Música do Dia: Oasis – Don’t Go Away

Saudades desses marrentos.

Oasis - Don't Go Away

So don’t go away
Say what you say
But say that you’ll stay
Forever and a day
In the time of my life
‘Cause I need more time
Yes, I need more time
Just to make things right

Volto mais tarde | Ao som de Oasis – Don’t Go Away |

Anúncios

No iPod: Sobre o iminente fim da MTV Brasil

Por tudo que ela já significou pra mim…

Por todas as bandas maravilhosas que me apresentou…

Pelas milhões de horas passadas em frente à TV vendo seus clipes..

MTV_Brasil_by_vitoraws

MTV Brasil já tem data para encerrar suas operações 

….a tristeza bate…

Volto mais tarde |Ao som de Eric Clapton – The Core | 

Hoje…Algum Tempo Atrás: Os 15 Anos de Sex and the City

Li no Ligado em Série: há exatos 15 anos atrás, ia ao ar o primeiro episódio de Sex and the City.

sex-and-the-city-002

Essa é uma série bem 8 ou 80, né? Há os que amam e os que odeiam.

Eu estou no primeiro grupo. Definitivamente.

Lembro de ver em uma reportagem uma vez: ao contrário do que muitos pensam, não era um programa com quatro protagonistas….NY era tão fundamental quanto Carrie Bradshaw, Samantha Jones, Charlotte York e Miranda Hobbes.

Cidade que eu aprendi amar com a maior facilidade do mundo e que foi retratada maravilhosamente na série. Como é linda a Nova Iorque de Sex and the City;

Personagens que mostravam uma independência feminina que incomodava demais aos rapazes (sim, estou generalizando). Sexo, e a forma em que as mulheres o encaram, mostrado como poucas vezes antes;

Roupas lindas, lindas, lindas;

Texto divertido;

E a música de abertura? Adorava quando tocava!

Quantas séries já surgiram depois, visivelmente inspiradas em Sex and the City?

Muito legal saber que tudo começava há 15 anos…

“Once upon a time, a british journalist who came to New York…”. Essa foi a primeira frase dita pela atriz Sarah Jessica Parker como Carrie Bradshaw, personagem que marcou sua carreira eternamente. Não, não era a Carrie que chegava em Nova Iorque. Carrie estava contando outra história, de outra jornalista, mas que facilmente poderia ser a sua história. E essa é a beleza de Sex and the City. Uma comédia simples sobre quatro mulheres independentes entre 30 e 40 anos, e que facilmente pode ser adequada a situações que você, cara leitora, já viveu.

Gostei muito desse trecho. Concordo, óbvio.

Sex and the City afetou absurdamente o comportamento da sociedade durante os anos em que foi ao ar. Em determinado episódio da primeira temporada, Miranda apresenta para as três amigas seu “amiguinho” quando estava solitária: um vibrador. O modelo utilizado na série ficou conhecido no mundo todo, inclusive a venda de vibradores aumentou consideravelmente na época. Além de Sex and the City falar abertamente sobre sexo, quebrando assim muitos tabus e gerando discussões entre os mais conservadores, a produção também serviu para apresentar uma Nova Iorque esplendorosa, que virou sonho de consumo para muitos. Não é por menos que foi lançado um livro chamado “A Nova York de Sex and the City”, que destaca todos os bares, boates, cafés, restaurantes e afins que já foram citados ou apareceram na série (você pode comprar o livro aqui). Afinal, muitos locais ficaram extremamente disputados após virarem referência na comédia.

Para ver o texto do Ligado em Série, clique aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Alanis Morissette – Uninvited |