Música do Dia: George Harrison – Beware of Darkness

Vinte anos sem ele.

Fonte: https://br.pinterest.com/deviantart/_created/

Encerrando o dia com uma de suas músicas mais belas.

Volto mais tarde | Ao som de George Harrison – Beware of Darkness | #twitternomore

20 anos sem George Harrison

O dia de hoje marca 20 anos sem um dos maiores de todos os tempos.

Quem me conhece sabe muito bem que ele é meu Beatle favorito.

E que Beatles é a minha banda favorita na vida.

Claro que amo todos! Só que a sensibilidade do George sempre balançou mais esse pobre coração aqui.

While My Guitar Gently Weeps e Something não são desse mundo. Simplesmente, isso.

Duas das maiores belezuras que ele compôs estão neste álbum. Esse vinil, em específico, além dos outros da banda, meu pai já falou que ficarão para a filha mais beatlemaníaca. Fonte: acervo pessoal.

Eu tenho dificuldades em escrever sobre ele, porque tudo parece raso e insuficiente. Sua morte já foi lamentada e relembrada em outros tempos, no wol, como pode ser visto aqui.

Então, deixo aqui registrado todo o agradecimento que tenho por esse homem.

Abaixo, a cobertura que o Jornal Nacional fez.

Também, o hino em revolta à cobrança de impostos.

E, da sua belíssima carreira solo, sobre como tudo passa.

Ao mais belo de todos, muito obrigada!

Volto mais tarde | Ao som de The Beatles – Something | #nomoretwitter

Dica Para Se Manter Atualizado: thenews, thebizness & thestories

Uma pergunta que escuto há anos é “Viviane, como você consegue me manter tão atualizada?”

De fato, eu sempre gostei muito de ver e ler jornais. Inclusive, uma lembrança de infância super gostosa que eu tenho é de estar na praia e ver meu pai comprando o “Estado de Minas”. Ele pegava os primeiros cadernos, passava o resto para mim e para a Primogênita (aquela da coluna, vocês se lembram?) e eu ficava lá, me achando, lendo jornal igual a ele.

Fonte: print/ acervo pessoal

Admito que a pandemia teve um efeito muito deletério em mim, principalmente naqueles piores momentos aqui no Brasil. Nunca antes eu tinha passado por momentos em que simplesmente desligava a tv e não entrava em sites por dias, por estar totalmente exausta por tudo que estava acontecendo. Claro que, eventualmente, isso tudo foi passando e hoje já voltei ao meu normal.

E, uma forma que eu tenho gostado demais de ler notícias é pelo thenews.cc, que me foi recomendada pela Primogênita, inclusive. Newsletter diária, recebida às 06:06, que é descrita assim:

Fonte: print/ acervo pessoal

Acho o tom super fluido, agradável de ler, mesmo quando os temas são espinhosos.

E estão se expandindo. Todas terças e quintas, às 13:13, também recebemos o thebizness.cc, com informações de negócios, comércio, análises de empresas, com direitos a muitos gráficos e infográficos, amados por essa que vos escreve.

Fonte: print/ acervo pessoal

E, finalmente, a proposta mais romântica de todas.

Fonte: print/ acervo pessoal

O thestories.cc é enviado aos domingos, 08:08, com “histórias de quem realmente sentiu algo sincero”. Histórias de amor, de amizade, com finais felizes ou não. Eu me emocionei, de verdade, com essa aqui, por exemplo:

Não vou postar toda, né? Fonte: print/ acervo pessoal

Então, para receber, basta clicar nesse link aqui e depois confirmar pelo email que enviarão.

Peço, encarecidamente, que usem esse meu link aqui, já que eles têm um programa de indicação e eu quero ganhar a minha caneca hehehe.

CLIQUEM NESSE LINK AQUI.

ok?

Então, é isso.

Ficam as dicas.

Que, antes que me esqueça, podem ser acessadas ao clicar aqui.

Volto mais tarde | Ao som de ABBA – Just a Notion | #twitternomore

Dica de Livro: The Five, da Hallie Rubenhold

Era com esse post que eu queria ter retomado o blog.

Acervo Pessoal

Fiquei sabendo da existência do The Five pela Magê Santos, que já apareceu no wol, nesse post aqui. Ela divulgava em suas redes, no ano passado, o crowdfunding feito pela bela Editora Wish.

O que mais chamou a minha atenção foi uma frase que era mais ou menos assim: “o livro que busca dar dignidade às vítimas do Jack, o Estripador”.

Até então, o meu conhecimento era que ele tinha matado prostitutas, afinal, isso que sempre foi dito por aí, né?

Aí, entrei no financiamento e aguardei que meu livro chegasse para conhecer a história dessas mulheres, cujos assassinatos foram tão crueis. Mesmo com o receio de como os momentos finais seriam retratados.

Estou aí no meio dos agradecimentos. Acervo Pessoal.

Ao recebê-lo, era impossível não ficar encantada pela execução da Wish. O livro é primoroso em sua edição.

Acervo Pessoal

Mas, indubitavelmente, as histórias falam mais alto que tudo.

A forma em que a autora pesquisou a história de cada uma é louvável, ainda mais quando se pensa no acesso à informação da época e, para piorar, de mulheres que viviam na pobreza.

Pelas histórias de Mary Ann Polly Nichols, Annie Chapman, Elizabeth Stride, Catherine Eddowes e Mary Jane Kelly somos apresentados a um outro lado daquela Inglaterra rica e poderosa que estudamos em nossas aulas de História. Um que é paupérrimo, em que as pessoas viviam em condições subumanas de higiene e de precariedade habitacional absurda.

Por todo o tempo, eu me perguntava: “o que essas mulheres viveram, fizeram, falaram, o que as levaram a estar naqueles dias específicos, horários e locais, para um fim tão cruel?”. Particularmente, a história da Annie Chapman foi a que mais me tocou, mas são todas muito tristes.

The Five é um livro de 400 páginas, que eu li em menos de uma semana. Desnecessário dizer que tem uma forte carga emocional.

Mas, a autora é extremamente bem-sucedida no seu propósito de dar dignidade a essas mulheres, sendo muito respeitosa a elas. Tanto ao retratar suas vidas, quanto seus momentos finais.

Super recomendo a leitura.

Fica a dica.

Volto mais tarde | Ao som de The Corrs – Borrowed Heaven | #twitternomore

Frase do Dia: Schopenhauer e Quem Escreve de Maneira Displicente

Decidi voltar a postar aqui no blog, mas não esperava que seria com uma Frase do Dia.

No meu planejamento, mas eu vi essa frase recentemente e amei, então, assim foi.

Que língua linda, façam bom uso.

Volto mais tarde | Ao som de ABBA – I Still Have Faith in You

Dica de Podcast: el gran robo argentino, by duolingo

Fiz uma sequência de posts no Stories do Instagram e acho que vale a pena deixar como registro por aqui, também.

Eu sempre fui apaixonada por aprender idiomas e tenho usado o Duolingo tanto para ganhar fluência no francês quanto para manter a que já tenho em espanhol.

Como pratico o espanhol-inglês, é possível praticar as aulas de áudio, que incluem podcasts, algo que amo!

Fonte: Duolingo no Instagram

E fui lá que vi o que está na imagem acima, o “Great Argentine Heist”, ou “El Gran Robo Argentino”.

Importante ressaltar que não é preciso ter Duolingo para ouvir os episódios mas, antes de escrever mais sobre isso, seguem os Stories que postei.

Instagram: viviane.gomide
Instagram: viviane.gomide
Instagram: viviane.gomide

Instagram: viviane.gomide

Para quem tem o Duolingo, é muito melhor acompanhar por lá, porque ganha-se bons pontos.
Mas, também é possível pelo Spotify, por exemplo. Clique aqui para conferir.

Então, como falei, deixo a dica no wol também.

E, para me seguir no Instagram, basta clicar aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Noel Gallagher’s High Flying Birds – Revolution Song |

Dica de Documentário: Jeffrey Epstein, Poder e Perversão

Quando vi o documentário “Jeffrey Epstein: Poder e Perversão” nas minhas recomendações da Netflix, pensei: “é aquele bilionário, do escândalo sexual, amigo do Príncipe Andrew, né?

Fui ao Google, que confirmou minhas suspeitas e decidi ver, mesmo com dúvidas se teria estômago.

Afinal, é relacionado à exploração sexual de menores de idade.

Isso nunca é fácil.

E, com as minhas dúvidas, acabei assistindo aos 4 episódios, direto.

Absolutamente assustador como o homem fez a fortuna dele, todo o dinheiro, poder e corrupção em torno disso.

Mas, pra mim, não tem nada mais pavoroso que a ideia de que uma mulher o ajudou em todo o processo.

Mulher ajudando no abuso de outras.

Nojento. Simplesmente.

Entretanto, como documentário é excelente.

Acho que vale muito a pena. Só que é pesado.

Não tem como não ser, quando a temática é essa.

Abaixo, o trailer.

Então, fica a dica.

Não somente essa mas também do podcast do Dax Shepard, que entrevistou o advogado de mais de 50 (isso, 50) vítimas do cara. Mas, aí, tem que ter fluência no inglês.

Volto mais tarde | Ao som de Interpol – NARC |

Dica de Instagram: O “Grand Tour das Coisinhas”

Eu já poderia ter feito alguns posts sobre a Isabela Discacciati e a Magê Santos.
Por exemplo:
1) Poderia ter feito no “Dicas de Instagram“;
2) No “Dicas de Snapchat” (#RIP);
3) No post recomendando seguir brasileiros que moram no exterior e produzem bons conteúdos;
4) Dicas de Podcastcom o Livre ;
5) Dicas de Brasileiros que são guias turísticos no exterior (ainda escreverei, espero);
6) Quando elas fizeram o Quiz das Coisinhas, entre outros.

@milaonasmaos
@passeiosemveneza

Mas venho aqui para falar do Grand Tour das Coisinhas, uma das iniciativas mais legais que acompanhei nas redes sociais, nos últimos tempos. Eu, que reduzi muito o que consumo online, não perdi um episódio sequer e já aguardo ansiosamente a segunda temporada.

Para explicar: A Isa mora em Treviso e faz passeios guiados para brasileiros em Veneza. Já a Magê mora em Milão e também é guia por lá. Elas são amigas, carinhosamente se chamam de Coisinhas, e fizeram um “Stories Séries” em que temas eram selecionados e discutidos tendo as duas cidades como “pano de fundo”.

Aos que não sabem (e eu não sabia), cito:

O Grand Tour eram as viagens feitas pelos jovens da aristocracia europeia principalmente no século XVIII, e pode ser considerado hoje como o início do turismo contemporâneo.
Era visto como um rito de passagem educacional, já que as famílias ricas, inicialmente as inglesas, mandavam seus filhos para a Itália para conhecer as maravilhas da Antiguidade Clássica e do Renascimento.
Na Itália, as etapas clássicas do Grand Tours eram as cidades de Veneza, Florença, Roma, Nápoles, mas também a Sicília e seus sítios arqueológicos.

Diário do Grand Tour

Elas escolheram os seguintes temas: vilas, moda, estabelecimentos históricos e coleções de artes privadas. Assim, nos levaram (quem as acompanha), para viajar por esses temas por Veneza e Milão.

A série se deu nos Stories delas mas foi salva nos respectivos IGTVs, além de terem também postado nos respectivos canais do Youtube (Passeios em Veneza e Milão nas Mãos).

Como se não bastasse, ainda fizeram um e-book, gratuito, que pode ser baixado aqui.

O que mais me faz recomendar as duas é que o que elas produzem é conteúdo de qualidade, sem ser chato ou pedante. É trazer cultura e conhecimento de uma forma muito fácil e sincronizada com os dias de hoje.

Porém, é de graça?

Assistir pode ser considerado gratuito para muitos (desconsiderando a internet que pagamos, energia, etc, né?), mas não há almoço grátis, certo? Claro que elas têm muito retorno nisso, e merecem ter, afinal, o projeto é feito na base de muito estudo e dedicação. Com isso, ganham seguidores, admiradores e potenciais pessoas que as contratarão para os passeios guiados que fazem.

Como eu. Logo. De preferência.

Elas já prometem uma segunda temporada com ainda mais requintes, indo a outras cidades. O que as levaram a pedir colaborações de pessoas como eu, que gostaram tanto do que produziram. Aos que assistirem e também quiserem contribuir, segue o link.

Aos que colaboraram (como eu), um novo perfil no Instagram foi criado, em que as pessoas terão acesso a conteúdos exclusivos.

Então, é isso. Entrem no Instagram delas aqui (Isa e Magê) e cliquem nos respectivos IGTVs para ver os episódios de cada uma. E fica a dica de as seguirem independente do conteúdo do Grand Tour, porque as duas são muito interessantes, sempre.

Volto mais tarde | Ao som de David – Life on Mars |

Dica de Podcast: Presidente da Semana

Meu último post foi sobre procrastinação.

Já este, eu queria ter escrito desde julho, se não me falha a memória.

É a vida…

presidente-da-semana.jpg

Acho que, antes de começar a minha dica, vale falar o que é um podcast, aos que não conhecem.

Tiro a definição do Viver de Blog:

Podcasts são programas de áudio (podem ser de vídeo também), distribuídos através de um feed RSS, que permite que o usuário ouça o conteúdo online.

Ou seja, o download vai sendo feito conforme você escuta, mas também pode ser baixado no formato MP3 ou algo do gênero para o aparelho de sua escolha, como um computador, celular ou tocador de MP3.

O termo podcast surgiu por causa do iPod, após a descoberta de como transferir esses arquivos de áudio disponíveis apenas em RSS para o iTunes.

Especificamente, o Presidente da Semana foi uma série da Folha de São Paulo criada e produzida pelo jornalista Rodrigo Vizeu, com edição de som do Victor Parolim. A ideia foi abertamente copiada do The Washington Post, quando da eleição presidencial nos EUA em 2016, apresentou episódios semanais que falaram sobre cada um dos presidentes americanos, desde George Washington até Donald Trump, que teve seu episódio lançado uma semana após sua eleição.

A ideia da Folha é a mesma: de Deodoro da Fonseca, Floriano Peixoto, Prudente de Moraes, até FHC, Lula, Dilma, Temer…E, o último episódio foi ao ar na semana seguinte do segundo turno e foi dedicado, obviamente, ao Jair Bolsonaro.

deodoro da fonseca
Deodoro da Fonseca

Eu me considero uma pessoa que ama História e tenho muito interesse no assunto. Ainda assim, meu conhecimento sobre os Presidentes do Brasil é raso e acabou sendo estimulado com o podcast. O que acho mais válido é nos mostrar como sabemos tão pouco da história do nosso País.

Não que eu assuma que tudo apresentado ali seja uma verdade absoluta mas, pra mim, o grande mérito do programa foi atrair a minha curiosidade para muitos fatos que eu nunca sequer tinha ouvido falar.

Claro que toda a minha ignorância vai diminuindo ao sair da República Velha e fica mais possível criticar certas posturas do apresentador e seus convidados quando começam os episódios de presidentes que conheço mais. Na realidade, tive meus momentos de discordância até em episódios dos que não conhecia muito.

Foi possível, também, perceber o posicionamento político do Rodrigo Vizeu. Como, por exemplo, no caso de um comentário horroroso (no meu ponto de vista), que ele fez no episódio sobre o Venceslau Brás (vocês terão que ouvir para saber hehehe).

Pois bem, estou aqui para sugerir um Podcast que tenho lá minhas críticas. Mas como estou seriamente cansada do atual estado que nos encontramos, que se você discorda de algo, elimina essa coisa por completo, vou recomendar. Mesmo com os meus “poréns”.

São discordâncias normais que não me impedem de fazer esse post. Continuo achando a ideia do programa muito boa e penso que ele vale ser escutado, mesmo com as eleições já tendo acabado. Afinal, seu tópico acaba por ser atemporal.

Pra mim, vale muito ouvir e ganhar conhecimento sobre a nossa própria história, mesmo assumindo a posição de criticar o que é dito ali.

Então, finalmente, deixo aqui o link do podcast na Folha, aonde é possível ter acesso aos links para escutar cada um dos episódios Eu, particularmente, o faço pelo podcast da Apple, mas tem como fazer pelo Spotify, Soundcloud, entre outros.

Ouça todos os episódios disponíveis do podcast Presidente da Semana, sobre os presidentes do Brasil

Lá, é possível ouvir todos os episódios na própria página ou acessar links para Spotify, Apple Podcasts, entre outros.

Assim, fica a dica.

E escutem podcasts! É muito massa!

Depois, farei mais posts sobre outros que escuto.

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – You Look So Fine |

Infográfico: 15 técnicas para acabar com a procrastinação

Se for para voltar a postar no blog, que não seja pelo lamento de alguém que morreu, que seja com infográfico.

Admito que melhorei muito a questão da procrastinação, mas é uma batalha constante na minha vida.

Tentação é sempre grande.

Vi o info no Assuntos Criativos e resolvi replicar aqui.

Achei interessante e muito bem feito.

procrastinacao

 

PS: o Assuntos Criativos viu no Tutano. Dando crédito a todos que têm direito “Infográfico originalmente publicado no blog do [ Hubspot ]. Traduzido e adaptado pela equipe do Tutano. Fonte: http://tutano.trampos.co/11532-infografico-como-parar-de-procrastinar/

Volto mais tarde | Ao som de Stereophonics – Caught by the Wind |

R.I.P.: Dolores O’Riordan

“But you’re gonna have to hold on….. to me”

Deveria ter postado ontem, não consegui.

Muito triste.

Em um mundo atual, em que pessoas desafinadas, que não sabem cantar, compor, falar, são cultuadas, os verdadeiramente talentosos estão indo cedo demais. Novos demais.

O que nos resta é garantir que jamais serão esquecidos.

7d5d890b-60bf-4ade-a182-49865de59c0f

A Dolores jamais será esquecida por mim. Foi demasiadamente importante e marcante.

Apareceu, aqui no blog, um bocado de vez.

Responsável, junto com seus três amigos Noel, Mike e Fergal, por um dos shows mais legais que fui na vida.

Que voz, que presença de palco, que capacidade de escrever músicas lindas.

Que m….

Que descanse em muita paz.

 

Volto mais tarde | Ao som de The Cranberries |

SalvarSalvar

A nova cara do blog!

E aí, o que acharam?

Eu sempre gostei da cara antiga, mas já tinha um tempo que estava cansada, achava que era hora de mudar.

Fica o carinho pelo que se foi e ansiedade pelo que há de vir.

VIV_GOM_cabecalho

Muito obrigada, Bruno, pela nova arte.

Primogênita, pelo apoio.

E também à todos os que ajudam, de qualquer forma que seja, o words of leisure.

Não postarei com a assiduidade de antes mas, simplesmente, não consegui ficar longe de escrever.

Espero que gostem.

E que ainda estejam por aqui.

Um abraço.

Volto mais tarde | Ao som de Suede – Lost in TV |

SalvarSalvar

SalvarSalvar

Música do Dia: Soundgarden – Burden In My Hand

Já comentei várias vezes por aqui, que a minha “independência” musical veio com o Britpop.

Mas, parte da minha formação veio com o gosto da minha irmã, grunge incluído.

Foi sofrido, muito sofrido, receber a notícia da morte do Chris Cornell. Ainda mais nas circunstâncias apontadas.

Fica o legado, que é incrível. Das vozes mais impressionantes do rock, sem dúvidas.

Poderia colocar outras músicas, mas escolhi Burden In My Hand.

Ao final da música, na última vez que ele canta “I left her in the sand, just a burden in my hand” sempre me marcou muito. Que voz. Que voz.

Que descanse em muita paz.

Volto mais tarde | Ao som de Soundgarden – Burden In My Hand |

 

Dicas de NYC: TAP NYC, tapioca por aqui!

Pois bem, essa não é uma dica só pra NYC, e sim, para quem estiver nos EUA para ficar por mais tempo que uma viagem.

Todo mundo que vem pra cá fica meio tenso de não ter acesso a certas comidas brasileiras, né? Aí, um bocado dessas pessoas acaba colocando dentro na mala.

Acervo Pessoal

Eu sou do tipo medrosa e tal, que morre de medo de ter problema, então, prefiro deixar a falta da comida ser saciada ou no Brasil ou em restaurantes/lojas por aqui.

E, por isso mesmo, fiquei super feliz quando descobri a TAP NYC. Possibilidade de fazer tapioca, de boa! Comer tapioca nos EUA!

Eu estava em NYC, no ano passado, quando comprei pela primeira vez, em um loja no SoHo (Nolita?) que agora me foge o nome. Quando eu me lembrar, eu atualizo o post.

E, desde então, adotei a TAP NYC mesmo comprando há distância. Amo tapioca e a deles é super boa!

Fonte: tapnyc.com

Mais que isso: o atendimento é muito bom. Certa vez, fiz um pedido de duas caixas e me enviaram só uma. Entrei em contato e, sem o menor questionamento, me enviaram a que faltou e mais uma!

Isso fideliza.

Sem contar que o site deles é muito bem feito e tem umas receitas super boas.

tap-nyc
Fonte: tapnyc.com

Personas, juro que tentei colocar uma foto de uma tapioca feita por mim, mas as minhas não são nem um pouco fotogênicas!

Para finalizar, eles vão abrir loja física em NYC. Espero que dê pra visitar enquanto eu estiver por aqui.

Então, cliquem na foto acima para entrar no site e ver mais.

Volto mais tarde | Ao som de Travis – Closer |

Música do Dia: The Kinks – This Time Tomorrow

Vou voltar com o Música do Dia também, né?

Como não?

E em grande estilo.

kinks

Leave the sun behind me,
and watch the clouds
as they sadly pass me by

And I’m in perpetual motion
and the world below
doesn’t matter much to me

Volto mais tarde | Ao som de The Kinks – This Time Tomorrow |

Dicas de Ithaca, NY: Coal Yard Cafe

Opa, post no blog que não seja “R.I.P.”!

words of leisure está de volta? Espero que sim.

Então, demorei tanto pra escrever porque queria fazer um primeiro post sobre a cidade de Ithaca, como informações gerais, em primeiro lugar.

Só que sempre vinham mais e mais dados e o negócio foi me dando muita aflição, principalmente porque eu sentia que não estava fazendo jus à cidade. Aí, desisti daquele post e resolvi vir direto aos específicos.

Destravar o que estava me travando!

E que a série “Dicas de Ithaca, NY” possa ajudar pessoas que irão estudar em Cornell, familiares, turistas, e por aí vai…

IMG_2705
Parte do campus da Cornell University

Mas, só pra constar: Ithaca é uma cidade no interior do estado de Nova Iorque, aonde tenho morado nos últimos quase dois anos. Entre muitas outras coisas, abriga a Cornell University, minha lindona. Para quem quiser saber mais de Cornell, vale o resumão feito pela Fundação Estudar, aqui, e sobre Ithaca, aqui*.

Eu decidi começar escrevendo sobre o Coal Yard Cafe, porque foi um dos primeiros lugares que me apaixonei por aqui. No meu primeiro ano, eu morei em uma residência da Universidade que era ao lado dele. Eu odiei o lugar que vivi e, talvez por isso, me apaixonei pelo Coal Yard. Acho que era como um alívio, sabe? Ia muito quando perdia o ônibus e aproveitava para pegar um café. Ou, para tomar um café da manhã/brunch, aos finais de semana.

IMG_1132
Coal Yard Cafe. Acervo Pessoal.

E, como ele é mais afastado do centro de Ithaca, é quase como um segredo de quem mora/trabalha ali por perto.

IMG_1133
Acervo Pessoal

Ele fica em uma pequena casa e remete à época em que era um lugar de armazenamento de carvão, que atendia ao campus de Cornell, em sua decoração.

Uma das coisas que mais me fez apaixonar por ele é que, logo na primeira vez que fui, eles estavam servindo ovos beneditinos, que é uma das minhas paixões de café da manhã.

Mas, de pouco em pouco, fui experimentando outros pratos de lá e é tudo sempre muito gostoso.

IMG_1134
Acervo Pessoal

O Coal Yard fica na 143 Maple Ave e os ônibus 82 e 92 param na porta, literalmente.

O único porém é que tem que prestar atenção ao horário de funcionamento, que é bem restrito:

Segunda a Sexta: 8:00 às 15:00.

Sábado: 09:00 às 15:00.

Para entrar no Facebook deles, clique aqui.

*PS: Sim, pretendo fazer posts específicos sobre Cornell!

Post atualizado em 24 de abril.

Ao acaso, voltei ao Coal Yard e tirei mais fotos.

IMG_4405
Acervo Pessoal

IMG_4408
Acervo Pessoal

E comi esse taco de peixe que estava maravilhoso!!

IMG_4406
Acervo Pessoal

IMG_4407
Acervo Pessoal

Volto mais tarde | Ao som de The Corrs – Even If |

Coluna da Primogênita: Dica de Instagram – @nandanasser

Estou aqui me perguntando como, até agora, nós ainda não havíamos escrito esse post! Pois o words of leisure é um blog que nós mantemos somente com a intenção de compartilhar ideias, experiências e conteúdo que nos encanta e se tem uma artista nesse mundo que nós amamos é a Fernanda Nasser!
captura-de-tela-2016-10-20-as-14-26-50

Continuar lendo “Coluna da Primogênita: Dica de Instagram – @nandanasser”