Música do Dia: Miguel Bose & Shakira – Si Tú No Vuelves

A música é do Miguel Bose.

Aqui, versão do álbum Papito, com a Shakira.

Miguel Bose & Shakira - Si Tú No Vuelves

Letra linda.

Gosto demais.

Y cada noche vendrá una estrella a hacerme compañía
Que te cuente cómo estoy y sepas lo que hay
Dime amor, amor, amor
Estoy aqui, no ves?
Si no vuelves no habrá vida
No sé lo que haré

Volto mais tarde | Ao som de Miguel Bose & Shakira – Si Tú No Vuelves |

 

Anúncios

Coluna da Primogênita: Paris – Hospedagens com bom custo-benefício

Ahh Paris, cidade luz, do romance, a mais visitada do mundo, destino de muitos casais em lua de mel, sonho….

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

 

Mas quando o assunto é hospedagem, a conversa pode ser outra…

Para quem o dinheiro não é problema, não faltam opções de hotéis luxuosos com o melhor da sofisticação e do bom gosto, pelos quais os parisienses são conhecidos. Mas para quem não desfruta deste privilégio, encontrar um hotel digno na cidade pode ser uma dificuldade! Muitos se queixam que mesmo pagando caro, os hotéis pecam nos critérios de higiene, atendimento ou até mesmo espaço para locomoção. E como recentemente, muitas pessoas têm me pedido essa dica, deixo aqui 2 sugestões.

  1. Hotel Minerve

O mais bacana deste hotel é a localização. Situado na super simpática e jovem Rue des Écoles, no Quartier Latin, está a dois quarteirões do Rio Sena, no máximo. Além disso, apenas alguns quarteirões do jardim Luxemburgo, da Sorbonne e do Museu do Mundo Árabe.

A- Hotel Minerve
A- Hotel Minerve

Muitos jovens circulam pela região dando uma vitalidade muito bacana ao local. Do outro lado do Sena fica o Marais, na minha opinião, um dos bairros mais charmosos de Paris. E quando quiser passear em regiões mais distantes, o que não faltam são estações de metrô e pontos de ônibus (o mapa acima dá uma noção). Ou seja: localização melhor, impossível!

Trata-se de um hotel 3 estrelas, sem muito luxo, mas é super limpo, o atendimento dos funcionários é ótimo e essas duas características são valiosas na capital francesa. E sinceramente, em uma cidade como esta, para mim, localização e limpeza são os critérios mais importantes. Afinal de contas, ficar no hotel não está nas minhas prioridades! Ele oferece café da manhã à parte do valor da diária, mas como sou apaixonada pelas boulangeries francesas não experimentei a refeição de lá nem um dia sequer!

Para mais informações: www.parishotelminerve.com

2. Mije

Quando estudei na França, a minha prioridade turística era explorar Paris. Estudante, não tinha muita grana para gastar com hospedagem. Por outro lado, a idéia de ficar em albergues, lotados, com até 10 leitos por quarto, banheiros coletivos, algumas vezes sujos, não me atraia muito. No início da temporada, eu e minhas colegas de estágio visitamos alguns destes e estávamos ficando desanimadas até que descobrimos esse achado: o Mije.

É uma rede de hostels, em 3 endereços no coração do Marais. As construções  são townhouses super bem conservadas, geralmente com um pátio interno, o que dá uma tranquilidade com relação ao burburinho do lado de fora. Eu ficava sempre no prédio da Rue de Fourcy, não por escolha, pois gostaria de ter conhecido os outros, mas foi uma questão de disponibilidade de vagas. De qualquer forma, sempre achava ótimo, pois estava do lado da estação St. Paul e da Rue de Rivoli, ou seja, deslocar era muito fácil. Mas a verdade é que muitas vezes nem dava vontade de ir muito longe, pois a vizinhança já é uma delícia mesmo!

E o bacana do Mije é que lá você tem opções de quartos individuais (52 euros), duplos (39 euros), triplos (34 euros) ou em grupos (32 euros). Como eu, geralmente, estava com minhas amigas, o quarto era só nosso. Tinham sempre um banheiro, com chuveiro e pia. No mais, os banheiros são coletivos, mas são vários por andar e, em geral, estavam muito limpos!

Como o hostel tem uma política de fechar as portas uma hora da manhã, não é muito atraente para aqueles que querem curtir a balada de Paris. O que víamos muito por lá eram grupos escolares e pessoas mais velhas viajando sozinha. Como o nosso grupo era mais do dia que da noite, isso não foi um problema!

Entrei no Tripadvisor afinal já tem um tempo que eu fiquei lá e, pelo que vi, a maioria do pessoal concorda comigo: ótimo custo-benefício!

Para mais informações: www.mije.com.

Espero que essas dicas sejam úteis! Afinal de contas, ficar  estressado em Paris não é bacana! Il faut profiter!

Dicas Tecnológicas: iPad como ferramenta de trabalho

Eu não tenho um iPad então não posso “confirmar” o texto feito pela BR-Mac via experiência pessoal, mas ainda assim, coloco aqui.

br-mac

O post é lá de 2011, mas vale a pena dar uma conferida (principalmente os que têm o aparelho….duh!) por ele mostrar formas de uso e de aumentar a produtividade que são interessantes.

Tipo:

iPad para teletrabalho ocasional: quem eventualmente precisa se ausentar do seu local de serviço (reunião externa, viagem a serviço) e pode contar com acesso remoto aos seus dados encontra no iPad um bom equilíbrio entre a conveniência de transportar, a conectividade, a duração da bateria e o acesso a conteúdos e sistemas disponíveis on-line.

E:

Separe as apps de trabalho e as de lazer: a permanente oportunidade de distração representada pelo iPad é uma tentação poderosa e permanente. Não a coloque no caminho da sua produtividade! Coloque as apps “de serviço” numa tela separada, e resista a “dar uma olhadinha” nas outras!

Importante.

Para ver o post completo, clique em:

iPad como ferramenta de trabalho: 7 dicas

Tenho que ressaltar que as dicas valem para outros tablets e não exclusivamente ao iPad? Acho que não, né?

Volto mais tarde | Ao som de Cat Power – Hate |

Dica de Leitura: 8 Dicas Para Estimular Seu Filho a Escrever

Nossa, o Educar para Crescer fez um post tão bacana, a fim de mostrar o papel da família no estímulo à escrita.

educarparacrescer

Print screen de uma das 8 dicas:

estimularescritaPara ver a explicação para as outras, que estão mostradas na figura acima, clique em:

8 dicas para estimular seu filho a escrever 

Super útil.

Volto mais tarde | Ao som de Keane – Playing Along |