Coluna da Primogênita: Sobre a importância de um agente de viagens

Em tempos de internet, smartphones e tablets, onde sites de pesquisas por passagens aéreas e hospedagens e blogs de viagens são acessíveis em qualquer lugar, esse post pareceria fora de época. Mas não é! O agente de viagens ainda tem importantes ações que  tornam as suas viagens muito mais tranquilas!
Lago Obersee,  Bavária.  Foto: meu Pinterest

Lago Obersee, Bavária.
Foto: meu Pinterest

Continue reading

Café & TV: O início do fim de Mad Men (p. 01)

A partir de hoje, o words of leisure prestará homenagens ao começo do fim de uma das melhores séries da história, Mad Men (que já foi temas de post, como você poderá ver aqui). No próximo domingo, começará a segunda parte da sua última temporada.

Então, ao longo da semana eu espero conseguir fazer posts referentes à ela.

Abaixo, um guia de como fazer uma festa para assistir a série.

Postado pelo perfil dela no Instagram.

Muito legal.

IMG_0467

Agora, nos resta apreciar o que vem por aí…

Volto mais tarde | Ao som de Garbage – Special |

Imagem do Dia: Garota de 4 anos, na Síria

Quando vi ontem essa imagem, da garotinha de apenas 4 anos na Síria que, ao ver a máquina do fotojornalista, se rende, achando que é uma arma, chorei.

siriacriancatwitter

Mundo imbecil esse que a gente vive.

Volto mais tarde | Ao som de Fiona Apple – On The Bound |

Música do Dia: Noel Gallagher’s High Flying Birds – In The Heat Of The Moment

Lindão da Vivi!

Noel Gallagher's High Flying Birds - In The Heat Of The Moment

The more that you want it
The more that you need it
I know that you’ll be by my side
In the heat of the moment
When the thunder and the lightning comes
I know that you’ll be by my side

Volto mais tarde | Ao som de Noel Gallagher’s High Flying Birds – In The Heat Of The Moment |

No Meu iPod: Noel Gallagher’s High Flying Birds, “Chasing Yesterday”

Não, não há um pingo de imparcialidade por parte da minha pessoa, quando se trata de Noel Gallagher.

Jamais.

O cara lança qualquer coisa e eu já vou muito pré disposta a amar.

Com Chasing Yesterday não foi diferente.

Chasing Yesterday noel gallagher

Continue reading

No iPod: “A década perdida do Kinks”, por André Barcinski

Quando penso que há pessoas no mundo que vivem suas vidas sem ouvir Kinks, a mim só resta lamentar muito por elas.

kinks-the-5374fe6b9b7b6

Por isso, recomendo a leitura do texto publicado pelo André Barcinski, A década perdida do Kinks.

Aos que conhecem, mas principalmente aos que não (!!!) conhecem!

Cito:

Enquanto seus contemporâneos, os Rolling Stones, ganhavam fama de bad boys, os Kinks eram os verdadeiros delinquentes daquela geração. Num show, o guitarrista Dave Davies xingou o baterista Mick Avory, que respondeu arrebentando a cabeça de Dave com um pedestal de prato. Avory fugiu do teatro acreditando que tinha matado o colega. Logo depois, Ray deu entrevistas esculhambando Frank Sinatra (“Eu canto ‘You Really Got Me’ melhor que ele”) e dizendo que qualquer um – “até Hitler” – era capaz de lotar um teatro de fãs. Numa turnê pelos Estados Unidos, Ray saiu no braço com um diretor de uma emissora de TV durante a gravação de um programa. O homem era poderoso, e os Kinks foram proibidos de excursionar na América por quatro anos.

E ouçam, claro!

Volto mais tarde | Ao som de The Kinks – You Really Got Me |

Música do Dia: No Doubt – Total Hate 95

Comemorando os 20 anos do The Beacon Street Collection.

 

No DOubt

 

Pena que no vídeo abaixo não tem o Bradley Nowell, para cantar a parte dele, como no álbum…

You’re livin’ your life without a care in the world
That’s the way it should be
What’s life like in a candy swirl
What’s life like to me
Everyone is slowing down
Look once at life on the ground
You all are the people, they’re runnin’ around
Not making a sound

Volto mais tarde | Ao som de No Doubt – Total Hate 95 |

Prato do Dia: Os mais acessados, até agora

Como vocês bem sabem, no início desse ano nós começamos essa nova Coluna no words of leisure, a Prato do Dia.

Ela não somente tem nos dado grande prazer em fazer, mas o retorno tem sido tão bacana que ficamos até triste por não conseguirmos postar algo novo.

Que é o caso dessa semana.

books-wol

Mas como não queríamos ficar sem postar nada, optamos pelo seguinte:

Continue reading

Hoje…Algum Tempo Atrás: Os 20 anos do “The Beacon Street Collection”, do No Doubt

Ao contrário dos últimos álbuns postados aqui no words of leisure, o The Beacon Street Collection não marcou a minha vida, à época do seu lançamento. Fui conhecer anos depois…

Na realidade, marcou a vida de “poucos”, pois ali o No Doubt ainda não tinha explodido.

De produção toalmente independente, feito todo pela banda, vendeu 100.000 cópias. Isso garantiu a produção do seu terceiro álbum. Aí, tudo mudou.

Visto que o terceiro é o Tragic Kingdom.

the-beacon-street-collection-50b1e43676452

Continue reading

Dica de Leitura: “A estúpida estratégia de dublagem do Canal Sony”, por Bruno Carvalho

O Bruno Carvalho, do querido Ligado em Série, publicou o texto A estúpida estratégia de dublagem do Canal Sony, que faço questão de recomendar por aqui.

Retirado do post do Ligado em Série

Retirado do post do Ligado em Série

Essa não é a primeira vez que me posiciono contra a decisão de canais de TV, como vocês podem ver aqui e aqui.

Não tenho o menor problema que a dublagem seja uma opção.

Começo a ter um problema quando ela passa a ser a primeira opção. Mas, ainda assim, se o áudio original e a legenda estiverem ali de fácil acesso, ok.

Entretanto, agora que estão colocando a dublagem como primeira e, o pior, única opção para assistirmos séries e filmes, aí eu passo a ter problemas demais. Principalmente porque paga-se para ter esses canais.

Não consigo mesmo entender essa estratégia.

Cada vez mais, os canais de TV estão perdendo espaço. Tanto para a Netflix, por exemplo, quanto para os downloads ilegais.

Aí, como decidem encarar a questão? Afastando ainda mais o público!

Um dia, liguei a TV no Sony e passava uma propaganda de Grey’s Anatomy, dublada, que doía na alma assistir.

Em outro momento, passava Revenge, também dublada. Ao tentar mudar, só tinha o áudio original, mas sem legendas.

Se a exibição estivesse acontecendo apenas para mim, não teria problema. Mas sei muito bem que essa minha condição, de ser apta a ver um programa em inglês, sem legendas, é algo restrito a uma parcela muito pequena da população brasileira.

E, como falei acima, essa população que quer ver TV com o áudio original e legendas está pagando pelo serviço.

Um absurdo!

Sempre gostei demais do Sony. Sem contar que quem acompanha o words of leisure sabe muito bem o tanto que gosto de ver séries de TV.

Mas assim, fica difícil.

Leiam o texto do Ligado em Série. Basta clicar na figura lá em cima, ou aqui.

Volto mais tarde | Ao som de Nina Persson – The Grand Destruction Game |

Música do Dia: Julieta Venegas – Pa’ Bailar

Já expressei, aqui no words of leisure, todo meu amor por The Good Wife.

Já expressei, aqui no words of leisure, todo meu amor pela Julieta Venegas.

O que acontece quando, no meio de um episódio da série, começa a tocar uma música da moça?

Daqui a pouco, faltará espaço no coração para tanto amor…

Bajofondo feat Julieta Venegas -  Pa' Bailar

Esto está bueno pa bailar

No sé dónde acomodarte
No sé de qué color pintarte
No sé muy bien que nombre darte
Si te veo por la calle

Pero sé que tú
Me miras a los ojos y es algo único
Sé que yo siempre quiero más

Volto mais tarde | Ao som de Julieta Venegas – Pa’ Bailar |

Dica de Instagram: Muitos velhinhos adoráveis, no “Not My Nonni”

Continuando com o intuito de divulgar perfis absolutamente interessantes vistos pelo Instagram, via #DicasdeInstagram, hoje é dia do fofíssimo e admirável @NotMyNonni.

notmynonni

Fonte: @notmynonni

Continue reading

Dica de Leitura: Rita Lisauskasa, “Amigos não contam cromossomos”

O último dia 21 foi o Dia Internacional da Síndrome de Down, né?

Por conta dele, li o texto Amigos não contam cromossomos, da Rita Lisauskasa, publicado no Estado de São Paulo.

Muito interessante.

cromossomos

Cito:

Perguntei para o meu filho, por curiosidade e por querer escrever esse post, o que a amiga dele, Manu, (que tem Síndrome de Down) tinha de diferente.

Samuel e Manu moram no mesmo prédio, estudam na mesma escola, só que em horários diferentes. O cromossomo a mais de Manu, que faz com que ela tenha Síndrome de Down, nunca foi problema para ele. Para o Samuca a Manu é a amiga legal que topa qualquer brincadeira, que adora abraçá-lo e dividir seus brinquedos.

Só falo uma coisa: a resposta do Samuel merece ser lida.

O texto é bem curto. Para acessá-lo, basta clicar na figura acima.

Volto mais tarde | Ao som de Coldplay – Everything’s Not Lost |

Imagem do Dia: Os três acidentes geométricos da vida

Compartilhado por uma professora muito querida, que vira e mexe me honra com visitas por aqui…

vidageometria

Muito bom.

Volto mais tarde | Ao som de Righteous Boy – All My Evils |