O preço de um show no Brasil

O Estado de São Paulo fez uma interessante reportagem que busca explicar os motivos pelos quais os ingressos de shows internacionais são tão caros no Brasil.

Quando vi o link no twitter, fiz questão de ler, visto que eu amo shows e 95% das minhas bandas favoritas são estrangeiras.

Estou deprimida de não ir no show dele. Ainda mais depois de ler o livro... Fonte: estadao.com.br

Cito:
“Na semana passada, levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV), feito a pedido da Agência Estado, mostrou que os preços de serviços não prioritários no orçamento familiar, como espetáculos, já supera a inflação média em 12 meses, até junho. Shows de música ficaram 7,24% acima da inflação. O resultado é visível nas bilheterias: Rihanna entre R$ 150 e R$ 600. Limp Bizkit entre R$ 140 e R$ 300. Cirque du Soleil entre R$ 140 e R$ 395. Eric Clapton entre R$ 140 e R$ 650. Com alguns custos adicionais, como taxas de conveniência, transportes (táxis) e serviços (estacionar em torno do Estádio do Morumbi, durante megashows, chega a custar R$ 150, e no Credicard Hall estão cobrando até R$ 30), essas cifras sobem consideravelmente.”

Link para a reportagem completa, aqui.

Como é caro morar no Brasil, hein? Caramba….

Volto mais tarde.
Ao som de Corinne Bailey Rae – Till it happens to you

Anúncios

TED Talks: Jason Fried: Porque Não Se Trabalha No Trabalho

E lá vou eu colocar mais um vídeo do TED por aqui. Dessa vez, o palestrante é o Jason Fried, fundador da 37signals.

Jason Fried. Fonte: ted.com

Continuar lendo “TED Talks: Jason Fried: Porque Não Se Trabalha No Trabalho”