Esportes: Quadro de Medalhas, Dia 15

Impressionante como algumas pratas são muito mais honrosas que outras…

Fonte: Time Brasil, Facebook.

Sem contar uma das campanhas mais incríveis da história!

Fonte: Time Brasil, Facebook.

Agora, é torcer pelo masculino!

Ps: Sim, o Brasil ganhou uma outra prata hoje. Medalha linda para uma categoria esportiva que não a merece…

E o quadro?

Fonte: ESPN Brasil

Volto mais tarde.

Ao som de Keane – On The Road

Anúncios

Esportes: Momento Especial Para o Vôlei

É impressionante como o esporte nos leva a sentimentos tão loucos, né?

De um início de campeonato péssimo, digno de críticas, a um jogo divisor de águas contra a China.

De um dos melhores jogos da história do esporte contra a Rússia…Para um primeiro set horrível contra o EUA, favorito.

A uma virada maravilhosa!

Um bicampeonato que demonstrou, simplesmente, dignidade. Para dar a volta por cima e superar momentos críticos.

Cinco destaques, pra mim:

– Antes dos Jogos, eu achava que as levantadoras deveriam ser Fernandinha e Fabíola. Dani Lins treinou, treinou, ficou no grupo, virou titular de forma absolutamente merecida! Parabéns!

Braço torcido pra moça!

–  Duas cirurgias tensas no joelho; trombose no braço direito; doping besta; aborto; fratura na coluna cervical. É muita superação pra uma pessoa só!

Melhor jogadora da final, essa Jaqueline Carvalho! Brilhante!

– Sheilla pra mim é, de todas dessa equipe, a que entra fácil no grupo das melhores jogadoras da história do Brasil, junto com Isabel, Jacqueline Silva, Fernanda Venturini, Ana Moser…. Histórico o que ela fez contra a Rússia!

– Bom, o homem é tricampeão olímpico. Precisa falar mais????? Muito mestre!

Finalmente:

As pessoas gostam demais de falar contra os EUA, né? Anti-americanismo rola solto. Mas não podemos nos esquecer o espírito olímpico que o time demonstrou, lá na fase de classificação, ao entrar com a equipe titular e passar por cima da Turquia. Se quisessem, poderiam colocar as reservas (continuariam com o primeiro lugar), perderiam o jogo e eliminariam o Brasil, que ficaria em nono lugar nos Jogos. Mas não fizeram isso. Foram lá, ganharam, fizeram uma campanha irretocável, eram favoritas, deram um couro no Brasil no primeiro set, mas…..

(Então, sim, reservo um espaço para destacar o espírito olímpico e a postura digna e honrosa do time americano.)

Parabéns ao EUA, que fizeram um papel brilhante e deram mais brilho ao ouro brasileiro.

…Mas, o ouro é nosso!

Lindo, emocionante título do Brasil!

Parabéns a todas e todos!

Volto mais tarde.

Ao som de Keane – Disconnected

Esportes: Até Que Ponto Vale a Pena?

Dois dias atrás, o texto do Fabiano Maisonnave rodou a internet: “Chineses questionam sua “máquina de medalhas”

Imagens como essa abaixo levam ao óbvio questionamento: até que ponto vale a luta por medalhas?

Fonte: Folha de São Paulo

Minutos após receber a medalha do ouro olímpico, o pai da atleta de salto sincronizado Wu Minxia lhe contou que sua mãe está com câncer de mama e que seus avós maternos haviam morrido há mais de um ano. “Aceitamos há muito tempo que ela não nos pertence”, justificou o pai. “Nem sequer ouso pensar em coisas como desfrutar a felicidade familiar.”

Com a medalha de prata no peito, o levantador de peso Wu Jingbiao disse, desconsolado, a um repórter: “Eu desonrei o meu país, eu desonrei o time nacional de levantamento de peso, eu desonrei todos os que se importam comigo”.

Concordo com o Rodrigo Constantino, no Facebook:

Quais os limites éticos para a vitória? Ela compensa sempre, custe o que custar? O CAMINHO percorrido até o sucesso é ao menos tão importante quanto ele. Os fins nobres não devem justificar os meios torpes. Infelizmente, muitos esportes (e negócios) estão deixando de ser um desafio para a superação individual ou de grupo e se tornando algo completamente diferente. Precisamos refletir sobre isso…

Sim, vale a reflexão.

Volto mais tarde | Ao som de The Charlatans – Patrol |