Review – Shows: Ringo Starr, Quando um sonho se realiza… parte 2

Dos Beatles que eram possíveis ver ao vivo, meu checklist  está completo! E tudo no ano de 2011!

Memorável….

Toda beatlemaníaco tem verdadeiro horror de toda e qualquer frase que rebaixa a importância que o Mr. Starkey teve na banda. E quantas abobrinhas eu ouvi, desde que o show dele aqui em BH foi anunciado. Até “sofrível” falaram… na minha frente. Ainda bem que a consciência de que agressão é crime é algo presente em mim.

Quando o Ringo entrou no palco do Chevrollet Hall, meu coração estava na boca. O set list não surpreendeu, porque foi o mesmo de todos os shows da turnê brasileira. Mas pouco importava, afinal, eu estava a poucos metros de um Beatle. Na realidade, nada mais importava.

71 anos, pulando durante o show. Carisma absurdo!

Começou com “It don’t come easy” (Ai, George), “Honey Don’t” (Memorável) para depois tocar “Choose Love”.

Aí aconteceu um dos momentos mais especiais: quando o Mr. Starkey virou de costas para o público e partiu rumo a bateria! Sério, as pessoas vibravam como se fosse gol em um jogo futebol! Ao tomar seu posto de direito e tocar balançando a cabeça, eu tremi e me arrepiei toda! Veio na cabeça vários momentos da banda, deles novinhos e aí caiu a ficha que, de fato, estava vendo Ringo Starr logo ali, na minha frente! Inacreditável. O vídeo abaixo mostra essas três músicas.

No nono minuto do vídeo, o momento supracitado acontece. A pessoa que filmou estava extremamente próxima ao palco, então não dá pra ver como foi a reação geral. Mas dá para ter uma ideia!

A “All Star Band”, banda que o acompanha, é excelente! Fizeram ótimas apresentações e conseguiram fazer com que as 7 mil pessoas presentes se divertissem bastante.

Cito uma reportagem do Terra: “Durante o show, o ex-beatle abre o espaço para os outros componentes da banda. Wally Palmar (guitarra; ex-The Romantics), Edgar Winter (teclado; irmão do guitarrista Johnny Winter), Gary Wright (teclado; ex-Spooky Tooth), Richard Page (baixo; ex-Mr. Mister), Rick Derringer (ex-McCoys), e Gregg Bissonette (bateria, ex-David Lee Roth) mostram diverso repertório e a todo momento exaltam a oportunidade de tocar ao lado de Starr.” (Cliquem aqui para ler)

Mas não tem jeito né? Todo mundo queria ver as músicas dos Beatles, principalmente. E tivemos em Yellow Submarine aquele que foi O MOMENTO do show! Inacreditável o que foi aquilo! No vídeo abaixo dá para ter uma noção.

Foi um show incrível, memorável para todo e qualquer beatlemaníaco que se preze. O homem é pura simpatia e carisma. E nos proporcionou um final mágico:

Photograph (oh George)
Act Naturally
With a Little Help from My Friends 
Give Peace a Chance

Essas duas nos vídeos abaixo:

Mas não como não falar: faltou Octupus’s Garden, hein, Ringo? Mas ok, fica para o próximo!!

Volto mais tarde.

Ao som de The Beatles – Revolver

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.