Música: Gosto Musical e Empregos

Acabo de ler a reportagem “Gostar de rock começa a pesar na avaliação profissional”.

É isso aí, Homer!

Continuar lendo “Música: Gosto Musical e Empregos”

Anúncios

Esportes: Parabéns, Fabiana!

Hoje foi um dia histórico para o esporte nacional!

Fabiana Murer foi campeã mundial do salto com vara e conquistou a primeira medalha para o país nesse campeonato!!

Comemore bastante, minha filha, porque você merece!

Continuar lendo “Esportes: Parabéns, Fabiana!”

Música do Dia: Oasis – Supersonic

Hoje, eu estava dirigindo meu carro, músicas tocando de forma randômica quando a maravilhosa Supersonic começou….

Oasis Supersonic

Ela é um dos maiores símbolos da minha indepêndencia musical, visto que até 1994, 1995, o meu gosto era totalmente influenciado pelo da primogênita aqui de casa. Tanto o Oasis quanto o Blur têm a extrema importância na minha vida, muito por isso: foram bandas que eu passei a gostar por conta própria.

Pior foi chegar em casa e ver que a última vez que eu ouvi o Definitely Maybe foi no ano passado! Sinal de uma mad fer it pra lá de relapsa!

I need to be myself
I can’t be no one else
I’m feeling supersonic
Give me gin and tonic
You can have it all but how much do you want it?

You make me laugh
Give me your autograph
Can I ride with you in your BMW?
You can sail with me in my yellow submarine

Volto mais tarde | Ao som de Oasis – Supersonic |

Hoje…Algum Tempo Atrás: Os 20 anos do Ten

Há exatos vinte anos… e um dia…. era lançado um dos melhores álbuns da década de 90 e, com certeza, um dos meus favoritos. “Ten”!

Pearl_Jam-Ten-Frontal

Pearl Jam é simplesmente sensacional e o show deles, em São Paulo, no dia 03 de dezembro de 2005 foi um dos melhores da minha vida.

Coloco aqui o link para o site do TVZ, que fala mais sobre o disco.

Como eu tenho sérias dificuldades em escolher a minha música favorita dele (atualmente, é Oceans), coloco o vídeo da que eu me lembro de, ao ouvir, pensar: “não acredito que eu estou aqui, não acredito que eu estou aqui, não acredito que eu estou aqui, não acredito que eu estou aqui,“.

Podem escolher 4 mãos ali no meio, mais para o lado direito de quem vê o palco de frente, que são minhas e da minha irmã!

Absurdo de banda!

Volto mais tarde | Ao som de Pearl Jam – Ten |

Dicas de Leituras: A Saída Do Steve Jobs

De uma era, pode até ser. Mas será o fim da Apple?

Aí não né? Mas é claro que os desafios serão imensos, para a empresa.

Steve Jobs e seu sucessor, Tim Cook. Fonte: ft.com

O cara é genial, e a perda será sentida. Eu, certamente, estarei aqui para ver as cenas dos próximos capítulos.

Coloco alguns links com notícias ou comentários:

Estadão (notícia);

Estadão (comentário);

BBC Brasil;

Bom dia Brasil;

The Economist;

Financial Times;

The New York Times (notícia)

The New York Times (comentário)

Volto mais tarde | Ao som de Pearl Jam – Once |

No iPod: As Melhores Músicas da Década de 80

Acabo de ver no “Tenho mais discos que amigos”, que leitores, editores e escritores da Gibson.com elegeram as melhores músicas da década de 80.

The-Clash-London-Calling
Muito, muito bom.

A lista dos editores e escritores é essa aqui:

 1. The Clash, “London Calling” (1980)

2. Guns N’ Roses, “Sweet Child o’ Mine” (1988)

3. Michael Jackson, “Billie Jean” (1983)

4. Guns N’ Roses, “Welcome to the Jungle” (1987)

5. Public Enemy, “Fight the Power” (1989)

6. AC/DC, “You Shook Me All Night Long” (1980)

7. Prince, “When Doves Cry” (1984)

8. Def Leppard, “Pour Some Sugar on Me” (1987)

9. Van Halen, “Jump” (1984)

10. Duran Duran, “Hungry Like The Wolf” (1982)

Já a dos leitores:

1. AC/DC, “Back in Black” (1981)

2. Iron Maiden, “The Number of the Beast” (1982)

3. AC/DC, “Shoot to Thrill” (1980)

4. Dire Straits, “Money for Nothing” (1984)

5. Simple Minds, “Don’t You (Forget About Me)” (1985)

6. Roxy Music, “More Than This” (1982)

7. Guns N’ Roses, “Welcome to the Jungle” (1987)

8. R.E.M., “It’s the End of the World as We Know It (And I Feel Fine)” (1987)

9. Van Halen, “Jump” (1984)

10. Guns N’ Roses, “Sweet Child o’ Mine” (1988)

Nossa, eu não consigo eleger a minha, já que eu amo a música da década de 80! Mas acho que tanto “London Calling” quanto “Back in Black” são excelentes escolhas.

Très difficile!!!

Volto mais tarde | Ao som de Guns N’ Roses, Sweet Child o’ Mine |

Música do Dia: Goldfrapp – Oh La La

Essa foi a última música que escutei quando cheguei ao trabalho.

Fiquei o dia todo com ela na minha cabeça.

Muy buena!!

Goldfrapp+-+Ooh+La+La

Dial up my number now
Weaving it through the wire

Switch me on
Turn me up
Don’t want it Baudelaire
Just glitter lust
Switch me on
Turn me up
I want to touch you
You’re just made for love

Volto mais tarde | Ao som de Goldfrapp – Oh La La  |

Esportes: A Briga Na Seleção Masculina De Vôlei

Quando escrevi no “O lado negro do futebol” que este não era o meu esporte favorito, algumas pessoas me perguntaram: “Não é? Então qual é?”.

Vôlei, claro! Sonhei ser jogadora por um bocado de tempo, mas a falta de talento e de altura tornou a questão pra lá de impossível.

Confusão com o Giba não, Bernardo!

Apesar de que hoje a modalidade não ocupa 16 horas do meu dia, como já foi há um tempo, continuo torcedora fervorosa (não exatamente fiel) da Seleção (feminina e masculina) e dos times do Minas (idem). Quando recebi, ontem, o e-mail de uma grande amiga (que fiz por conta do vôlei) fiquei bem impressionada. Não tinha nem noção dos rachas que o Bruno Voloch conta em seu blog.

Quando ocorreu a briga entre o Bernardinho e o Ricardinho, eu entendi o lado do primeiro porque nunca achei que o levantador era uma pessoa fácil, muito pelo contrário. O cara é um gênio, um levantador sensacional, um dos melhores da história, e, por isso mesmo, de personalidade bem complicada. Eu me lembro muito bem da minha reação na época: queria ver qual seria o posicionamento do Giba, que era grande amigo do Ricardo. Quando vi que ele ficou ao lado do Bernardo, a história teve seu desfecho pra mim.

Mas agora, ver que um dos problemas é justamente com o Giba… aí complicou. Sempre fui muito fã dele, desde quando começou a ter destaque. E o apreço aumentou ainda mais no ano passado, durante o Mundial, que ele não somente ficou no banco do Murilo e do Dante, mas deu apoio, incentivava os colegas de equipe. Achei a postura digna de um cara que sabe que é ídolo. Nessa, acho bem difícil entender o lado do Bernardo, viu? Mesmo sendo este, um dos maiores técnicos da história, independente de modalidade ou nacionalidade.

Já em relação ao Bruninho, eu concordo com o Voloch: é fraquinho. Muito bom pra time que joga a Superliga, tem condições de brigar por vaga na Seleção. Mas titular absoluto? Nunca! O Marlon, mesmo estando bem longe do Ricardinho, do Maurício, até mesmo do Marcelinho, é bem melhor que ele.

De qualquer forma, espero que a situação seja resolvida, ao menos até a Olimpíada. Que seja uma solução melhor que a que o Giba teria confidenciado a amigos, e que eu cito do blog: “O jogador teria confidenciado aos amigos mais próximos que iria ‘aturar’ Bernardinho por causa da Olimpíada de Londres, objetivo principal do atleta. Giba quer encerrar sua história na seleção brasileira em 2012, nos jogos olímpicos.” Tem que ficar melhor que isso! Pelo bem do esporte!

Ah, não tem idéia do que seriam os posts do Bruno Voloch sobre os rachas na Seleção? Clique aqui e aqui!

Volto mais tarde | Ao som de The Cardigans – Sabbath Bloody Sabbath |

Música do Dia: The Cardigans – Communication

São tantas as músicas belas que existem no mundo. Mas algumas simplesmente nos marcam mais que outras.

the-cardigans-4e4fabb4ee90d

 O tanto que eu amo esta música que eu coloco aqui é difícil de explicar. Se um dia tivesse a chance de conhecer o pessoal do The Cardigans, os agradeceria profundamente por terem escrito Communication. Na realidade, agradeceria por todo o disco Long Gone Before Daylight, que é um dos que eu mais amo nessa vida. E em outras também.

Sempre fui apaixonada por ela, mas tem épocas que mexe mais comigo que outras. E como estou em uma dessas fases, aqui está. Simplesmente perfeita. Linda, linda, linda.

” Por vinte e sete anos eu venho tentando

Acreditar e confiar nas

Diferentes pessoas que eu encontrei

Algumas chegaram mais perto que outras

Algumas nem sequer me incomodaram

E, então….”

Sério, que saudade absurda que eu tenho dessa banda. Ao lado do Blur, é a que eu mais queria ver de volta. Mas, parece que ficarei só na vontade mesmo, infelizmente.

Coloco o vídeo de um show ao vivo, da época de quando eu os vi incrivelmente perto de mim.

Ps: Como é lindo esse Peter Svensson!

You always seem to know where to find me

And I’m still here behind you

In the corner of your eye

I’ll never really learn how to love you

But I know that I love you

Through the hole in the sky

Where I see you

And that’s not an invitation

That’s all I get

If this is communication

I disconnect

I’ve seen you, I know you

But I don’t know how to connect

So I disconnect

Volto mais tarde | Ao som de The Cardigans – Communication |

wol: Primeiro Efeito Prático Do ‘words of leisure’

Desde que comecei o blog, eu tenho tido respostas que têm me deixado muito, mas muito feliz mesmo. Todo o carinho, críticas e elogios têm me feito continuar mesmo quando fica difícil publicar. E tudo isso é imensurável!

Pois bem, tive, nesta semana, um efeito….digamos…..prático do words of leisure!

Mal sabia eu que assistir esse povo me faria um bem além do próprio show…

Continuar lendo “wol: Primeiro Efeito Prático Do ‘words of leisure’”

Dicas do RJ: I’m a Cliché – Ecos da Estética Punk

Sim, aqui estou eu, na grande Belo Horizonte, dando dicas de algo a fazer no Rio de Janeiro. Cidade esta que estive há pouco tempo e que infelizmente não tenho perspectiva de voltar no curto prazo. Curto prazo este que deveria aparecer até o dia 02 de outubro, para que eu pudesse ir ao Centro Cultural Banco do Brasil, ver a mostra “I’m a Cliché – Ecos da Estética Punk”.

Patti Smith e Robert Mapplethorpe, lindos do meu coração.

Continuar lendo “Dicas do RJ: I’m a Cliché – Ecos da Estética Punk”

Café & TV: Séries de TV, “Desperate Housewives”

Desde que escrevi sobre The Good Wife, eu já tinha decidido que a próxima série seria Desperate Housewives.

Considerando que o primeiro texto foi publicado em 28 de março, dá pra ver o tanto que enrolei. E o que teria me feito finalmente escrever? A triste notícia divulgada semana passada de que a próxima temporada – a oitava – será a última!!! Meu coração estava preparado para mais duas, como prometido, então a notícia me deixou meio triste. Não totalmente, mas ainda assim, triste.

Cast-desperate-housewives-29423458-2560-1920

Conheço muitas pessoas que assistiram a série por um tempo, mas depois largaram. O grande motivo é que, após algumas temporadas, a fórmula “um mistério por temporada + história das personagens principais” teria ficado batida.

Bom, eu não discordo, mas nunca consegui parar. Eu realmente gosto muito da série. Ela tem alguns pontos que me mantém absolutamente fiel, e sempre tenho a esperança de que a temporada seguinte será tão brilhante quanto a primeira e a quarta, Que foram absurdamente sensacionais. Mas quais seriam esses pontos?

  1. As personagens principais. Pode parecer bobo, mas eu adoro as personagens (a Susan, nem tanto) e fico muito envolvida com as histórias.
  2. Mesmo falando delas, dedico um ponto especial para a Lynette Scavo e seu imenso clã. O papel desempenhado pela sensacional Felicity Huffman me impressiona. É bem provável que, de todas as vezes que me emocionei com a série (não foram poucas), ela devia estar envolvida em 95% delas.
  3. A narração da Mary Alice Young. Desperate Housewives tem textos no início e final de todos os episódios que, quando não são os melhores, já podem ser marcados como “bons”. Mas, várias vezes, são incríveis!
  4. Texto muito, muito, muito bem escrito. A série tem uma ironia, um sacarsmo, umas tiradas que são muito boas.
  5. Excelentes atrizes, ótimos personagens secundários e participações especiais.
  6. Ah, tem vários outros que eu não me lembro agora….

Fico, sim, triste com o fim dela, após 8 anos fiéis, mas ao mesmo tempo, me deixa feliz saber que, mesmo a audiência não ser a mesma do início, e com alguns altos e baixos consideráveis, Desperate Housewives acabará sem ter caído em decadência. Sem aquela sensação péssima de achar que a série perdeu o rumo, ou que já deveria ter acabado muito tempo atrás.

Agora, só me resta curtir a última temporada que começará em 25 de setembro, lá nos Estados Unidos.

Abaixo deixo dois vídeos: um é da feliz época em que as séries de TV tinham abertura. É muito bom!*

O outro que anuncia a oitava temporada como a última! Como disse o anúncio no Facebook: “todas as coisas boas têm que acabar”…*

* Só de vê-los e pensar que vai acabar, meus olhos já ficaram cheios d’água. Imagino como ficarei nos episódios finais….

E como eu falei do texto, viram o que a Bree fala quando se diz republicana? Sensacional!

Volto mais tarde | Ao som de Sunny Day Real Estate – One |

Música do Dia: Wilco – Jesus, Etc.

Wilco é uma banda que eu demorei a começar a escutar. Ouvia amigos comentando, outros idolatrando, como o Tomaz do Contra Tempo, mas eu simplesmente não parava pra…bom…..me apaixonar por eles.

Wilco_MassMoca_AustinNelson

Até que How To Fight Loneliness tocou em um episódio de E.R. Fui atrás pra descobrir de quem era a música e quando vi que era deles, finalmente decidi parar e ouvir. O que eu penso desse tempo em que eu poderia estar ouvindo, mas não estava?

Que tempo perdido!

Quanto antes Wilco entra na vida de uma pessoa, melhor! Que banda incrível! É daquele tipo que até as músicas que não são as melhores, batem 90% do que tem sido feito por aí.

Coloco aqui a música que, atualmente, é a que eu mais escuto.

Don’t cry
You can rely on me honey
You can come by any time you want
I’ll be around
You were right about the stars
Each one is a setting sun

Volto mais tarde | Ao som de Wilco – Jesus, Etc. |