não tenho como não ressaltar que o Forgiven Not Forgotten é fortemente marcado pelas instrumentais, que tanto caracterizam a banda. Nesses momentos, eles mostram como certamente não são apenas rostos bonitos.

Deixo Toss The Feathers como amostra e como homenagem à primogênita, que ama.

Outro ponto lindo do disco é que duas das baladas mais lindas deles estão ali: Runaway e Closer.

O lado ruim é que duas músicas que eu não gosto nem um pouco estão nele: Leave Me Alone e The Right Time.

Mas não tem problema: ele ainda continua como meu amorzão.

That’s it.

Parabéns ao Corrs pela maioridade do primogênito.

Volto mais tarde.

Ao som de The Corrs – Forgiven Not Forgotten.